Inicio » Norte de Minas » Norte de Minas – Sedinor regulariza pagamento de fornecedores do Programa ‘Leite pela Vida’

Norte de Minas – Sedinor regulariza pagamento de fornecedores do Programa ‘Leite pela Vida’

Produtores de leite, cooperativas e laticínios cadastrados no programa estavam sem receber desde outubro de 2014.

Norte de Minas - Sedinor regulariza pagamento de fornecedores do Programa 'Leite pela Vida'
Norte de Minas – Sedinor regulariza pagamento de fornecedores do Programa ‘Leite pela Vida’

O atraso no pagamento dos fornecedores do programa Leite pela Vida, que durou quatro meses e afetou quase 5 mil produtores rurais, além de cooperativas e laticínios, começou a ser regularizado nessa segunda-feira (09/02).  Do total de R$ 2,1 milhões autorizados para a quitação dos débitos referentes a 2014, o Instituto de Desenvolvimento do Norte e Nordeste de Minas Gerais (Idene) já efetuou o pagamento de mais de R$ 1 milhão. O restante depende agora da apresentação de documento fiscal atualizado, já que alguns fornecedores estão com Certidão Negativa de Débito (CND) vencida.

O novo secretário de Desenvolvimento e Integração do Norte e Nordeste de Minas Gerais, Paulo Guedes, que tomou posse na última quarta-feira, dia 4, informou que os pagamentos estavam atrasados desde outubro mesmo com os recursos na conta da Secretaria. Logo que tomou conhecimento do problema, ele solicitou às secretarias de Planejamento (Seplag) e Fazenda (SEF) a autorização para a quitação dos débitos. “Estamos regularizando todas as pendências de 2014 e trabalhando para que o faturamento de janeiro também seja pago ainda esta semana”, garantiu.

Além de manter o pagamento dos fornecedores em dia, o secretário também pretende aumentar o volume de leite distribuído. O programa que já entregou quase 140 mil litros de leite/dia, hoje entrega pouco mais de 75 mil litros. “A nossa meta é chegar a 150 mil litros/dia, ampliando também para a merenda escolar. Para isso, pretendemos elevar o volume de cota dos produtores, que hoje é de apenas R$ 4 mil, por semestre, o que representa menos de 23 litros por dia”, declarou Paulo Guedes.

O secretário também informou que pretende adotar outras medidas com o objetivo de aperfeiçoar o programa no Estado. “Queremos um maior envolvimento dos produtores e melhor acompanhamento da Secretaria em todas as etapas, desde a produção do leite até a sua distribuição. Vamos buscar novas parcerias para oferecer aos agricultores familiares apoio técnico e de infraestrutura, incentivando a sua permanência na atividade”. 

Sobre o programa

Desenvolvido em parceria com o Ministério do Desenvolvimento Social (MDS), o Leite pela Vida contribui para o combate à fome e à desnutrição de crianças, idosos, nutrizes e gestantes em situação de vulnerabilidade social, por meio da distribuição gratuita de leite. A iniciativa também beneficia agricultores familiares e garante o fortalecimento do setor produtivo e a geração de renda no campo.

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

MG - Jovem inventa que mãe está passando mal para estuprar vizinha

MG – Jovem inventa que mãe está passando mal para estuprar vizinha

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 5 de dezembro de 2016.MG – Jovem …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).