Inicio » Colunistas » Hesiodo José » Coluna do Hesiodo José – Fragmentos Diários (aumento e também invento)

Coluna do Hesiodo José – Fragmentos Diários (aumento e também invento)

 

O encosto da cadeira

Um empresário do ramo de sanduíches da cidade de Montes Claros interior de Minas Gerais a mais ou menos 430 km de BH, está sendo acusado de falsa comunicação de acidente ao SAMU. Segundo sua esposa que prefere não se identificar, mas vizinhos afirmaram que é conhecida como Célia Silvana, viajou  a negócios para Sergipe quando na segunda feira de Carnaval recebera uma ligação de pessoa desconhecida informando que seu marido estava hospitalizado, sem maiores detalhes conforme a mulher o telefone desligou,   fizera as malas e horas depois estava em Montes Claros visitando o marido que havia submetido a uma sutura anal (costura no ânus). Célia Silvana que não quer ser identificada questionou ao marido que lhe contou a seguinte história, “Eu estava em casa com alguns amigos, bebíamos e curtíamos marchinhas carnavalescas, quando precisei subir numa cadeira para olhar um barulho estranho que vinha de cima do dormitório, como o lugar é mais alto que eu pisando sobre o assento da cadeira, pedi a um amigo para segurar a cadeira, momento em que  pisei sobre o encosto e fiquei totalmente de pé, mas infelizmente escorreguei e bati o meio do cú naquela ponta redonda que adorna a lateral do encosto, doeu tanto que desmaiei, acordando apenas no hospital, trazido pelo SAMU” Ao final do seu relato o medico entra e é indagado pela mulher, “Doutor, mas uma pancada desta não teria que ter danificado o ossinho a cima do tóba?” O medico olhou para o paciente, fez um tique com a boca e voltou a mulher. “Eu questionei isto, inclusive disse a ele que havia uma  ruptura além da porta de entrada, mas ele disse que pode ser erro do nosso aparelho fabricado em Harward!” “A mulher pensativa percebia que o marido mudava de cor, empalidecia, avermelhava se ajeitando no leito, mesmo assim continuou, “Doutor não é este o caso, mas se por acaso ao invés da ponta da cadeira, fosse a cabeça de um pau, qual seria o procedimento?” Seria o mesmo procedimento!” respondeu o medico, “Com a diferença de que ele alegando outra coisa ele corre o risco de estar tomando medicamento errado e  outros problemas poderão  surgir. O paciente bruscamente entra na conversa, “O senhor não havia dito isto para mim  doutor, eu tenho certeza que foi a ponta da cadeira, mas pode mudar o remédio, me dá o outro lá que cura “arrombamento por  pau”, nunca se sabe eu posso ter bebido demais e ter sido estuprado, a maldade está presente em todos os lugares, eram amigos, mas é bom precaver!”.

Frases para a posteridade

Tenho medo de morrer e continuar vivo. (jeremias edson Cardoso)

Se de manhã é matinal, à tarde é tardinal?  ( Zé Ronco)

Riso da hora

O cara, desconfiado da mulher, chegou em casa mais cedo e começou a procurar. Abriu o armário do quarto e deu de cara com o amante da mulher. Botou o revólver na cara dele e disse:
O que você ta fazendo aí?
Eu vim jogar veneno neste armário. Tem muita traça nele…Esta comendo toda a roupa…
Mas, pelado?
Não falei? Já comeram a minha roupa também!

Fica assim, amanhã tem mais…

Por Hesiodo José

Hesiodo José
Hesiodo José

PUBLICIDADE

///////////////////////////

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

Norte de Minas - Sistema Sedinor/Idene, Codevasf e a Epamig promovem seminário para discutir o futuro da macaúba na região Norte de Minas

Norte de Minas – Sistema Sedinor/Idene, Codevasf e a Epamig promovem seminário para discutir o futuro da macaúba na região Norte de Minas

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 2 de dezembro de 2016.Norte de Minas …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).