Inicio » Norte de Minas » Norte de Minas – Crise hídrica em Francisco Sá

Norte de Minas – Crise hídrica em Francisco Sá


Reviewed by:
Rating:
5
On 26 de junho de 2015
Last modified:26 de junho de 2015

Summary:

Norte de Minas - Crise hídrica em Francisco Sá

Norte de Minas - Crise hídrica em Francisco Sá
Norte de Minas – Crise hídrica em Francisco Sá

.

AMAMS E AMMESF reúnem secretários e deputados em busca de soluções.

A seca estacionada sobre Francisco Sá entre 2014/2015 provocou uma queda de aproximadamente de 67,55% na capacidade de captação de água. Em busca de uma solução que ajude a minimizar os efeitos causados pela estiagem prolongada, a prefeitura  de Francisco Sá convocou a Associação dos Municípios da Área Mineira da Sudene (AMAMS), Associações dos Municípios da Bacia do São Francisco (AMMESF) e órgãos estaduais e federais para o  1º Fórum Municipal da Seca e da Crise Hídrica de Francisco Sá, na manhã de sexta-feira 26/06, a partir das 9 horas, no auditório da Câmara dos Vereadores.

O prefeito de Francisco Sá, Denilson Silveira, que também responde pela presidência da AMMMESF, disse que a “luz vermelha” está acesa há muito tempo e o momento é de alerta constante e de busca de apoio dos governos Estadual e Federal para resolver esta grave crise hídrica que atinge o seu município e os outros da região.

De acordo com dados repassados pelo Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE), a oferta de água tratada em Francisco Sá tem um quadro assustador atualmente, mas ele já vem se agravando há quase uma década.

O Boticário

///////////////////////////

.

A Barragem de São Domingos opera com apenas 3% da sua capacidade e o abastecimento de água no município está comprometido e já está acontecendo o revezamento de distribuição de água nos bairros.

Silveira informou que já existe o atendimento de distribuição de água através de caminhão pipa, não só na zona rural, mas também em alguns bairros da sede.

“Estamos fazendo a nossa parte para garantir a água à nossa população. Além de caminhões pipa, recentemente perfuramos oito poços artesianos, dois na sede e seis na zona rural. Mas ano após ano estamos contabilizando prejuízos. Mais de 60% do nosso rebanho já foram comercializados para que as perdas não sejam ainda maiores. A nossa safra agrícola teve uma perda no período de 2014/2015, de 95%. E a nossa bacia leiteira da qual era motivo de orgulho para os produtores e a população, que figurava em 2º lugar no ranking estadual, a tendência é de uma grande queda”, informou Silveira.

REUNIÕES ITINERANTES

O Presidente da AMAMS, César Emílio, prefeito de Capitão Enéas, município vizinho de Francisco Sá, disse que os prefeitos precisam estar mobilizados, por isso aceitou a sugestão de Denilson Silveira de, em parceria com a AMMESF realizar a 2ª Reunião Itinerante no município franciscosaense.

“A seca é um problema cíclico e que nos últimos anos tem se agravado. Em todas as reuniões políticas a crise hídrica e a seca sempre estão na pauta. Como saber conviver com esta realidade que piorou nos últimos quatro anos é a meta dos prefeitos e dos governos estadual e federal. As nossas reuniões itinerantes estão acontecendo para que através delas seja montada uma agenda única e positiva que será levada aos governos das duas esferas, cobrando um tratamento em caráter de urgência e diferenciado aos municípios do Grande Norte de Minas”, assinalou o presidente da AMAMS.

PRESENÇAS

Para o 1º Fórum Municipal da Seca e da Crise Hídrica de Francisco Sá nesta sexta-feira, estão confirmadas as presenças dos secretários Tadeuzinho Martins, da Sedru; e Paulo Guedes, da Sedinor; dos deputados Celinho do Sintrocel, Raquel Muniz, e Gil Pereira, além de técnicos e representantes do Idene/Sedinor, IMA, Cedec-MG, Copasa, Codevasf, Emater, Exército, Sindicato dos Produtores Rurais de Francisco Sá.

VIATOTAL

ViaTotal

///////////////////////////

.

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).