Inicio » Mais Seções » Tecnologia » Seis apps para usos absurdos com milhares de usuários

Seis apps para usos absurdos com milhares de usuários

Seis apps para usos absurdos com milhares de usuários

Seis apps para usos absurdos com milhares de usuários
Seis apps para usos absurdos com milhares de usuários

Nem todos os aplicativos são criados com propósitos úteis

Existem aplicativos que tornam nossa vida mais fácil.

Você pode, por exemplo, usar um desses programas no celular para se comunicar gratuitamente e de forma imediata com uma pessoa. Ou organizar sua agenda, controlar os gastos pessoais e comprar um produto sem levantar da cadeira.

Mas nem todos os aplicativos foram criados para executar tarefas úteis. Alguns sequer têm uma função prática. Mas ainda assim possuem milhões de usuários.

Conheça algum deles a seguir:

Ethan

Este aplicativo de mensagens foi feito para se comunicar com Ethan. Única e exclusivamente com Ethan.

Mas, antes de baixá-lo, você pode se perguntar: quem é Ethan?

É o criador do programa, o americano Ethan Gliechtenstein, que talvez tenha pensado que o mercado de apps precisava que sua ideia se tornasse realidade.

E ele não estava completamente equivocado, levando em conta as milhares de vezes que o aplicativo gratuito foi baixado na loja da Apple.

Ethan, o aplicativo e o programador, estão à disposição do público para tirar qualquer tipo de dúvida, como: “Devo comprar comida chinesa ou italiana para jantar? O que você escolheria?”.

E ele responderia, por exemplo: “Escolheria a italiana. Hoje estou num clima mais saudável”.

Há uma regra: Ethan não responde quando está dormindo. Além disso, ele “prefere perguntas com múltiplas respostas”.

Mas adverte: “Não peça a ele que faça seu trabalho”. E também não “se apaixone por Ethan”.

Yo

Este app gratuito para iPhone e Android, ao contrário do Ethan, permite se comunicar com mais de uma pessoa.

Mas não dá para enviar mensagens, fazer chamadas ou mandar algum tipo de arquivo. Só é possível dizer: “Yo”.

Por isso, se autodenomina uma “ferramenta de comunicação com zero caracteres”.

É tão simples que seu inventor, Or Arbel, só precisou de oito horas para programá-la.

Aplicativos de mensagens são populares por serem úteis; não é o caso do Yo

Seguindo a filosofia de que “menos é mais”, para usá-la, não é preciso fazer um cadastro complexo.

Não é necessário informar seu número de telefone nem conectar-se a redes sociais.

Você baixa o programa, abre ele, escolhe um nome de usuário e adiciona amigos, que também devem usá-lo.

Você pode convidar amigos por meio de SMS, Twitter ou Facebook. E, quando eles aparecerem em sua lista de contatos, poderá selecioná-los. Eles receberão imediatamente um “yo” enviado por você.

Junto com a simplicidade, veio o sucesso: nos dois primeiros meses após o aplicativo ser colocado no ar, já tinha milhões de usuários que trocaram mais de 4 milhões e “yos”.

iBeer

Usar o iBeer é quase como beber uma cerveja – quase.

O que é melhor que tomar uma cerveja? Tomar uma cerveja.

Esta resposta parece boba, mas os desenvolvedores da empresa por trás do iBeer, a Hottrix, de Las Vegas, nos Estados Unidos, chegaram a esta conclusão.

O aplicativo gratuito para aparelhos Apple e Android é, em essência, um truque visual.

Com ele, seu telefone se converte em um copo de cerveja, com bolhas e espuma. Dá até mesmo para simular que se está bebendo, ao tocar um dos cantos do aparelho com os lábios e incliná-lo.

Já foi escolhido como o melhor app da loja da Apple e baixado 90 milhões de vezes.

Cigarettoid

Quem gostar da cerveja virtual talvez aprecie também este aplicativo.

Consiste em um cigarro que aparece na tela, se acende e vai sendo consumido pouco a pouco, até só restarem cinzas.

Inclusive, é possível fazer círculos de fumaça ao tocar duas vezes na tela com os dedos.

Seus desenvolvedores, da empresa MMT Labs, também oferecem a possibilidade de fumar um charuto.

O app tem ao menos duas vantagens em relação ao cigarro normal: é grátis e não faz mal à saúde.

Hold the Button

Se estiver com tempo de sobra, este aplicativo é para você. Mas também é preciso gostar de desafios.

Ao baixar este app gratuito, um círculo aparece na tela. É preciso colocar o dedo indicador sobre ela.

Aplicativo mede quanto tempo você consegue manter o dedo na tela

Ao fazer isso, você já cumpriu a primeira etapa. O programa ainda mede quanto tempo você conseguiu manter a tela pressionada, para que supere suas próprias marcas.

E inclui um ranking dos usuários mais pacientes.

Look After Your Stone

Você pode ser um desastre cuidando de plantas e deixar seus peixes sempre morrerem, mas seguramente será capaz de cuidar desta pedra.

É exatamente isso que propõe este aplicativo de nome tão literal.

“Com este app, poderá expressar todo seu amor pela natureza sem riscos”, diz a empresa que o criou, a Random Apps.

Se você acha que cuidar de um bicho de estimação dá trabalho, que tal uma pedra?

De acordo com a companhia, o programa gratuito também dá lições de vida: “Este jogo te ensinará a importância de dar sem esperar nada em troca”.

Depois de baixá-lo, você pode escolher o tipo de pedra, dar a ela um nome, pode vestí-la e enfeitá-la… tudo que faria com um bichinho de estimação se assim quisesse.

“Garantimos que você terá momentos inesquecíveis com sua pedra”, afirmam os criadores.

“Os bichos de estimação vão e vêm, mas as pedras são para sempre.”

Da BBC Brasil

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

O responsável pela cirurgia o neurocirurgião César Felipe Gusmão Santiago

Montes Claros – Santa Casa de Montes Claros realiza cirurgia inédita para retirada de tumor cerebral

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 9 de dezembro de 2016.Montes Claros – …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).