Inicio » Montes Claros » Montes Claros – Prefeito de Montes Claros reafirma denúncias ao MP e Polícia Federal

Montes Claros – Prefeito de Montes Claros reafirma denúncias ao MP e Polícia Federal

 

Em coletiva à imprensa na tarde desta quinta-feira (03/03/2015), o prefeito de Montes Claros, Ruy Muniz, voltou a reafirmar as acusações que havia feito contra os desvios de recursos do Sistema Único de Saúde (SUS) por parte dos hospitais e alguns médicos da cidade.

Montes Claros - Prefeito de Montes Claros reafirma denúncias ao MP e Polícia Federal
Montes Claros – Prefeito de Montes Claros reafirma denúncias ao MP e Polícia Federal

PUBLICIDADE

///////////////////////////

Para Muniz, a Operação Desiderato, que investiga o desvio de valores do SUS e material para fins particulares, deve continuar. O prefeito conclamou o delegado da Polícia Federal, Marcelo Freitas, a aprofundar nas investigações.

Eu sou prefeito de Montes Claros e não polícia. Não tenho poder de investigação. O que fizemos foi apresentar os caminhos através dos quais a Polícia Federal poderia facilmente chegar até os responsáveis – afirmou.

Segundo ele, os médicos acusados de cobrar valores para procedimentos cirúrgicos dos pacientes e do SUS, estão sendo ouvidos, ao mesmo tempo, um deles inclusive com delação premiada já assinada.

Quando você pede para o hospital comprar um determinado produto, ele faz a pesquisa e o adquire no mercado. As próteses adquiridas, portanto, estão sob a responsabilidade dos gestores, que por sua vez têm responsabilidade sobre o desvio de recursos. Como os médicos sozinhos poderiam comprar esse material? Mas os gestores até agora não foram citados – esclareceu.

PUBLICIDADE

///////////////////////////

Entre as atribuições da Polícia Federal, instituída por lei como órgão permanente, organizado e mantido pela União e estruturado em carreira, destina-se, entre outras coisas, a apurar infrações penais contra a ordem política e social e também apurar infrações penais praticadas em detrimento de bens, serviços e interesses da União ou de suas entidades autárquicas e empresas públicas. Mas segundo o Prefeito, essa função tem sido negligenciada.

Depois que fizemos a denúncia de superfaturamento de serviços, de desvio de material, o delegado da Polícia Federal, o doutor Marcelo Freitas, foi para a televisão e gravou um depoimento em favor dos investigados. Ele me disse que estava defendendo as instituições, e acredito nisso, mas as investigações têm e devem ser retomadas com mais profundidade – disse.

A prefeitura de Montes Claros esteve à frente da Gestão Pública dos Recursos da Saúde até o governo de Minas Gerais transferir o controle desses recursos para o estado.

O resultado vocês estão vendo aí. Uma queda considerável na realização dos exames, só para ficar em um exemplo. Sem fiscalização, os hospitais Santa Casa, Dilson Godinho, Aroldo Tourinho e Hospital Universitário continuam apresentando os números dos exames realizados em 2014, mas realizando um percentual que chega às vezes a 50% a menos em 2015, ou seja, estão recebendo os mesmos valores para efetuar um serviço que realizam somente pela metade -denuncia o prefeito.

No ano de 2007, o promotor Felipe Caires recomendava ao então prefeito Athos Avelino que não realizasse o pagamento a médicos que não cumpriam seus plantões, esclarecendo à prefeitura que ela, caso depositasse esses valores, poderia estar incorrendo em crime de cumplicidade e de responsabilidade. A orientação foi novamente acatada pelo Município de Montes Claros, que está tentando fazer valer a lei, para a qual os valores transferidos anualmente aos hospitais devem passar por rigorosa fiscalização, não se admitindo pagamento de serviços não realizados.

Por fim, os hospitais estariam acusando o prefeito Ruy Muniz de querer retirar recursos das entidades que administram para ser reinvestidos no Hospital das Clínicas Mário Ribeiro da Silveira.

Na verdade, os hospitais de Montes Claros não conseguem sozinhos atender toda a população que necessita de atendimento médico no Norte de Minas. Faltam vagas em CTI, blocos cirúrgicos e enfermarias, enquanto o HC dispõe de área ociosa para atender a todos, eliminando as filas nos hospitais e acabando com o sofrimento de doentes e suas famílias alojadas em corredores insalubres – afirmou o prefeito.

