Inicio » Política » Eduardo Cunha é eleito presidente da Câmara dos Deputados. Dilma sofre derrota com Chinaglia

Eduardo Cunha é eleito presidente da Câmara dos Deputados. Dilma sofre derrota com Chinaglia

A Câmara dos Deputados elegeu, em primeiro turno, com 267 votos, o deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) para o cargo de presidente no biênio 2015/2016 da 55ª legislatura. Ele bateu o candidato petista Arlindo Chinaglia, que teve 136 votos, e também o socialista Júlio Delgado (100 votos).

Eduardo Cunha é eleito presidente da Câmara dos Deputados. Dilma sofre derrota com Chinaglia
Eduardo Cunha é eleito presidente da Câmara dos Deputados. Dilma sofre derrota com Chinaglia

Eduardo Cunha é conhecido por ser desafeto declarado de Dilma.

Atual líder do PMDB na Casa, ele teve o apoio declarado de PP, PTB, DEM, PRB, SD, PSC, PHS, PTN, PMN, PRP, PEN, PSDC e PRTB.

Os socialistas, que lançaram Júlio Delgado, acabaram por ajudar na derrota do governo Dilma, pois evitou o segundo turno caso Chinaglia tivesse uma votação maior do que teve.

Após tomar posse no cargo, Eduardo Cunha conduzirá a apuração dos votos para os demais cargos da Mesa Diretora (1º e 2º vice-presidentes, 1º a 4º secretários e os quatro suplentes).

Carioca de nascimento, 56 anos, Eduardo Cunha vai para o quarto mandato consecutivo, todos pelo PMDB.

Na Casa, já ocupou a Presidência da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania, foi líder do partido e é conhecido por ser um dos parlamentares que mais conhecem o Regimento Interno da Câmara.

Durante sua campanha, o deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) defendeu um Legislativo independente, altivo e que respeite os interesses da população brasileira.

Em um discurso com críticas diretas à submissão do Congresso em “determinadas votações conduzidas pela base governista”, Cunha disse que sempre buscará a independência da Casa.

Sobre o tema, Cunha acrescentou que quer um Parlamento que saiba dialogar com todos os poderes, mas que não abra mão das pautas que considerar importantes.

Para ele, independência não pode ser confundida com oposição.

“Em primeiro lugar, nós não seremos submissos. Nossa principal plataforma na campanha é a independência do Poder Legislativo, a independência da Câmara dos Deputados”, declarou.

Sobre a relação do Congresso com o Palácio do Planalto, afirmou que sua candidatura “não está pregando reinventar a roda, nem nenhuma bravata. A gente só quer que os poderes sejam independentes e harmônicos entre si”.

Ele disse que será o presidente de toda a Casa e não somente daqueles que nele votaram.

“Muito importante neste momento deixar claro que vamos buscar a altivez do Parlamento. Esta Casa é o palco dos grandes debates da sociedade. O governo sempre terá, pela sua legitimidade, a maioria para governar quando ela tiver de ser exercida”, afirmou.

Orçamento impositivo nesta terça-feira

O novo presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), disse que pretende votar o segundo turno da PEC do orçamento impositivo na terça-feira. Ao final do seu discurso de posse, Cunha também afirmou que sua prioridade será a reforma política e o pacto federativo.

Segundo Cunha, a Câmara será o palco dos grandes debates que o País precisa. Ele ressaltou que sua gestão não será de oposição nem de submissão ao governo federal. “Assistimos a uma interferência do Executivo nesta eleição, e o Parlamento reagiu no voto. Mas isso é página virada”, afirmou o parlamentar.

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

Temer sanciona com veto lei que repassa custos do Fies com bancos para faculdades

Temer sanciona com veto lei que repassa custos do Fies com bancos para faculdades

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 2 de dezembro de 2016. Temer sanciona …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).