Inicio » Últimas » MG – Presos que mataram 25 detentos em Ponte Nova vão a júri popular

MG – Presos que mataram 25 detentos em Ponte Nova vão a júri popular

Os presos que incendiaram uma cela na cadeia pública de Ponte Nova, na Zona da Mata Mineira, em 2007 irão a Juri Popular por homicídio doloso, quando há intenção de matar. A informação foi divulgada nesta quarta-feira (22) pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais. A decisão foi dada pelo juiz Maycon Jésus Barcelos, da 2° Vara Criminal da cidade.

MG - Presos que mataram 25 detentos em Ponte Nova vão a júri popular
MG – Presos que mataram 25 detentos em Ponte Nova vão a júri popular

Segundo a denúncia à Justiça em 23 de agosto de 2007, os réus simularam uma rebelião para matar rivais. Com armas de fogo, facas e lâminas eles foram até as celas onde os rivais estavam acautelados. Além disso, eles colocara fogo no local, matando então 25 detentos.

Na época a cadeia estava superlotada e acolhia três grupos rivais de alta periculosidade. Deveria ter 87 presos, mas abrigava 173. O alvo principal do grupo era o líder de uma das gangues Cleverson Alexandre da Cruz, o “Clevinho” e rival do traficante Wanderson Luís Januário, o “Biju”.

O crime ganhou uma repercussão nacional e Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa de Minas foi à cidade para entender o que aconteceu e a unidade prisional foi desativada e foi construído um complexo penitenciário em Ponte Nova.

Depois de recolher as provas, o juiz considerou que há materialidade e indícios suficientes para pronunciar 24 suspeitos, já que um deles morreu no decorrer do processo. Eles vão responder também pelos crimes de tráfico de drogas e formação de quadrilha.

Lembre o caso

As investigações indicam que os irmãos Wallison Macedo Pinto, o “Ratão”, Wenderson Macedo Pinto, o “Chuchu”, e Richardson Macedo Pinto, o “Barão, conhecidos como os irmãos Barão, planejaram a rebelião para matar sete detentos em um acerto de contas. Eles conseguiram armas e facas com a ajuda de um carcereiro.

Eles iniciaram um montim para matar os rivais, no entanto um outro grupo rival liderado por Wanderson Luís Januário, o “Biju,  soube da rebelião, conseguiu escapar da cela, cerrando as grades e a confusão se generalizou. O grupo usou armas e facas para agredir os rivais e depois atearam fogo no local fazendo com que os presos morressem carbonizados.

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

Temer sanciona com veto lei que repassa custos do Fies com bancos para faculdades

Temer sanciona com veto lei que repassa custos do Fies com bancos para faculdades

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 2 de dezembro de 2016. Temer sanciona …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).