Inicio » Norte de Minas » Norte de Minas – Mais de 130 mil agricultores familiares mineiros já foram beneficiados pelo Pronaf na safra 2015

Norte de Minas – Mais de 130 mil agricultores familiares mineiros já foram beneficiados pelo Pronaf na safra 2015

Norte de Minas – Mais de 130 mil agricultores familiares mineiros já foram beneficiados pelo Pronaf na safra 2015

Gado na propriedade de Delibe Menezes
Gado na propriedade de Delibe Menezes – Crédito: Delibe Menezes

Emater-MG desempenha importante papel para que o produtor tenha acesso ao benefício

O crédito rural é um dos principais benefícios que o produtor dispõe para viabilizar a sua produção. Em muitos casos o financiamento é uma das únicas alternativas para o agricultor manter ou ampliar sua atividade. Em Minas Gerais, até janeiro deste ano, foram efetivados 137 mil contratos pelo Pronaf, Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar, referentes ao ano agrícola 2014/2015. Para receber o benefício, os produtores mineiros contam com o auxílio da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural de Minas Gerais (Emater-MG). A Empresa oferece todo o suporte como, por exemplo, elaboração de projeto técnico necessário para a liberação dos recursos.

O valor contratado pelos agricultores familiares de Minas Gerais nos sete primeiros meses da safra 2015 é de R$ 2.005.242.669,25. Isso representa 137 mil contratos assinados. Número superior ao mesmo período da safra anterior que foi de 132.107 contratos, totalizando R$ 1.583.751.772,22.

O Pronaf disponibiliza três modalidades de crédito: custeio, investimento e comercialização. De acordo com o Banco Central, na safra 2014/2015, os agricultores mineiros aplicaram R$ 1.210.980.249,35 em operações de investimento e R$ 794.261.419,90 foram para custeio. O valor médio de custeio foi de R$ 16.838,99 e o valor médio de contratos de investimento foi de R$ 13.480,21.

Segundo o coordenador técnico estadual de Crédito Rural da Emater-MG, Marcos Meokarem, o Pronaf “é uma ferramenta que permite o agricultor expandir a sua atividade com condições de prazo, juros e carência que não se encontram no mercado. Quando aplicado e acompanhado de assistência técnica, o agricultor não tem dificuldades para saldar sua obrigações”.

O agricultor familiar pode financiar até R$ 200 mil para custeio e R$ 300 mil para investimento. O prazo de pagamento e carência podem variar de acordo com a linha de crédito. Os juros variam de 0,5% a 4% ao ano.

Para ter acesso ao benefício, os agricultores contam com a orientação técnica da Emater-MG. A Empresa é uma das entidades responsáveis pela emissão da Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAP). Para obter a declaração, o agricultor passa por uma entrevista e deve apresentar documentos pessoais e referentes a todas as propriedade em que desenvolve sua atividade, comprovante de renda de todos os membros da unidade familiar, comprovantes de insumos e rabanho, dentre outros. A Emater-MG também orienta e capacita os agricultores, além de elaborar projeto técnico necessário para a liberação do recursos.

“A Emater-MG é responsável pela elaboração de grande parte dos projetos de crédito rural do Estado, prestando assistência técnica de qualidade aos agricultores para que eles apliquem de maneira correta os recursos e obtenham resultados positivos”, diz Meokarem.

Crédito bem aplicado

A história da produtora Delibe Cordeiro de Menezes, no município de Paineiras, região Central de Minas, é um exemplo de boa aplicação do crédito rural. Ela e o marido, Pedro José Pereira, trabalhavam com pecuária leiteira em uma propriedade arrendada. A produção de leite do rebanho era 60 litros/dia. Em 2003, Delibe Menezes recebeu de herança uma pequena propriedade. Porém, o local não oferecia infraestrutura adequada para o desenvolvimento da pecuária leiteira. Para resolver o problema, a produtora buscou ajuda no escritório local da Emater-MG. O extensionista Giovani Chaves orientou Delibe Menezes a fazer um financiamento pelo Pronaf. O valor foi de R$ 18 mil. Os recursos foram utilizados na formação de capineira, construção de curral e construção de depósito para ração. A produção diária de leite da propriedade do casal passou de 60 para 100 litros. Dois anos depois, a produtora fez mais um financiamento no valor de R$ 9 mil para a formação de canavial, recuperação de pastagens e construção de cercas. Delibe Menezes fez ainda mais dois contratos pelo Pronaf. O dinheiro foi utilizado, entre outras coias, para a aquisição de animais.

Atualmente a produção leiteira da propriedade de Delibe Menezes é de 300 litros de leite/dia. Segundo ela, essa melhoria se deu por meio do Pronaf e a aplicação correta do financiamento aliados à assistência técnica da Emater-MG. “ Quando começamos, a gente não tinha dinheiro. Sem os financiamentos que fizemos, a nossa dedicação e a orientação da Emater-MG não teríamos conseguido chegar onde chegamos”, afirma a produtora.

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

Temer sanciona com veto lei que repassa custos do Fies com bancos para faculdades

Temer sanciona com veto lei que repassa custos do Fies com bancos para faculdades

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 2 de dezembro de 2016. Temer sanciona …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).