Inicio » Últimas » Vôlei – No clássico mineiro, Montes Claros Vôlei luta até último minuto mas não se recupera diante do Sada

Vôlei – No clássico mineiro, Montes Claros Vôlei luta até último minuto mas não se recupera diante do Sada

Vôlei – No clássico mineiro, Montes Claros Vôlei luta até último minuto mas não se recupera diante do Sada

O Caldeirão mais uma vez foi palco de um dos maiores espetáculos da voleibol nacional. Montes Claros recebeu o Sada/Cruzeiro para seu quinto duelo na Superliga e o jogo foi cheio de energia, como de costume entre as duas equipes. Com parciais de 24/26, 21/25, 26/24 e 22/25, o time da capital conquistou sua quarta vitória e manteve o Montes Claros com três e sete pontos, na noite desta última quinta-feira, 26, no Caldeirão.

Vôlei - No clássico mineiro, Montes Claros Vôlei luta até último minuto mas não se recupera diante do Sada
Vôlei – No clássico mineiro, Montes Claros Vôlei luta até último minuto mas não se recupera diante do Sada

.

PUBLICIDADE

///////////////////////////

.

Apesar do resultado adverso, a postura da equipe, completamente diferente daquela irreconhecível que foi derrotada contra o São José Vôlei na semana anterior, agradou ao público e ao treinador Marcelinho Ramos. “É o nível de desempenho que a gente vem cobrando deles. O mesmo nível que mostramos nas três primeiras partidas e deixamos de lado na última quarta-feira (contra a equipe paulista)”, disse o treinador. “Foi um time que brigou o tempo inteiro. Corremos atrás basicamente em todo o set que vencemos, mas tivemos força para buscar.”

Apesar de reconhecer a superioridade do adversário, o técnico jamais se conforma com uma derrota. “Trabalhamos todos os jogos para vencer. Não venho aqui treinar todos os dias para perder. Se desempenharmos bem o nosso papel, como fizemos agora, somos capazes de vencer qualquer equipe. E se a gente não desempenhar este papel, somos capazes de perder para qualquer equipe, também. O time do Sada, além de tecnicamente ser um grande time, fisicamente é um time mais forte que o nosso e temos que conseguir conjugar todas estas coisas e ter uma parte mental muito forte.”

O jogo

O Pequi Atômico entrou em quadra com poucas mudanças, acreditando na continuidade. O levantador Índio, o oposto André Nascimento, os centrais Salsa e Rafael, os pontas Bob e Rafael e o líbero Kachel iniciaram a partida, que esteve quente desde o início. Com trocas de pontos desde a primeira saída de bola, as equipes construíram um nível de jogo muito alto, com ralis a todo momento. Dois destaques para a inteligência de jogo do Índio, que largou uma bola de segunda na quadra adversária, e para o Renan Purificação, que mostrou poder decisão após uma bola quase perdida recuperada pela recepção do Moc terminar em um ataque fulminante do ponta.

.

VIATOTAL

ViaTotal

///////////////////////////

.

Na segunda etapa o Montes Claros entrou menos ligado na partida. Algumas falhas de concentração na recepção do time norte mineiro deram ao Sada uma boa vantagem para ampliar o placar geral.

O terceiro e o quarto set tiveram a volta dos ralis e um Montes Claros naquele nível que surpreendeu os três primeiro adversários de Superliga. Com ataques certeiros do Moc, a equipe da capital chegou a ficar acoada em grandes momentos da partida. O oposto Wallace, um dos destaques do Sada por seu poderoso ataque, parou várias vezes no bloqueio do ponteiro Bob, o que levou a torcida do Pequi Atômico a pegar no pé do jogador celeste.

O Montes Claros se recuperou para continuar vivo na partida e levou o jogo para o quarto set. Com grande exibição e correção dos erros que comprometeram o desempenho da equipe, o Moc mostrou poder de reação e levantou a torcida no Ginásio Poliesportivo Tancredo Neves. O Pequi Atômico chegou a encostar no marcador e ameaçar levar a partida para o set desempate, mas uma série de inconsistências de arbitragem tiraram esses gostinho da boca do torcedor.

“O grupo cumpriu exatamente o que marcamos. Em alguns momentos, não tínhamos o que fazer. Estávamos no lugar certo, na hora certa, fazendo a marcação correta, mas o Wallace atacando por cima do bloqueio é fisicamente impossível de pegar. Incomodamos bastante, foi difícil deles colocarem a bola no chão direto. Estamos no caminho certo”, assegurou Marcelinho Ramos.

Maior pontuador do Montes Claros na partida, o ponta Bob viu o saldo de desempenho da equipe como positivo. “Para jogar contra um time do nível do Sada, tem que estar com a concentração lá em cima a toda hora. Tem que cumprir taticamente perfeitamente o que você faz, senão fica difícil competir com o poderio de ataque deles.”

Bob ressalta que em momento algum a equipe do Voleimoc se intimidou diante do poderoso adversário, e que a equipe vai com a mesma garra para a próxima partida. “Na hora de jogar é guerra, a gente também quer ganhar. Sabemos que eles são um dos maiores investimentos do país, atuais campeões mundiais, mas são seis contra seis e vamos para cima. (Contra o JF Vôlei) Dá para vencer. Queremos os três pontos nesta partida e vamos jogar melhor ainda”, finalizou.

A partida do Montes Claros contra o Juiz de Fora Vôlei, pela sexta rodada da Superliga, será neste sábado, ainda em casa, às 18h. Os ingressos terão preço único de meia entrada, custando R$5, e podem ser adquiridos na Loja Visual, no centro da cidade, na Drogaria Minas-Brasil Matriz e na portaria do Ginásio Poliesportivo Tancredo, no sábado, a partir das 16h.

Amistoso internacional no Caldeirão

O diretor executivo da Confederação Brasileira de Voleibol (CBV), Ricardo Trade, esteve presente na partida da última quinta. Além de assistir ao grande duelo mineiro, Ricardo analisou a possibilidade da cidade voltar receber, ainda em 2016, dois amistosos da Seleção Brasileira de Voleibol masculina adulta, em preparação para as Olimpíadas do Rio e a Liga Mundial. A cidade já recebeu o sinal positivo. “A pedido da Federação Mineira (FMV), viemos conversar com o Andrey (Souza, gestor do Moc Vôlei). Montes Claros tem abraçado o voleibol como esporte da cidade e região, com ginásio sempre lotado”, disse o diretor.

O poder da torcida montes-clarense, que bateu o recorde de público da Superliga até aqui, contra o Sada, com 4.382 presentes, foi primordial para a batida do martelo. “Poderíamos levar os jogos para qualquer lugar do país, mas seria um prêmio à cidade que tem se dedicado ao nosso esporte, o voleibol”, continuou Ricardo. Sobre os adversários, a CBV tem dois na mira, mas ainda está para ser confirmado. “Estamos convidando algumas seleções. Em tese, Estados Unidos ou Canadá como possíveis adversários”, completou.

Por Cid Bruno / Foto: Matheus Pereira

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

Montes Claros - Três pessoas ficam feridas em tentativa de homicídio no bairro bairro Santo Amaro

Montes Claros – Três pessoas ficam feridas em tentativa de homicídio no bairro bairro Santo Amaro

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 8 de dezembro de 2016.Montes Claros – …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).