Inicio » Montes Claros » Montes Claros – Superlotação motiva rebelião no Presídio Alvorada e deixa 27 feridos

Montes Claros – Superlotação motiva rebelião no Presídio Alvorada e deixa 27 feridos

Montes Claros – Superlotação motiva rebelião no Presídio Alvorada e deixa 27 feridos

Montes Claros - Superlotação motiva rebelião no Presídio Alvorada e deixa 27 feridos
Montes Claros – Superlotação motiva rebelião no Presídio Alvorada e deixa 27 feridos

Nesta sexta-feira 13/02/2015 às 20h45min foi marcada com a rebelião que aconteceu em um presídio em Montes Claros, localizado na Av. Engenheiro Rolando Trindade Bassi, nº 140, Bairro Jardim Alvorada.

Segundo as primeiras informações, foi chegada pela equipe de Moto PM, que os presos do Presídio Alvorada, haviam acabado de colocar fogo em vários colchões no interior das celas sendo constatada a veracidade dos fatos.

No local já se encontrava de prontidão uma unidade móvel de resgate do BM, um caminhão de apoio contra incêndios juntamente com a viatura do CBU (coordenador do policiamento da unidade) do BM, bem como o supervisor.

Feito contato com o “COPOM” e CPU da unidade do 10º BPM, que compareceu no local e acompanhou todos os trabalhos realizados.

 O “GIR” (Grupo de Intervenções Rápidas) do presídio regional juntamente com o canil que fizeram entrada tática no presídio, assumindo o controle das ações. No local compareceram também, quatro unidades móveis do Samu, devido ao número de vítimas provenientes de intoxicação. Dos feridos, nove dos detentos após receberem atendimento tiveram que ser encaminhados aos hospitais locais para melhor serem atendidos e medicados.

Em contato com o diretor de segurança, “Deivid Crist” e o Diretor Geral, “Geraldo Junior”, os mesmos relataram que tudo começou devido à reclamação dos detentos quanto à superlotação das celas; que os detentos das celas 02 e 03 do pavilhão “A” (onde se encontram presos provisórios), que começaram a colocar fogo nos colchões, uniformes e toalhas, sendo acompanhados em seguida pelos detentos do outro pavilhão “B”. Logo a fumaça tomou todo o presídio e após a abertura de algumas portas que dão acesso aos pavilhões e ao pátio interno, a fumaça começou a se dispersar, sendo controlado o movimento após a chegada e intervenção do GIR. Durante a intervenção, o agente “Éverson Moreira”, foi atingido por um objeto contundente no olho direito, causando-lhe um hematoma. Após o controle da situação, os agentes penitenciários procederam às buscas nas celas sendo encontrados vários objetos como chuço, pedaços de ferros e pedaços de cerra.

Equipe de Policiais Militares do Canil e integrantes do Grupo de Intervenções Rápidas do presídio regional, adentraram ao local e assumiram o controle das ações.

Nove detentos, após receberem atendimento, foram encaminhados à Hospitais de cidade.

Segundo os diretores tudo começou devido a reclamação dos detentos quanto a superlotação das celas.

A situação foi controlada e os agentes penitenciários procederam as buscas nas celas onde encontraram vários objetos como chuço, pedaços de ferro e de cerra.

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

MG - Jovem inventa que mãe está passando mal para estuprar vizinha

MG – Jovem inventa que mãe está passando mal para estuprar vizinha

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 5 de dezembro de 2016.MG – Jovem …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).