Inicio » Mais Seções » Beleza » Beleza – Teste conta truques de fotos ‘antes e depois’ em anúncios

Beleza – Teste conta truques de fotos ‘antes e depois’ em anúncios

Beleza – Teste conta truques de fotos ‘antes e depois’ em anúncios.

Em duas horas, voluntários estavam prontos para tirar a foto do 'depois'
Em duas horas, voluntários estavam prontos para tirar a foto do ‘depois’

Será que dá mesmo para confiar nas imagens que mostram perda de peso?

É muito comum ver na televisão, em revistas ou em outdoors por aí propagandas mostrando fotos do tipo ‘antes e depois’ de pessoas que perderam peso e ficaram em forma. Mas será que dá mesmo para confiar nessas imagens? É o que questionou o repórter da BBC Magazine, Justin Parkinson.

Dois voluntários que, à primeira vista – ou melhor, à primeira foto -, pareciam bem fora de forma e pálidos, aparecem na segunda imagem mais magros, elegantes e corados.

As fotos de antes e depois servem para mostrar os inúmeros benefícios de uma mudança para uma vida mais saudável – comendo melhor, fazendo mais exercícios e, em muitos casos, consumindo suplementos para ajudar no processo. Então, quanto tempo demorou para o homem e a mulher da esquerda se tornarem aqueles outros dois da direita? Basicamente, duas horas.

Antes e depois: como são produzidas as imagens que ilustram propagandas de produtos para perda de peso?
Antes e depois: como são produzidas as imagens que ilustram propagandas de produtos para perda de peso?

Teste

Um homem e uma mulher foram voluntários para as fotos que faziam parte de um especial da BBC galesa “Week In Week Out”, que investigou esses suplementos esportivos. O ‘regime’ consiste em fazer 15 minutos de exercícios leves, depois passar por um spray de bronzeamento artificial e, por último, melhorar a postura na hora de tirar a foto. Aí para deixar o trabalho ainda mais perfeito, basta um ajuste nas luzes da foto.

“Eu fiquei impressionada na primeira vez que vi a diferença”, disse Joe, o voluntário, que precisou depilar o peito para fazer a foto. “Nós não fizemos nada muito difícil entre uma foto e outra. E também não houve muita edição das fotos. Isso serve para mostrar o quão ruim essas propagandas são.”

.

PUBLICIDADE

///////////////////////////

O mercado da ‘boa forma’ é um negócio bem-sucedido há muito tempo. Durante a década de 1940, o levantador de peso Charles Atlas fez propaganda dos seus cursos de fisiculturismo descrevendo ele próprio como: “o fracote de 44 kg que se tornou o homem mais perfeitamente desenvolvido do mundo”. Os anúncios quase sempre mostravam histórias de como jovens magros haviam seguido sua ‘receita’ por um curto período e se transformaram e conseguiram enfrentar fortões que antes os haviam intimidado.

Atualmente, milhares de suplementos nutritivos são vendidos com o objetivo de ajudar as pessoas a desenvolver seus corpos. A indústria desses produtos rende mais de £300 milhões (R$ 1,3 bilhão) por ano no Reino Unido e, com as preocupações sobre obesidade ainda maiores agora do que no período pós-Segunda Guerra Mundial, a indústria global de perda de peso tem uma perspectiva de estar valendo £220 bilhões (mais de R$ 1 trilhão) até 2017.

A fórmula básica continua a mesma. “Se você é responsável por anunciar produtos de dieta, ou suplementos nutritivos e vitaminas para um cliente, você provavelmente seria demitido se não fizesse pelo menos uma campanha usando fotos de antes e depois”, disse Peter Davies, diretor da agência de relações públicas RMS.

Lei

As propagandas de rápida perda de peso ou que incluam fotos de antes e depois e que determinam ou implicam uma taxa específica de perda de peso são proibidas pela lei europeia, segundo um porta-voz do Serviço de Informação de Suplementos de Saúde.

Ele ainda diz que não há nenhuma proibição específica sobre fotos de antes e depois em relação a crescimento muscular, mas usá-las para fazer um apelo com relação a um produto podem ser vistas como uma forma de ‘enganar’ o consumidor. Um produto de proteína só pode ser anunciado como um produto que fornece materiais para ganho muscular que é realmente alcançado por meio dos exercícios.

“Um velho truque que os anunciantes passaram a usar era simplesmente evitar o uso das palavras ‘antes’ e ‘depois'”, explicou Davies. “Eles simplesmente imprimem as fotos com o texto para levar o leitor a entender que elas seriam do antes e depois do uso do produto.”

No entanto, as regras ficaram mais rígidas, segundo ele, e agora “qualquer coisa que possa enganar o consumidor ou induzi-lo a pensar dessa forma será punida pela Autoridade de Propagandas”. Mas poderia haver um lado positivo das propagandas com antes e depois?

“Você pode ver instantaneamente a confiança dos voluntários crescerem depois que eles veem as fotos do ‘depois'”, conta o fotógrafo Antti Karppinen, que fotografou os voluntários na experiência feita pela BBC. “Eles ficaram surpresos com a melhora que tiveram na aparência. Foi um incentivo para eles.”

.

PUBLICIDADE

///////////////////////////

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

Temer sanciona com veto lei que repassa custos do Fies com bancos para faculdades

Temer sanciona com veto lei que repassa custos do Fies com bancos para faculdades

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 2 de dezembro de 2016. Temer sanciona …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).