Inicio » Montes Claros » Montes Claros – II Conferência Regional pelo Fim da Violência contra as Mulheres

Montes Claros – II Conferência Regional pelo Fim da Violência contra as Mulheres

Montes Claros – II Conferência Regional pelo Fim da Violência contra as Mulheres

Na abertura de Conferência, pesquisadora revela que violência contra a mulher apresenta “números de guerra” no Brasil

II Conferência - Professora Cláudia Maia e Tânia Mara
II Conferência – Professora Cláudia Maia e Tânia Mara

.

PUBLICIDADE

///////////////////////////

.

“Consideramos como números de guerra, observando que, antes do homicídio consumado, acontece a opressão, a agressão e o estupro. E os casos de morte registrados são, em sua maioria, de violência doméstica”. O comentário é da socióloga Tânia Mara Campos de Almeida, da Universidade de Brasília (UnB), durante a palestra que marcou a abertura oficial da II Conferência Regional pelo Fim da Violência contra as Mulheres, realizada na tarde dessa quarta-feira (25/11).

Na oportunidade, a pesquisadora apresentou números do Mapa da Violência 2015, elaborado pela “ONU Mulheres” ( – e divulgado oficialmente nesta quarta-feira. Os “números de guerra” citados por ela referem-se às 106.000 mil mortes violentas de mulheres registradas no Brasil nos últimos trinta anos.

O evento foi realizado no auditório do prédio 6, no campus-sede. A programação prossegue até esta quinta-feira (26), no mesmo espaço. Logo mais, às 19h30, acontece a mesa redonda sobre a principal reivindicação da II Conferência: a implantação do Juizado de Violência Doméstica e Familiar no município, prevista pela Lei 11.340/2006 (Lei Maria da Penha).

Mestre e doutora em Antropologia e pós-doutora em Representações Sociais, a professora Tânia Mara Campos explicou que o Brasil, atualmente, ocupa a quinta posição no ranking mundial de violência contra a mulher. “Historicamente, as mulheres negras e pobres são as principais vítimas neste tipo de crime”, acrescenta.

AMPLITUDE

Da comissão organizadora da II Conferência e coordenadora do Grupo de Pesquisa “Gênero e Violência” da Unimontes, a professora Cláudia de Jesus Maia, disse que o evento não se limita a discutir o tema e propor soluções. “A finalidade é muito mais ampla ao inserir a Academia como articuladora para a mudança de comportamento. Em 2011, na primeira conferência regional, como resultado, conseguimos incentivar a reabertura da Delegacia da Mulher em Montes Claros. Para este ano, o nosso propósito é fomentar a abertura do juizado”. A professora Maria Ângela Figueiredo Braga, diretora do Centro de Ciências Sociais Aplicadas (CCSA), também organiza o evento.

O reitor da Unimontes, professor João dos Reis Canela, presidiu a solenidade, acompanhado pelo vice-reitor, professor Antonio Alvimar de Souza. Ele destacou a inserção das universidades no debate: “a violência doméstica fere a dignidade da família brasileira e as instituições de ensino devem, insistentemente, fomentar as discussões para amenizar este trauma ou mesmo disseminá-lo de uma vez por todas”.

O diretor do Foro da Comarca de Montes Claros, juiz Richardson Xavier Brant, enalteceu a iniciativa da ministra Carmen Lúcia Antunes, do Supremo Tribunal Federal (STF), na implantação da campanha “Justiça pela Paz em Casa” – da qual a Unimontes faz parte –, juntamente com o Conselho de Reitores das Universidades Brasileiras (CRUB).

“Mesmo diante das dificuldades e dos desafios enfrentados, há, sim, tentativas para solucionar a questão da violência doméstica. Mas, sobretudo, é preciso uma mudança, inadiável, da cultura frente à violência. O Judiciário, assim como a sociedade e a academia, precisa instigar esta necessidade de transformação”, disse o juiz.

A atração musical foi apresentada pelo professor Élcio Lucas, coordenador do mestrado em Estudos Literários da Unimontes, com poemas musicados do poeta espanhol Federico Garcia Lorca e da escritora montes-clarense Mariza Cardoso sobre o universo feminino.

.

PUBLICIDADE

///////////////////////////

.

O evento é organizado pela Unimontes por intermédio do Grupo de Pesquisa “Gênero e Violência”, do Grupo de Pesquisa em “Metodologia das Ciências Sociais, Violência e Criminalidade”, Mestrados em História e Desenvolvimento Social, Hospital Universitário Clemente de Faria (HUCF), Defensoria Pública de Minas Gerais, Polícia Civil, Programa Vira-Vida e Conselho Nacional – ambos do Sesiminas –, e a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese).

A solenidade de abertura contou também com as presenças da assessora de Gestão, Segurança e Proteção da Mulher (da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social), Andréa Veloso; do tenente William Pereira, representando o comandante do 10º Batalhão da PM, tenente coronel Éderson da Cruz Pereira; e a vice-presidente da União Popular de Mulheres de Montes Claros, Mariza Cantídio.

.

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

Temer sanciona com veto lei que repassa custos do Fies com bancos para faculdades

Temer sanciona com veto lei que repassa custos do Fies com bancos para faculdades

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 2 de dezembro de 2016. Temer sanciona …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).