Inicio » Internacional » Europa » Europa – Papa Francisco fecha sínodo falando em “tempo de misericórdia”

Europa – Papa Francisco fecha sínodo falando em “tempo de misericórdia”

Declarando que “hoje é um tempo de misericórdia”, o Papa Francisco fechou neste domingo (25) um histórico encontro de bispos que aprovou uma importante nova orientação de acolher católicos divorciados e recasados no civil na Igreja.

Francisco fez uma crítica velada neste domingo àqueles que colocam mais importância na doutrina e lei do que na misericórdia e no perdão de Deus
Francisco fez uma crítica velada neste domingo àqueles que colocam mais importância na doutrina e lei do que na misericórdia e no perdão de Deus

.

PUBLICIDADE

///////////////////////////

.

O apoio do sínodo, por um único voto, ao pedido de Francisco de “uma igreja mais misericordiosa, menos crítica” foi uma vitória clara para o Papa e os prelados progressistas que buscam espaço para permitir que os católicos casados novamente recebam a Comunhão. Os conservadores se opuseram, citando a doutrina da igreja, mas não conseguiram reunir os votos necessários para bloquear a controversa passagem do documento final.

Com a hierarquia da Igreja dividida na Basílica de São Pedro, Francisco fez uma crítica velada neste domingo àqueles que colocam mais importância na doutrina e lei do que na misericórdia e no perdão de Deus. Ele advertiu-os do risco de “se tornar habitualmente impassível diante da graça”, de virar um ombro frio para os filhos mais feridos de Deus e de uma “ilusão espiritual” que não os deixa ver a realidade de seu rebanho e responder a isso. “Uma fé que não sabe como se enraizar na vida de pessoas permanece árida e, em vez de oásis, cria outros desertos”, afirmou o Papa, acrescentando que momentos de sofrimento e conflito são precisamente as ocasiões para Deus mostrar misericórdia. “Hoje é um tempo de misericórdia!”
Sem mudar a doutrina da igreja, o sínodo aprovou no sábado um documento final de 94 pontos para responder melhor às necessidades das famílias católicas de hoje. O texto cobre uma série de questões – migração, pobreza, famílias monoparentais e poligamia -, mas a seção mais controversa era sobre se católicos recasados no civil poderiam receber a Comunhão. Embora o documento não trace um caminho específico como originalmente defendido por prelados liberais e nem sequer mencione a palavra Comunhão, ele abre a porta para exceções avaliadas caso a caso, citando o papel do discernimento e da consciência individual na orientação espiritual.

Do Estadão Conteúdo

.

PUBLICIDADE

///////////////////////////

.

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

Pesquisa revela que usuários abandonam vontade por medo de perderem suas recordações digitais e o contato com seus amigos

Quase 73% dos brasileiros mostram interesse em sair das mídias sociais

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 2 de dezembro de 2016.Quase 73% dos …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).