Inicio » Norte de Minas » Cultura NM – Cinema no Rio São Francisco chega a 10ª edição‏

Cultura NM – Cinema no Rio São Francisco chega a 10ª edição‏

Trajetória do projeto é marcada pela valorização da cultura ribeirinha e pela importância da conservação do Velho Chico 

Cultura NM - Cinema no Rio São Francisco chega a 10ª edição‏
Cultura NM – Cinema no Rio São Francisco chega a 10ª edição‏

.

PUBLICIDADE

///////////////////////////

.

Levar a magia do cinema para a população ribeirinha do Velho Chico é o maior objetivo do projeto Cinema no Rio São Francisco, que realiza a sua 10ª edição entre os dias 19 de agosto e 02 de setembro (programação abaixo). Outra proposta do projeto é a democratização do acesso à cultura por meio da exibição de curtas e longas-metragens nacionais em comunidades que vivem a beira do rio da integração nacional. Desde 2004, mais de 300 mil pessoas assistiram às sessões de cinema ao ar livre, que reúnem crianças, jovens e adultos, incluindo muitos moradores que nunca haviam visto um filme na telona.

O projeto é motivo de orgulho e satisfação para toda a equipe, principalmente para Inácio Neves. “Quando o Cinema no
 Rio começou, em 2004, eu jamais imaginaria chegar à 10ª edição. Hoje, já fazemos parte do calendário dessas comunidades e somos recebidos sempre com muito carinho”, conta o idealizador do projeto.

Os sentimentos, no entanto, são um misto de alegria e tristeza. “Ao longo desses anos vimos o projeto crescer e tomar forma, mas também vimos o Velho Chico esmaecer. O rio, que antes era tão presente e tão importante na vida dessas comunidades, está cada dia mais seco e esquecido”, conta. A equipe sentiu isso na pele no ano passado, quando o projeto, que antes descia o São Francisco em barco, teve de realizar o trajeto em um ônibus devido à impossibilidade de navegação. Esse ano, a equipe também segue por terra.

O projeto também busca denunciar a situação do rio São Francisco a partir dos filmes que produz e das atividades que realiza, outro objetivo fundamental do Cinema no Rio. Tão importante quanto expor os problemas e dificuldades da região é valorizar as belezas locais e fazer com que mais pessoas se encantem pelo rio, chamando a atenção para a urgência da preservação do rio e de seus afluentes.

Dia a dia

O projeto leva diversas atividades para as comunidades ribeirinhas, como a oficina de Fotografia Lúdica, que busca despertar um novo olhar para a fotografia em crianças e adolescentes das escolas públicas das cidades que passa. As oficinas foram desenvolvidas pela Cinear e Confluência, dentro de um conceito de troca de vivências e informações culturais entre professores e alunos, visando à iniciação de crianças e adolescentes da região e despertando vocações. Outra atividade importante do projeto é a pesquisa antropológica, na qual parte da equipe realiza entrevistas com a população, principalmente os mais idosos, com o objetivo ouvir e registrar a história, a cultura e as tradições das pessoas e do local onde vivem.

Mas a hora mais esperada é mesmo o momento em que as luzes se apagam e o telão inflável se enche de cores e sons. Entre os curtas-metragens desse ano estão Marina não vai à praia, de Cássio Pereira dos Santos, e a animação Josué e o pé de macaxeira, de Diogo Viegas. Entre os longas-metragens estão Cine Holliúdy, de Halder Gomes, e A Batalha do Passinho, de Emílio Domingos. O destaque esse ano vai para o O Sal da Terra, dirigido por Win Wenders e Juliano Salgado. O documentário conta a trajetória do aclamado fotógrafo mineiro Sebastião Salgado e as histórias das suas fotos.

Antes da exibição desses filmes, o projeto traz um documentário sobre a cidade. Nesse momento, a população local tem a oportunidade de se ver no telão e assistir um pouco da própria história. A atividade começou logo na 3ª edição do projeto, como objetivo de valorizar a cultura da região. Para comemorar a 10ª edição, cada cidade recebe um curta-metragem novo e outro antigo, gravado em outros anos. “A ideia é mostrar um pouco da trajetória do projeto e da própria cidade. Um menino de 15 anos, por exemplo, vai ter a possibilidade de ser ver quando ainda tinha 8”, se diverte, Inácio.

Programação:

19/08 – Felixlândia – MG
20/08 – Andrequicé – MG
21/08 – Ibiaí – MG
22/08 – Pirapora – MG
23/08 – Cachoeira do Manteiga – MG
25/08 – Ponto Chique – MG
26/08 – São Romão – MG
27/08 – Mocambo – MG
28/08 – Pedras de Maria da Cruz – MG
29/08 – Januária – MG
30/08 – Itacarambi – MG
01/09 – Manga – MG
02/09 – Matias Cardoso – MG

SERVIÇO
Cinema no Rio São Francisco 2015
10ª Edição – 19 de agosto a 2 de setembro

Realização
: CineAR Produções
Patrocínio: Oi e Petrobrás
Apoio: Oi Futuro, Rádio Inconfidência, Sat Plus, Confluência, O Vivido. Projeto executado através da Lei Estadual de Incentivo à Cultura de Minas Gerais.

.

PUBLICIDADE

///////////////////////////

.

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

MG - Jovem inventa que mãe está passando mal para estuprar vizinha

MG – Jovem inventa que mãe está passando mal para estuprar vizinha

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 5 de dezembro de 2016.MG – Jovem …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).