Inicio » Política » Em discurso, Dilma Rousseff defende ‘remédios amargos’ na crise

Em discurso, Dilma Rousseff defende ‘remédios amargos’ na crise


Reviewed by:
Rating:
5
On 8 de setembro de 2015
Last modified:8 de setembro de 2015

Summary:

Em discurso, Dilma Rousseff defende 'remédios amargos' na crise

A presidente admitiu que políticas adotadas em seu primeiro mandato contribuíram para as dificuldades atuais;

A presidente Dilma Rousseff disse nesta segunda-feira (7) que as dificuldades econômicas que o país enfrenta obrigaram o governo a administrar “remédios amargos” e exigem que as forças políticas ponham de lado “interesses individuais ou partidários”.

.

Natura

///////////////////////////

.

Em pronunciamento divulgado nas redes sociais da internet para celebrar o Sete de Setembro, a presidente admitiu que políticas adotadas em seu primeiro mandato contribuíram para as dificuldades atuais, mas disse que seu objetivo era preservar empregos e investimentos.

“As dificuldades e os desafios resultam de um longo período em que o governo entendeu que deveria gastar o que fosse preciso para garantir o emprego e a renda do trabalhador, a continuidade dos investimentos e dos programas sociais”, disse. “Agora, temos que reavaliar todas essas medidas e reduzir as que devem ser reduzidas.”

Ela defendeu as medidas de austeridade adotadas pelo governo, que incluíram cortes de despesas e aumento das taxas de juros, como necessárias para conter a inflação e recuperar a economia.

“Se cometemos erros, e isso é possível, vamos superá-los e seguir em frente”, afirmou. “Alguns remédios para essa situação, é verdade, são amargos, mas são indispensáveis”.

“As medidas que estamos adotando são necessárias para botar a casa em ordem, reduzir a inflação, por exemplo, nos fortalecer diante do mundo e conduzir o mais breve possível o Brasil à retomada do crescimento”, acrescentou.

Dilma defendeu o “esforço de todos” para superar a crise. “A união em torno dos interesses de nosso país e de nosso povo é a força capaz de nos conduzir nessa travessia”, disse. “Devemos nesta hora estar acima das diferenças menores, colocando em segundo plano os interesses individuais ou partidários.”

A presidente se disse “preparada” para “conduzir o Brasil no caminho de um novo ciclo de desenvolvimento”, retomando o discurso que adotou na campanha eleitoral do ano passado, e disse que não haverá “recuos” nem “retrocessos”.

“Nenhuma dificuldade me fará abrir mão da alma e do caráter do meu governo”, afirmou. “A alma e o caráter do meu governo é assegurar, neste país de grande diversidade, oportunidades iguais para nossa população, sem recuos, sem retrocessos.”

FolhaPress

.

O Boticário

///////////////////////////

.

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).