Inicio » Montes Claros » Montes Claros – Implantação da Cidade Administrativa de Montes Claros é tema de audiência na Câmara Municipal de Montes Claros

Montes Claros – Implantação da Cidade Administrativa de Montes Claros é tema de audiência na Câmara Municipal de Montes Claros

Montes Claros – Implantação da Cidade Administrativa de Montes Claros é tema de audiência na Câmara Municipal de Montes Claros

Montes Claros - Implantação da Cidade Administrativa de Montes Claros é tema de audiência na Câmara Municipal de Montes Claros
Montes Claros – Implantação da Cidade Administrativa de Montes Claros é tema de audiência na Câmara Municipal de Montes Claros

A Prefeitura de Montes Claros terá uma economia anual de R$ 3,7 milhões com a centralização das atividades administrativas em um só local. Este dado foi divulgado por representantes da municipalidade na manhã de quinta-feira (23), durante audiência pública realizada pela Câmara Municipal para discutir a proposta de aquisição de terreno e transferência da sede administrativa municipal para o imóvel onde há anos funcionava a fábrica da Coteminas, na região norte da cidade. A exemplo de outros centros urbanos mineiros, como Uberlândia, Uberaba e Betim, onde os serviços da administração pública estão concentrados em um único local, Montes Claros poderá ter ainda neste ano a sua Cidade Administrativa, caso o Legislativo aprove na próxima terça-feira (28), o Projeto de Lei autorizando o Executivo a adquirir o imóvel.

PUBLICIDADE

///////////////////////////

.

O terreno será adquirido pela Prefeitura pelo valor de R$ 48 milhões, enquanto outros R$ 18 milhões serão gastos na reforma e mais R$ 12 milhões na compra de móveis e equipamentos. No entanto, estes recursos não onerarão os cofres da Prefeitura. O motivo é simples: o terreno, que tem 162 mil metros quadrados, terá parte dele (cerca de 80 mil metros quadrados) vendido para a iniciativa privada, que irá construir no local diversos estabelecimentos (bancos, restaurantes, lanchonetes, despachantes, cartórios, entre outros) para atender, principalmente, aos cerca de seis mil servidores públicos municipais.

Com isso, o município estima que irá arrecadar, com a venda de parte do terreno, pelo menos R$ 80 milhões. Além disso, já estão avançadas as negociações para que a Prefeitura também possa obter financiamento junto ao BNDES, através do PMAT (Programa de Modernização da Administração Tributária), para adequar e agilizar os serviços oferecidos à população.

Na Cidade Administrativa de Montes Claros deverão trabalhar cerca de 1,8 mil servidores, distribuídos em oito secretarias, além dos gabinetes do prefeito e do vice-prefeito e seus respectivos órgãos assistentes. A expectativa é que a produtividade aumente entre 15% e 30%, devido à maior sinergia entre os servidores, ampliação da segurança dos dados, mais qualidade na prestação dos serviços, melhoria na gestão de processos e pessoas, além do aperfeiçoamento da comunicação interna.

O empresário João Gustavo Rebelo de Paula, diretor da Coteminas, garantiu que a população de Montes Claros será beneficiada com a centralização das atividades da Prefeitura em um só lugar. “Atualmente, percebo que muitas pessoas acabam se estressando com os trâmites burocráticos do setor público em ter que ir de um lugar para o outro, às vezes até em bairros distantes, para resolver assuntos. Com certeza, a partir da implantação da Cidade Administrativa,  esta situação será minimizada”, explica.

Para o vice-presidente da Coteminas, Pedro Garcia, o imóvel a ser adquirido pela municipalidade irá gerar economia para os cofres públicos, já que a estrutura física existente se adequa à legislação arquitetônica e de segurança atual, necessitando apenas de algumas adaptações de baixo custo.

Já o presidente do Conselho de Desenvolvimento Sustentável de Montes Claros – CODEMC –, Edilson Torquato, que também é presidente da Associação Comercial, Industrial e de Serviços – ACI –, se declarou a favor do empreendimento e disse que Montes Claros, como a quinta maior cidade de Minas Gerais, tem muito a ganhar com a implantação da Cidade Administrativa, que também vai incentivar o desenvolvimento da região norte, com a valorização dos imóveis e a implantação de um novo centro comercial e empresarial.

O prefeito Ruy Muniz revelou que, com a implantação da Cidade Administrativa, o prédio que atualmente abriga a sede da Prefeitura irá se transformar no primeiro Centro de Especialidades Médicas do interior de Minas. No local, a população fará consultas de diversas especialidades, como cardiologia, neurologia e oftalmologia, além de realizar exames especializados, como de tomografia, endoscopia e ultrassonografia, além de cirurgias eletivas. Também garantiu que “os recursos para a compra do imóvel não serão tirados do caixa da Prefeitura, não atrapalhando, assim, as obras que continuam a todo vapor em todos os bairros, com asfalto, escolas e unidades de saúde”.

PUBLICIDADE

///////////////////////////

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

Montes Claros - PM procura por autores de roubo a posto de saúde no bairro Morada do Sol

Montes Claros – PM procura por autores de roubo a posto de saúde no bairro Morada do Sol

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 9 de dezembro de 2016.Montes Claros – …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).