Inicio » Economia » Desemprego sobe e atinge 6,8% no trimestre encerrado em janeiro no país

Desemprego sobe e atinge 6,8% no trimestre encerrado em janeiro no país

A taxa média de desemprego do país no trimestre encerrado em janeiro fechou em 6,8% -superior ao patamar de 6,5% do trimestre encerrado em dezembro. Os dados são da Pnad Contínua, pesquisa sobre mercado de trabalho em âmbito nacional, divulgada pelo IBGE nesta quinta-feira (12).

Desemprego sobe e atinge 6,8% no trimestre encerrado em janeiro no país
Desemprego sobe e atinge 6,8% no trimestre encerrado em janeiro no país

Trata-se da primeira vez que o instituto apresenta informações trimestrais da pesquisa, até então com divulgações mensais. Como a base de coleta dos cerca de 200 mil domicílios é trimestral, a taxa de janeiro, na verdade, corresponde a uma média do trimestre encerrado em janeiro -no mês, apenas um terço da coleta foi realizada, por isso, não seria possível divulgar uma taxa mensal exclusiva para o primeiro mês do ano.

PROCURA POR TRABALHO AUMENTA
– No trimestre encerrado em janeiro, o número de empregados somou 92,7 milhões, permanecendo praticamente estável em relação ao período de três meses findo em outubro (92,6 milhões). O número de cerca de 100 mil empregos gerados não foi suficiente para cobrir a maior procura por trabalho (expressa pelo aumento do total de desempregados).

Com isso, houve aumento da taxa de desemprego -indicador que relaciona as pessoas desempregadas a procura de uma vagas e o total de desocupados e ocupados (esses dois grupos, somados, formam a força de trabalho).O contingente de desempregados subiu de 6,6 milhões no trimestre até outubro para 6,8 milhões no período fechado em janeiro, o que corresponde a um acréscimo de 200 mil pessoas sem trabalho.

Pela primeira vez também, o IBGE apurou o rendimento do trabalho, estimado em janeiro em R$ 1.795,93, com alta de 1% em relação ao trimestre fechado em outubro. A Pnad Contínua é mais abrangente pesquisa de emprego do IBGE. Enquanto a PME (Pequisa Mensal de Emprego) investiga as seis principais regiões metropolitanas, a amostra da Pnad Contínua coleta dados em todo o país.

SUBSTITUIÇÃO –
A Pnad irá substituir a atual PME, que só deve ir a campo até dezembro. O levantamento está, porém, ainda incompleto do ponto de visto de indicadores a serem divulgados: somente ao longo deste primeiro semestre é que serão apresentados dados de rendimento e por setores.

Os dados mostram que a taxa de desemprego em nível nacional se situa sempre acima daquela das metrópoles, cuja economia é mais dinâmica e mais baseada no setor de serviços -que sustentou o emprego e o PIB nos últimos anos. Pela PME, a taxa de desemprego ficou em 4,8% na média de 2014.

Em janeiro, a taxa ficou em 5,3%, acima dos 4,3% de dezembro e superior 4,8% de janeiro de 2013. Foi num primeiro sinal da deterioração do mercado de trabalho esperada para 2015 com a queda prevista do PIB, freada do consumo, desaceleração do rendimento, menor oferta de crédito, juros mais elevados e especialmente inflação em um nível maior -o que corrói o poder de compra das famílias. Os dados da Pnad Contínua confirmam essa tendência.

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

Temer sanciona com veto lei que repassa custos do Fies com bancos para faculdades

Temer sanciona com veto lei que repassa custos do Fies com bancos para faculdades

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 2 de dezembro de 2016. Temer sanciona …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).