Inicio » Minas Gerais » Centro Oeste de Minas » MG – Mulher que sofria de maus-tratos mata marido a facadas

MG – Mulher que sofria de maus-tratos mata marido a facadas


Reviewed by:
Rating:
5
On 19 de agosto de 2015
Last modified:19 de agosto de 2015

Summary:

MG - Mulher que sofria de maus-tratos mata marido a facadas

O crime aconteceu na noite dessa terça-feira (18).

Uma mulher, cansada de sofrer com agressões e ameaças, matou o marido a facadas, na rua Minas Gerais, em Carmo do Cajuru, na região Centro-Oeste de Minas.

MG - Mulher mata marido bêbado a facadas
MG – Mulher mata marido bêbado a facadas

.

Natura

///////////////////////////

.

A suspeita, de 28 anos, contou à Polícia Civil que o companheiro Aleisson Batista Lucino, de 27, chegou em casa bêbado com uma faca e fez ameaças contra ela. Em defesa, a mulher partiu para uma luta corporal, os dois rolaram no chão e ela conseguiu tirar a arma da mão dele e o esfaqueou na barriga.

Segundo o sargento do 4º Pelotão de Carmo Cajuru Adeon de Moura, os militares foram acionados por volta das 21h50 pela enfermeira que fez o atendimento da vítima. Quando chegaram ao local, a mulher já havia fugido.

“Recebemos uma denúncia anônima de que ela estaria na casa de parentes. Fomos até a casa da mãe dela, que nos contou que ela só passou para deixar os filhos e foi para a casa de um irmão, onde foi encontrada depois”, conta Moura. Durante a madrugada desta quarta-feira (19), a suspeita foi presa em flagrante e levada para a delegacia. A arma do crime não foi recuperada, segundo a Polícia Militar.

.

O Boticário

///////////////////////////

.

Uma colega de trabalho da mulher, que não quis se identificar, contou que durante o dia percebeu a faxineira abatida. “Ela estava muito triste. Não falava muito sobre isso. Mas a gente sabia que eles brigavam muito. O marido dela bebia muito e batia nela”, relata. Os militares que estiveram na ocorrência relataram que vizinhos próximos á casa comentaram das brigas rotineiras entre os dois.

De acordo com o delegado Domingos Fávio Calisto, que acompanha o caso, há possibilidade da mulher responder por legítima defesa. Entretanto, ele ressalta o fato de a mulher não ter procurado a polícia durante a briga pode pesar.”Quando questionada do porquê não chamou a polícia no momento que tirou a faca do companheiro, ela não soube responder. Isso pode ser um ponto negativo contra ela”, explica Calisto.

Juntos há três anos, o casal estava passando por uma reconciliação recente. “Eles estavam separados na semana passada. Ela saiu de casa e foi para a casa dos pais. Mas ele ameaçou e aí ela voltou”, conta a colega de trabalho da suspeita.

.

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).