Inicio » Montes Claros » Montes Claros – Ruy Muniz é um dos suspeitos da máfia dos combustíveis

Montes Claros – Ruy Muniz é um dos suspeitos da máfia dos combustíveis

Montes Claros – Ruy Muniz é um dos suspeitos da máfia dos combustíveis.

Montes Claros - Ruy Muniz é um dos suspeitos da máfia dos combustíveis
Montes Claros – Ruy Muniz é um dos suspeitos da máfia dos combustíveis

Durante busca e apreensão de documentos em um posto de combustível fornecedor da prefeitura, os investigadores encontraram uma nota promissória no valor de R$ 1,5 milhão em nome do prefeito e da mulher dele, a deputada federal Raquel Muniz.

Com autorização da 6ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, o Ministério Público Estadual (MPE) e a Polícia Civil deflagraram ontem a primeira fase da Operação Catagênese, para investigar 19 prefeitos suspeitos de desviar recursos públicos a partir de um esquema de fraudes em compras de combustíveis.

Entre os investigados, está o prefeito de Montes Claros, o empresário Ruy Muniz (PRB), alvo de diversos processos judiciais.

Durante busca e apreensão de documentos em um posto de combustível fornecedor da prefeitura, os investigadores encontraram uma nota promissória no valor de R$ 1,5 milhão em nome do prefeito e da mulher dele, a deputada federal Raquel Muniz (PSC).

Além de Rui, estão sendo investigados os prefeitos de Almenara, Augusto de Lima, Bandeira, Bocaiúva, Bom Jesus do Galho, Botumirim, Felixlândia, Frei Inocêncio, Gameleiras, Glaucilândia, Ipiaçu, Ma-tipó, Minas Novas, Santa Fé de Minas, São José da Lapa, São Lourenço, Tapira e Vespasiano.

A estimativa inicial é de um rombo de pelo menos R$ 20 milhões nos cofres públicos. De acordo com as investigações, as prefeituras reembolsavam despesas com combustível que, na realidade, foram pagas por terceiros.

O golpe é possível tendo em vista que, na maioria das vezes, não é comum a emissão de notas fiscais no ato do abastecimento. Devido a uma brecha na escrituração fiscal dos postos, os cupons são lançados como “pendentes”. Posteriormente, eram preenchidos em nome das prefeituras.

Os 19 gestores são alvo de inquéritos de falsidade ideológica e desvio de verbas públicas.

A ação de ontem ocorreu em 25 cidades, sendo que em seis delas houve buscas de documentos em postos. Nas demais, os departamentos de compras das prefeituras foram vasculhados pelos investigadores.

Secretários de primeiro escalão, servidores públicos e empresários donos dos postos de combustíveis estão entre os citados no inquérito, instaurado pela Polícia Civil em 2013.

Principal responsável pela investigação, o procurador Antônio Baeta informou que, apesar do golpe ser regionalizado, os suspeitos agiam como se fosse uma organização criminosa.

“As investigações vão continuar. Não dá para dizer que a fraude ocorreu só nesses 19 municípios. Acreditamos que estamos diante de algo bem maior”, admitiu Baeta.

Nos próximos dias, todos os prefeitos citados serão interrogados. Ao todo, estão previstas 400 oitivas. Ontem, 21 postos tiveram documentos recolhidos pelos fiscais da Receita Estadual e pela polícia. Quarenta e cinco computadores foram apreendidos. Cinco pessoas foram presas por porte ilegal de armas e munições.

O próximo passo agora é periciar a papelada confiscada. A previsão é a de que a investigação seja concluída em 120 dias.

PUBLICIDADE

///////////////////////////

Acusados negam irregularidade nas operações de compra

Por meio de nota, o prefeito de Montes Claros, Rui Muniz (PRB) e a mulher dele, deputada federal Raquel Muniz (PSC) refutaram qualquer tipo de irregularidade.Em relação à nota promissória de R$ 1,5 milhão, encontrada na contabilidade do posto de combustível investigado na Operação Catagênese, eles alegaram que se trata de contrato de garantia referente à compra de um imóvel.“A deputada e o prefeito foram avalistas na compra do imóvel, compra esta, realizada por um dos filhos do casal”, diz o comunicado.Sobre o inquérito que aponta fraude na compra de combustível pela prefeitura, Rui Muniz informou em nota que as compras foram realizadas com absoluta regularidade e legalidade. No comunicado, o prefeito parabenizou o Judiciário pela investigação e declarou que o compromisso da atual administração é com a transparência.“É preciso construir um Brasil melhor com boas práticas de gestão e tolerância zero com a corrupção. É papel do gestor público colaborar com a Justiça e os órgãos de controle. É o que estamos fazendo em Montes Claros”, diz trecho da nota.

 

PUBLICIDADE

///////////////////////////

Com informações do Portal HD
------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

MG - Jovem inventa que mãe está passando mal para estuprar vizinha

MG – Jovem inventa que mãe está passando mal para estuprar vizinha

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 5 de dezembro de 2016.MG – Jovem …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).