Inicio » Colunistas » Júlio Cesar Cardoso » Coluna – Genoino perdoado pelo STF

Coluna – Genoino perdoado pelo STF

Coluna – Genoino perdoado pelo STF

O país terminantemente está com as suas instituições falidas. Para que serve, então, o STF? Para dar salvo-conduto a bandido e para transigir com  pedidos de bancas advocatícias bem remuneradas com dinheiro ilícito? Onde estão a moralidade e a justiça da Suprema Corte, que revela não ter escrúpulo para desafiar a sociedade apolítica e trabalhadora ao conceder perdão judicial de um membro de  uma quadrilha política que há pouco tempo denegriu a imagem da nação, do Parlamento, dos partidos políticos e que serviu de exemplo negativo ao país, em que muitos jovens, revoltados com tantos escândalos, estão preferindo fazer a vida no exterior?

Não, brasileiros, a coisa vai de mal a pior. Onde a gente espera que haja respeito, pois é de lá que vem a grande decepção. O Supremo, com o perdão do Genoino, revela-se totalmente político e expõe o seu verniz partidário. Rende-se à indicação política dos membros do STF pelo governo do PT, retribuindo-lhe na primeira oportunidade surgida.

O que podemos dizer mais senão  continuarmos revoltados com os acontecimentos deploráveis a que assistimos no Brasil? O país precisa de uma tomada de decisão da sociedade nem que seja pela força. A paciência já chegou ao limite.

Ora, o Supremo – que foi palco de toda aquela cerimônia expositiva de grandiloquência jurídica para apreciar o rumoroso caso do mensalão, onde a maioria dos ministros, a contragosto de alguns e da cúpula política do PT, condenou à prisão e ao pagamento de multas indignos cidadãos, transgressores da lei, dos bons costumes, da ética, do decoro e da moralidade pública, que não tiveram comportamento republicano e chafurdaram o respeito da política – vem agora de forma flagrantemente imoral dar perdão a um dos políticos condenados no mensalão? É demais.

E o pior: aproveita o Supremo a brecha ou a fragilidade da Constituição, para incluir no rol do Decreto baixado em 24 de dezembro pela presidente Dilma Rousseff concedendo indulto natalino aos presos de todo o país que atendessem a determinados critérios. Assim, por unanimidade e para decepção de brasileiros honrados, apolíticos e honestos, ontem, 4/03/2015, o STF atestou que o petista preenche os requisitos e efetivou o benefício.

Pasmem: trata-se de benevolência que retroage à época natalina. Com efeito, este país é de quem tem mais cacife. O Fernandinho-Beira Mar deve estar muito chateado. Afinal, bandido é bandido, por que os bandidos políticos são melhores que os outros?

O Congresso Nacional tem que mudar a lei penal para crimes praticados por políticos.  Políticos que nos representam e praticam irregularidades deveriam ter tratamento em lei penal específica. E o STF não deveria conceder-lhes nenhum beneficio.

O condenado José Genoino usou de todas as artimanhas possíveis para se livrar do xilindró, inclusive simulação de problema de saúde. Ao final, ele venceu diante de um Judiciário pusilânime, político e injusto, quando deveria ser justo.

Júlio César Cardoso

Bacharel em Direito e servidor federal aposentado

Balneário Camboriú-SC

Júlio César Cardoso
Júlio César Cardoso

 

 

 

 

 

 

 

 

.

PUBLICIDADE

///////////////////////////

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

Temer sanciona com veto lei que repassa custos do Fies com bancos para faculdades

Temer sanciona com veto lei que repassa custos do Fies com bancos para faculdades

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 2 de dezembro de 2016. Temer sanciona …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).