Inicio » Economia » Gastos com contas de luz foram os piores para brasileiro

Gastos com contas de luz foram os piores para brasileiro

 

Despesa com energia registrou maior aumento médio no país.

Pesou e muito. E agora comprovado por uma pesquisa realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e que revela as consequências da crise financeira na vida dos consumidores. Ela mostra que os impactos são inegáveis no bolso: 80,4% afirmaram sentir o aumento na conta de luz, e 69,1% nas compras mensais de supermercado. Estas também são as despesas que tiveram os maiores reajustes, com cerca de 33,4% e 27,4% de aumento médio na conta nos últimos seis meses, respectivamente, segundo a percepção dos entrevistados.

Gastos com contas de luz foram os piores para brasileiro
Gastos com contas de luz foram os piores para brasileiro

PUBLICIDADE

///////////////////////////

A pesquisa mostra ainda que os fatores externos relacionados à crise econômica são mencionados por metade da amostra da pesquisa (50,9%) para justificar o fechamento das contas no vermelho: não conseguir pagar as contas com o salário porque as coisas estão mais caras (17,5%), a diminuição da renda (15,7%) e a perda do emprego (11,0%).

Para a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, a crise econômica já está fazendo com que os brasileiros alterem seus hábitos de consumo. “Passar a comprar produtos similares aos que estão acostumados, mas de marcas mais baratas e frear os gastos com refeições fora de casa são algumas das mudanças que podem e devem ser realizadas para ajudar no orçamento pessoal e da família”, diz.

PUBLICIDADE

///////////////////////////

Menos compras. Segundo o levantamento, 50,8% dos entrevistados garantem que diminuíram a compra de roupas, calçados e acessórios. Do total de entrevistados, 47,9% disseram que aumentaram a compra de produtos de marcas similares mais baratas, e 44,9% diminuíram as refeições fora de casa. E o brasileiro está reduzindo até a compra de produtos básicos. De acordo com a pesquisa, 27% dos entrevistados diminuíram o consumo de produtos básicos como alimentos, produtos de higiene e também de limpeza.

Foram entrevistados 804 consumidores acima de 18 anos, de ambos os sexos e de todas as classes sociais nas 27 capitais. A margem de erro é de, no máximo, 3,5 pontos percentuais.

Inflação pelo IGP-10 ganha força no mês

SÃO PAULO. A inflação medida pelo Índice Geral de Preços–10 (IGP–10) variou 1,55% em fevereiro, depois de avançar 0,69% em janeiro. Em fevereiro de 2015, a variação foi de 0,43%, segundo a Fundação Getulio Vargas (FGV). Em 12 meses, o índice teve alta de 12,05%. A taxa acumulada em 2016 já é de 2,24%.

O IGP–10, que calcula a inflação de preços desde matérias primas agrícolas e industriais até bens e serviços, é calculado com base nos preços coletados entre os dias 11 do mês anterior e 10 do mês de referência.

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

Dr. Newton Figueiredo, vice-presidente da ACI, defendeu o resgate do futebol local a partir da campanha

Montes Claros – Ação entre amigos da ACI e CDL em prol do Ateneu

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 7 de dezembro de 2016.Montes Claros – …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).