Inicio » Mais Seções » Saúde » Saúde – Estudo detecta anti-inflamatório em saliva do ‘Aedes’

Saúde – Estudo detecta anti-inflamatório em saliva do ‘Aedes’


Reviewed by:
Rating:
5
On 8 de março de 2016
Last modified:8 de março de 2016

Summary:

Saúde - Estudo detecta anti-inflamatório em saliva do 'Aedes'

 

O mosquito Aedes aegypti, atual inimigo número um da saúde no País por transmitir dengue, febre chikungunya e vírus zika, também pode ter um lado benéfico.
Saúde - Estudo detecta anti-inflamatório em saliva do 'Aedes'
Saúde – Estudo detecta anti-inflamatório em saliva do ‘Aedes’

Natura

///////////////////////////

Pesquisadores da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade de São Paulo (USP) de Ribeirão Preto, interior paulista, encontraram substâncias anti-inflamatórias na saliva do inseto capazes de controlar sintomas de doenças intestinais, como a doença de Crohn e a colite ulcerativa.

Os testes positivos foram feitos em camundongos, mas a expectativa é de que se repitam em seres humanos – próxima fase da pesquisa. O estudo começou há quatro anos, a partir da observação de que o mosquito anestesia a pele do hospedeiro ao picá-lo para se alimentar de sangue. Ao estudar os componentes da saliva, os pesquisadores chegaram aos elementos anti-inflamatórios.
De acordo com a pesquisadora Cristina Ribeiro de Barros Cardoso, coordenadora da equipe, foram usados nos testes mosquitos sem infecção por qualquer tipo de vírus. O material extraído das glândulas salivares foi aplicado em camundongos que tiveram a colite ulcerativa e a doença de Crohn induzidas. “Logo nas primeiras aplicações notamos a melhora dos sintomas e, ao final, a doença foi totalmente inibida.”
Apesar de ressaltarem que os estudos continuam e é cedo para falar em terapêutica para humanos, os pesquisadores estão otimistas. Além das respostas positivas, chamou a atenção o fato de o extrato da saliva não ter sido tóxico para as células do corpo tratado. Os efeitos colaterais são problema nos medicamentos para a colite e outras enfermidades intestinais. De acordo com a pesquisadora, ainda são necessários testes pré-clínicos específicos para confirmar que o extrato salivar do mosquito pode ser usado com segurança em seres humanos.
ZIKA – Em Sumaré, foi confirmado no fim de semana o primeiro caso de zika em gestante. A paciente está na 13ª semana de gravidez, mas o bebê não apresentou alteração relacionada com a microcefalia. Ainda está em investigação se a contaminação aconteceu na própria cidade. É o segundo caso de contaminação pelo vírus no município, mas o anterior envolveu um homem de 52 anos.
DENGUE – O promotor de Justiça da Saúde de Presidente Prudente, Mário Coimbra, afirmou nesta segunda-feira, 7, que a cidade pode ter chegado a vinte mortes por dengue este ano, o que ele considera uma “catástrofe sem precedentes”. Segundo ele, os números não são oficiais, mas podem ser confirmados nas próximas semanas, já que os resultados oficiais demoram para sair.

O Boticário

///////////////////////////

Ele disse que o Ministério Público considera que as mortes eram evitáveis e que os gestores públicos serão responsabilizados. A prefeitura de Presidente Prudente informou que não se manifestaria sobre as afirmações do promotor. Em boletim divulgado no dia 29 de fevereiro, a prefeitura informou que a cidade tem 3.273 casos confirmados e outras 5.076 notificações de dengue. Para a prefeitura, oficialmente são cinco mortes confirmadas e quatro em investigação.

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).