Inicio » Esporte » Campeonato Mineiro » Campeonato Mineiro 2015 – Cruzeirenses protestam e jogam milho nas imediações da sede da FMF

Campeonato Mineiro 2015 – Cruzeirenses protestam e jogam milho nas imediações da sede da FMF

Campeonato Mineiro 2015 – Cruzeirenses protestam e jogam milho nas imediações da sede da FMF

Campeonato Mineiro 2015 - Cruzeirenses protestam e jogam milho nas imediações da sede da FMFCampeonato Mineiro 2015 - Cruzeirenses protestam e jogam milho nas imediações da sede da FMF
Campeonato Mineiro 2015 – Cruzeirenses protestam e jogam milho nas imediações da sede da FMF

A torcida do Cruzeiro parece não ter ficado nada satisfeita com a decisão final sobre o dia do jogo de volta contra o Atlético, pelas semifinais do Mineiro, que será mesmo neste domingo. Na madrugada desta quinta-feira, foram jogados grãos de milho na frente da Federação Mineira de Futebol, e as imagens já circulam em grupos de cruzeirenses nas redes sociais.

PUBLICIDADE

///////////////////////////

.

Nessa quarta-feira, o Cruzeiro solicitou uma medida de garantia junto ao Tribunal de Justiça Desportiva de Minas Gerais para garantir o jogo no sábado. O TJD-MG decidiu, no entanto, manter o duelo para domingo, às 16h, no Mineirão. O time celeste chegou a indicar que recorreria junto ao Pleno do Superior Tribunal de Justiça Desportiva, mas acabou desistindo. Presidente celeste, Gilvan de Pinho Tavares justificou a decisão alegando que não haveria tempo para que o Pleno se posicionasse sobre o assunto.

Desde a definição do confronto entre as equipes na fase do Estadual, criou-se um grande imbróglio entre as partes, que teriam de conciliar os jogos do Mineiro com os da Libertadores. Para a primeira partida, o Cruzeiro havia solicitado o jogo no sábado, pois enfrentaria o Huracán (ARG) na terça-feira, pelo continental. O Atlético, mandante na ocasião, não abriu mão da partida no domingo e conseguiu decisão favorável junto à Federação Mineira de Futebol.

Para o segundo jogo das semifinais, a polêmica cresceu ainda mais. Por ser mandante da volta e mais uma vez se vendo na mesma situação – com partida diante do Universitario Sucre (BOL) na próxima terça – o Cruzeiro esperava ter uma posição favorável da FMF para que o jogo fosse realizado neste sábado.  Novamente, a Raposa não teve seu pedido atendido.

Nessa quarta-feira, a reunião para definir detalhes do clássicou acabou em bate-boca. Gerente de futebol do Cruzeiro, Valdir Barbosa, mostrou-se irritado com a confirmação da partida para domingo e discutiu com o secretário-geral da FMF, Adriano Aro. O dirigente celeste alegou que havia obtido uma garantia do presidente Castellar Neto de que a partida seria no sábado.

“O Castellar não pode se acovardar. Tem que encarar o torcedor do Cruzeiro, no restaurante, como eu e o Gilvan fazemos. Não estamos incitando a violência ou alguma forma de represália, mas dizendo que ele tem que responder, já que não estava na reunião, não apareceu”, disparou Valdir, que se disse incrédulo em relação à entidade.

Do Super FC

PUBLICIDADE

///////////////////////////

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

MG - Jovem inventa que mãe está passando mal para estuprar vizinha

MG – Jovem inventa que mãe está passando mal para estuprar vizinha

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 5 de dezembro de 2016.MG – Jovem …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).