Inicio » Norte de Minas » Norte de Minas – Paulo Guedes é condenado por improbidade

Norte de Minas – Paulo Guedes é condenado por improbidade

Norte de Minas – Paulo Guedes é condenado por improbidade

Paulo Guedes tem os direitos políticos suspensos. Segundo a sentença ele teria usado a Avams em benefício próprio enquanto era presidente.

Governador fernando Pimentel empossa secretário de Estado de desenvolvimento e integração do Norte e Nordeste de Minas Gerais. 04-02-15 Montes Claros-MG Foto: Manoel Marques/imprensa Mg
Governador fernando Pimentel empossa secretário de Estado de desenvolvimento e integração do Norte e Nordeste de Minas Gerais.
04-02-15 Montes Claros-MG
Foto: Manoel Marques/imprensa Mg

O secretário estadual de Desenvolvimento e Integração do Norte e Nordeste de Minas Gerais, Paulo Guedes (PT), que em outubro de 2014, foi eleito o deputado estadual mais bem votado de Minas Gerais com 164.831 votos, foi condenado por improbidade administrativa pela juíza Rosana Silqueira da Paixão, da 1ª Vara Empresarial e de Fazenda Pública da Comarca de Montes Claros.

De acordo com a sentença, publicada nesta sexta-feira (20), no site do Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais, Paulo Guedes aproveitou o cargo de presidente da Associação de Vereadores da Área Mineira da Sudene (Avams), em 2001, para utilizar “bens pertencentes à indigitada associação, bem como os serviços prestados pelo segundo requerido, enquanto funcionário da entidade, para fins particulares”.

PUBLICIDADE

///////////////////////////

.

Na ocasião, segundo a sentença, os recursos da Avams foram utilizados “especialmente para confecção de matérias para o Jornal Vale do Sol”, administrado por Paulo Guedes.

Guedes foi condenado a pagamento de multa no valor de três vezes a remuneração que ele recebia enquanto vereador à época dos atos, na cidade de Manga, no Norte de Minas. Ele teve os direitos políticos suspensos por oito anos e fica proibido de contratar com o poder público ou receber incentivos fiscais no período de 10 anos. Paulo Guedes ainda pode recorrer da decisão.

Procurado pelo Jornal Montes Claros, inicialmente a assessoria de Guedes informou que falaria do assunto em uma entrevista coletiva, mas posteriormente a coletiva foi cancelada e o deputado se pronunciou através de nota.

Pela nota, a assessoria de imprensa afirmou que ele ainda não foi notificado oficialmente da sentença. A nota diz ainda que Paulo Guedes “irá recorrer da decisão e se pronunciará nos autos do processo e que  confia na justiça e na certeza de que esse erro será devidamente esclarecido”.

A decisão condena ainda Renato Lopes Santos de Carvalho, funcionário da Avams na época dos atos. Ele teria participado nos mesmos atos praticados por Paulo Guedes. Santos terá de pagar multa no valor de cinco vezes a remuneração recebida por ele no período em que era funcionário da Avams, além de ficar proibido contratar com o Poder Público ou receber incentivos fiscais no período de cinco anos.

Por telefone, Renato Lopes Santos de Carvalho também afirmou que não foi notificado oficialmente da decisão. Segundo ele, assim que for notificado irá recorrer.

PUBLICIDADE

///////////////////////////

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

O responsável pela cirurgia o neurocirurgião César Felipe Gusmão Santiago

Montes Claros – Santa Casa de Montes Claros realiza cirurgia inédita para retirada de tumor cerebral

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 9 de dezembro de 2016.Montes Claros – …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).