Inicio » Colunistas » Antonio Ribeiro » Coluna do Antonio Ribeiro – O segredo da viúva

Coluna do Antonio Ribeiro – O segredo da viúva


Reviewed by:
Rating:
5
On 30 de setembro de 2015
Last modified:30 de setembro de 2015

Summary:

Coluna do Antonio Ribeiro - O segredo da viúva

Arlete, viúva bonita e gostosona, morava em um casarão antigo, numa cidade do norte de Minas, juntamente com três filhas de copos esculturais, de nomes Áurea, Bianca e Clara. Bem vestidas e maquiadas com esmero passeavam todas as manhãs pelo largo da Matriz, tirando o juízo dos homens, inclusive dos casados.

Sua vizinha Edith, fofoqueira maior daquela cidade, jamais entrou na casa da viúva. Espalhava que se tratavam das grã-finas da rua. Porém, determinado dia, na hora do almoço, Edith recebeu telefonema interurbano, avisando que o marido de Arlete havia falecido.

(Ah! então ela não era viúva, pensou Edith)

Apressadamente Edith tocou a campainha da casa de Arlete, e falou que tinha notícia importante para ela. Estava feliz com aquela fofoca fresquinha.

Entrou esbaforida e se deparou com a viúva e as moças de caras lavadas. Não pareciam as mesmas. À mesa vislumbrou apenas uma saladinha de alface, arroz, ovos estrelados e água. As louças, de péssima qualidade, eram desbeiçadas e a toalha que cobria a mesa simples estava rasgada e puída.

Após dar o recado, que deixou as quatro mulheres muito felizes – segundo elas não por herança, poios o finado era pobre como Jó, mas porque ele se livrou do sofrimento causado por terrível moléstia.  Que descansasse em paz.

Edith, que não aguentava mais, disparou:

– Eu e minhas amigas, sempre pensamos que vocês vivessem luxuosamente e que comessem as mais finas iguarias.

A viúva respondeu:

– Roupas, joias, beleza, todos veem e admiram; o que comemos ninguém vê!

Edith, com assunto para um mês, acreditou haver descoberto todos os segredos.

Todavia, o maior deles jamais seria de seu conhecimento. A viúva era dona de um bordel numa cidade vizinha, agindo com discrição. O nome da casa era “Pista de Pouso”, nome dado em homenagem ao finado, que fora piloto antes de se casar com ela e perder o que possuía na jogatina. Tiveram os três “aviõezinhos” cujos nomes de guerra eram Nuvem, Estrela e Brisa.

Por Antônio Ribeiro

Antonio Riberio
Antonio Riberio

.

VIATOTAL

ViaTotal

///////////////////////////

.

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).