Inicio » Norte de Minas » Norte de Minas – Norte de Minas reivindica mais incentivos para a Agricultura Familiar

Norte de Minas – Norte de Minas reivindica mais incentivos para a Agricultura Familiar

Norte de Minas – Norte de Minas reivindica mais incentivos para a Agricultura Familiar

Situação crítica dos últimos 4 anos exige medidas emergentes do poder público.

Sedinor recebe demanda por mais incentivos para a agricultura e pecuária  no Norte de Minas
Sedinor recebe demanda por mais incentivos para a agricultura e pecuária no Norte de Minas

Nessa sexta-feira, 17 de abril, representantes de entidades de classe e órgãos de fomento de apoio ao produtor rural entregaram ao Secretário de Estado Desenvolvimento e Integração do Norte e Nordeste de Minas Gerais, Paulo Guedes, documento contendo dados da situação crítica do Norte de Minas em relação à agricultura familiar. O documento contém ainda, sugestões para sanar a questão que se agrava e diminui consideravelmente tanto a área plantada, quanto o número de cabeças de gado no norte de Minas.

A articulação teve início no dia 13 de abril, numa reunião entre a Sociedade Rural, Sindicato Rural, Banco do Nordeste, Banco do Brasil, Sicoob Credinor, Associação Comercial Industrial e de Serviços de Montes Claros, EMATER, empresários do setor e lideranças de outros municípios do Norte de Minas, para tratar sobre linhas de crédito voltadas para o agronegócio em prol do desenvolvimento regional.

O Brasil passa por um período de crise, mas no Norte de Minas, são pelo menos quatro anos de estiagem prolongada. Dados da Emater mostram que a área plantada de grãos no Norte de Minas diminui a cada ano.  ”Há 30 anos, a área plantada era de 220 mil hectares, devido aos poucos incentivos e ao clima seco, muitos produtores migraram para a bovinocultura”. Em 2013, foram 150 mil hectares plantados. Em relação ao volume da produção de grãos, 600 mil toneladas em 1985, para 96 mil toneladas em 2013.

Existe uma visível diferença de investimentos em relação a outras regiões do Estado. “Em 2013, a região de Patos de Minas com 25 municípios foi contemplada com 10,8 % dos contratos de crédito Rural – Trator; e a região do Norte de Minas com 89 munícipios foi contemplada com apenas 3% dos contratos de crédito Rural – Trator em relação ao total de contratos do estado de Minas Gerais.  Portanto, diante do exposto solicitamos ao Senhor Secretário que defenda a liberação de recursos junto ao Ministério do Desenvolvimento Agrário, principalmente, relacionado ao programa PRONAF/Mais Alimentos”, frisa Ricardo Demichelli, gerente regional da Emater.

“Sabemos que, os bancos de fomento dessa região necessitam de quase 60 milhões de reais para realizar investimentos voltados para o agronegócio e principalmente a Agricultura familiar junto ao Banco do Brasil”, completa Gilberto Gualter, empresário do agronegócio. As lideranças sugerem que, em relação ao Banco do Nordeste, onde há disponibilidade de recursos, que a SEDINOR faça uma intermediação entre os elaboradores de projetos e os técnicos do banco com o objetivo de alinhamento de procedimentos operacionais, visando dar mais agilidade aos processos.

PUBLICIDADE

///////////////////////////

.

Segurança alimentar começa no campo

“A Agricultura Familiar gera mais de 80% da ocupação no setor rural e responde no Brasil por sete de cada 10 empregos no campo e por cerca de 40% da produção agrícola. Atualmente a maior parte dos alimentos que abastecem a mesa dos brasileiros vem das pequenas e médias propriedades”, destaca Demichelli. “A agricultura familiar favorece emprego de práticas produtivas ecologicamente mais equilibradas, como a diversificação de cultivo, o menor uso de insumos industriais e a preservação do patrimônio genético”.

De acordo com o último Censo Agropecuário, a agricultura familiar responde por 37,8% do valor bruto da produção agropecuária. De acordo com a Secretaria de Agricultura Familiar, aproximadamente 13,8 milhões de pessoas trabalham em estabelecimentos familiares, o que corresponde a 77% da população que se ocupa da agricultura.

“Como iniciativa imediata, necessitamos que seja aprovada uma medida provisória, permitindo que os benefícios da resolução do Banco Central do Brasil n° 4.211/2013, que prorrogou as dividas vencidas e vincendas como também concedeu bônus para quitação das parcelas sejam igualmente aplicados para os anos 2015, 2016, 2017 e 2018”, diz o ponto principal do documento.

O secretário Paulo Guedes se prontificou a levar as demandas dos norte-mineiros para serem tratadas em caráter de urgência, nos próximos dias, em Brasília e Belo Horizonte. “Vamos fazer um a força tarefa em prol do agricultor familiar, com o apoio de toda a sociedade organizada e reverter o quadro de estagnação por qual passa nossa região”, concluiu.

Agência Mosaico

PUBLICIDADE

///////////////////////////

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

Temer sanciona com veto lei que repassa custos do Fies com bancos para faculdades

Temer sanciona com veto lei que repassa custos do Fies com bancos para faculdades

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 2 de dezembro de 2016. Temer sanciona …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).