Inicio » Colunistas » Hesiodo José » Coluna do Hesiodo José – Fragmentos Diários (aumento e também invento)

Coluna do Hesiodo José – Fragmentos Diários (aumento e também invento)

 

Reportagem Sigilosa

Deu o que falar nesta semana uma matéria sobre tentativa de homicídio ocorrido ano passado e lida por um conceituado repórter de Montes Claros. O fato; um homem na zona rural, ali próximo ao Posto Barral ll atirou na ex-esposa que foi salva por milagres, depois de 10 dias na UTI e 02 meses internada. O agressor está solto e a mulher presa dentro de casa, com medo de mais chumbo na costela. O repórter na sua oratória pulsante em busca de justiça, repetiu por diversas vezes o nome do sujeito e cobrou das autoridades policiais uma resposta urgente, mas urgente mesmo, antes que a senhora Julieta Maria de Melo que está encurralada na sua residência como se fosse ela a algoz, junto com seus filhos que não tem coragem de sair para ir a escola, e chutou o balde literalmente, “Escutem autoridades, até quando esta senhora que é caixa de um supermercado no Bairro Santos Reis, ali na rua Padre Gangana e mora no Bairro São João na ex-pacata rua alferes José Lopes, conseguirá ficar escondida ali, qual crime que ela cometeu senhores da justiça? Essa mulher tem o seu lar que lutou para construir, é desumano ficar entulhada na casa dos pais, amedrontada, dormindo em um pequeno quartinho, já que na residência moram outras pessoas. Acorda autoridades!”

Ensinando a Buzinar

A professora de geografia Tania Cléia, de 39 anos, foi presa na semana passada depois de ter supostamente obrigado um aluno de 14 anos a acariciar seus seios e tentar convencê-lo a fazer sexo com ela. Ela passou a quinta-feira na prisão depois que o estudante não identificado reclamou que ela o havia forçado a tocar seu corpo enquanto apertava suas nádegas. Segundo ele, a professora tentou persuadi-lo a encontrar com ela fora do horário de aula para que os dois tivessem relações sexuais. A pouca vergonha toda aconteceu numa escola particular na cidade de Goiania -GO, e a polícia diz que a denúncia foi feita por um adulto a quem o garoto teria confidenciado o abuso. Na sexta-feira (5), Cléia foi libertada após pagamento de fiança e terá que responder a acusações de assédio sexual e conduta lasciva. Mas seu advogado se defende e diz que o caso não passou de um mal entendido, de acordo com ele sua cliente falava ao aluno sobre como se portar no transito quando estiver em idade de dirigir, ao se referir a buzina disse que é um sinal sonoro que deve ser usado de leve para chamar a atenção em certas ocasiões.” Então pedagogicamente ela pegou a mão do aluno e colocou sobre seus seios, pedindo que ele apertasse bem de leve para aprender como se faz!” Concluiu o defensor que não conseguiu explicar porque as buzinas deviam estar desencapadas. A professora estava com os seios nus. 

Riso da Hora

Gaúcho: Na minha terra só tem macho!

Mineiro: Óia na minha terra é metade macho e metade fêmea e nóis ta achando é bão demais. 

Fica assim, amanhã tem mais…

Por Hesiodo José

Hesiodo José
Hesiodo José

.

PUBLICIDADE

///////////////////////////

.

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

MG - Jovem inventa que mãe está passando mal para estuprar vizinha

MG – Jovem inventa que mãe está passando mal para estuprar vizinha

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 5 de dezembro de 2016.MG – Jovem …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).