Inicio » Colunistas » Adilson Cardoso » Coluna do Adilson Cardoso – Os Bastidores da Arca de Noé e a extinção dos Dinossauros

Coluna do Adilson Cardoso – Os Bastidores da Arca de Noé e a extinção dos Dinossauros


Reviewed by:
Rating:
5
On 28 de novembro de 2015
Last modified:28 de novembro de 2015

Summary:

Coluna do Adilson Cardoso - Os Bastidores da Arca de Noé e a extinção dos Dinossauros

Coluna do Adilson Cardoso – Os Bastidores da Arca de Noé e a extinção dos Dinossauros

Deus se encontrava inconformado com a perversidade humana, arrependido por ter feito o homem e a mulher decidiu acabar com tudo. Escritas Cuneiformes da época dão conta de que Noé era o único homem bom dentre os que existiam, filho de Lamec e neto de Matusalém, havia completado 600 anos de vida. Deus então conhecendo sua rotina resolveu aparecer no seu caminho. – Bom dia filho, tudo bem?! – Ai que susto! Beleza meu Deus, que milagre o senhor por aqui! – Não meu pequenino, não é nenhum milagre eu estava lhe esperando! – O senhor veio avisar pessoalmente que chegou a minha hora? Eu agradeço o privilégio ó pai, mas poderia ter mandado a morte me pegar dormindo. – Calma Noé, ainda não chegou sua hora, venho lhe dizer que ando insatisfeito com tudo que criei, por isso vou acabar com o mundo. Noé sentiu uma cólica repentina no intestino e se empalideceu. – Meu Deus! Perdoe-me, mas o senhor acabou de dizer que ainda não era minha hora! Como vai acabar o mundo e eu continuar vivo? Deus passou a mão na barba e esperou que Noé levantasse a cabeça submersa em pensamentos. – Vou acabar com o mundo sim é fato, será um dilúvio que vai demorar quarenta dias e quarenta noites, em tempestades torrenciais que nenhuma vida será capaz de sobreviver! Noé com a sua palidez adquirida fitou timidamente os olhos de Deus, seu silêncio choroso quebrou-se com o brado forte da voz Do criador. – Que porra de frescura é essa Noé! Se estou aqui pessoalmente é por que você terá alguma participação lucrativa! Ou você acha que tenho tempo para abordar todos os moradores da terra para contar a mesma ladainha! Noé assustou-se com a severidade na voz de Deus, mas acalmou-se. – Perdão meu Deus, é frescura mesmo, foi mal. – Bem então escute e não faça mais nenhuma pergunta, vou acabar com o mundo, vai ser água para inundar tudo, quarenta dias e quarenta noites sem parar! E você e sua família viverão, por sua honestidade, idoneidade e lealdade, mas, porém, todavia precisaras construir uma grande arca de madeira, onde abrigaras além de você e sua família um casal de todos os animais que existem em todo planeta, inclusive os mosquito da Dengue, a barata e a Lagarta de fogo  cuidado com a mão. Ah, mas isto é para já!  daqui a sete dias cai água. Noé não sabia se sorria ou  chorava,  ao mesmo tempo  que tinha alegria por ter sido o escolhido sentia medo de não conseguir cumprir a missão. – Senhor posso fazer uma pergunta? – Nãão! Disse Deus com empatia no semblante. – É que eu tenho medo de não conseguir capturar esse tanto de bicho! – Então escuta Noé, se você falhar nesta merda desta missão que eu poderia ter escolhido qualquer pessoa na face dessa terra, mas estou lhe privilegiando com a minha confiança, você morrerá afogado como um incrédulo qualquer e quando chegar lá em cima encontrará  ordens minhas  para que você e toda sua descendência vá gozar a eternidade no meio dos infernos! ENTENDEU NOÉ?!. Dizendo isto Deus desapareceu numa nuvem de fumaça com cheiro de jasmim. Noé saiu em desespero e reuniu a família para contar a novidade, os visionários pularam felizes, mas o restante achou a tarefa quase impossível. Mas o medo da eternidade no inferno era abundante, com isso  homens,  mulheres e crianças partiram para a floresta em busca de madeira, foram cinco exaustivos  dias entre a seleção da madeira, o desenho e a confecção da arca sobre o monte Ararate conforme Deus descrevera, não conseguiram fazer o letreiro seguindo as instruções da planta. Com a porta da arca aberta os animais foram  chegando em  pares, Noé então aliviou-se pois não teria que sair atrás de nenhum. A sagaz mãe Canguru quis levar um filhote dentro da bolsa, mas foi descoberta e chorou a separação, porém São Francisco de Assis intercedeu por ela, sendo assim o único animal que foi um além do par para dentro da arca. Poucas horas antes de iniciar o dilúvio Zé amigo de infância do neto de Matusalém, lhe trouxe  uma farofa de couve com ovos fritos no azeite  e arroz,  lhe desejando boa sorte na nova vida. Noé com pena do amigo se aproveitou que Deus preparava a chuva e no momento não o monitorava e pediu ao Zé que se vestisse de Dinossauro junto com sua mulher e subisse a arca como os outros animais. Felizmente hoje existem milhares de Zés em todas  as partes do  mundo, mas infelizmente os Dinossauros foram extintos.

Por Adilson Cardoso

Adilson Cardoso
Adilson Cardoso

.

VIATOTAL

ViaTotal

///////////////////////////

.

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).