O Hospital das Clínicas é hoje o maior centro médico do Norte de Minas, com 110 leitos de CTI, enfermarias para clínica médica e cirúrgica, e se constitui em área plenamente coberta pelo Sistema Único de Saúde, faltando, apenas, o credenciamento, não fazendo, portanto, atendimento hospitalar particular. Além disso, é um hospital escola, ou seja, funciona como retaguarda à rede hospitalar da cidade, não oferecendo possibilidade, por isso mesmo, de retirar recursos da já frágil área médica/hospitalar da cidade.

Veja, o que falou após a coletiva de imprensa no Facebook oficial do Prefeito:

Omissão é tão grave quanto conivência

E ai, pessoal?

Tudo bom?

Como já era previsto, os ataques, às vésperas de mais uma eleição, já eram esperados por todos nós.

Se por um lado, notícias mentirosas estão sendo divulgadas desde o início da semana, por outro, temos motivos para comemorar.

Uma pesquisa encomendada por um candidato da “oposição” mostra que se a eleição fosse hoje, eu seria reeleito em primeiro turno, com 51%.

Apesar de muito cedo para tratar do assunto, os adversários já me lançaram na disputa e estão mais preocupados com as pesquisas do que eu. De 15 em 15 dias encomendam uma.

O resultado me deixa muito feliz, é sinal de que nossa administração está no caminho certo. Estamos mudando o jeito de fazer política e defesa gerir os recursos públicos.

Somos exemplo em Minas e no Brasil, pois estamos com as contas em ordem, investindo em obras e pagando o funcionalismo em dia mesmo diante da crise.

A transparências e o combate à corrupção também são nossas bandeiras, por isso queremos que a Polícia Federal e o Ministério Público investiguem os diretores dos hospitais de Montes Claros.

A PF e o MPF estão sendo parciais e omissos. Veja, agora, os indícios do envolvimento dos hospitais nas fraudes contra o SUS:

– os contratos de prestação de serviços entre a Secretaria Municipal de Saúde, Secretaria Estadual de Saúde e empresas
são feitos com os hospitais e nunca com os médicos

– procedimentos em Cardiologia e Hemodinâmica bem com cirurgias de
alta complexidade, são autorizados pelo Ministério da Saúde diretamente aos hospitais e não aos médicos

– o controle dos estoques de stents usados na cirurgias e alvo da Operação Desiderato é feito pelos hospitais e não pelos médicos

– as notas fiscais da compra dos stents são em nome dos hospitais

– representante das fabricas de stents e distribuidores regionais presos na Operação, como Edilson Pombal, foram indicados pelo Samuel Figueira, ex- superintendente da Santa Casa, colega de Maçonaria e Grão Mestre

– contrato de consultoria da empresa Marca , pertencente ao Samuel Figueira, com a Santa Casa revela desvios de enormes quantias mensalmente dos cofres do hospital

A lista com as condutas fraudulentas nos hospitais continuam, tais como:

– cobrar do SUS por procedimentos não realizados

– cobrança particular de procedimentos de pacientes do SUS

– permitir que médicos cobrem honorários de pacientes internados pelo SUS nos hospitais

– cobrar do SUS leitos nao disponibilizados ao sistema

– falsificar assinaturas de pacientes em seções de quimioterapia não realizadas

– aplicação de emendas parlamentares e recursos de convênios em obras superfaturadas . Ex: construção de novo CTI da Santa Casa. Mais de R$ 4 milhões para construir 800 metros quadrados de prédio

– aquisição de medicamentos com sobrepreço, muitas vezes adquirindo apenas as notas fiscais. O que explica a falta constante de medicamentos e outros materiais hospitalares

– enriquecimento ilícito de gestores dos hospitais

– fraude em resultados de concurso de residência médica na Santa Casa

– descumprimento dos contratos de prestação de serviços hospitalares ao SUS. Ex : leitos de saúde mental não implementados, plantões médicos de urgência não realizados , consultas, exames e cirurgias programadas e não realizadas. Desassistência geral à população

– não pagamento dos médicos em dia

– atraso de pagamento dos funcionários e de tributos.

Mesmo diante de todos estes fortes indícios, a Polícia Federal e o Ministério Público Federal se limitaram a prender e a investigar apenas os médicos. E o pior: deram início à ações perseguitórias contra mim, Raquel e a Soebras, logo após cobramos uma investigação séria.

Mas não adianta: vamos continuar cobrando e exigindo a apuração de tudo o que acontece nos hospitais de Montes Claros. O conluio da Máfia da Saúde precisa ter um fim! A nossa luta continua, queira eles ou não. É o futuro de Montes Claros que está em jogo.

Assista ao Vídeo:

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

Dr. Newton Figueiredo, vice-presidente da ACI, defendeu o resgate do futebol local a partir da campanha

Montes Claros – Ação entre amigos da ACI e CDL em prol do Ateneu

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 7 de dezembro de 2016.Montes Claros – …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).