Inicio » Minas Gerais » MG – Defesa Civil e Feam levam cursos de capacitação para mais perto das comunidades

MG – Defesa Civil e Feam levam cursos de capacitação para mais perto das comunidades

Meta até o final deste ano é qualificar cerca de 850 pessoas em todos os territórios de desenvolvimento de Minas Gerais

Cursos da Defesa Civil já qualificaram 139 pessoas em três territórios de desenvolvimento
Cursos da Defesa Civil já qualificaram 139 pessoas em três territórios de desenvolvimento

PUBLICIDADE

///////////////////////////

 

O Gabinete Militar do Governador, por meio da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil  de Minas Gerais (Cedec/MG), está regionalizando as ações de capacitação da comunidade para o enfrentamento e prevenção de desastres nos municípios mineiros. O Curso Regionalizado em Proteção e Defesa Civil e Mudanças Climáticas já ocorreu em Montes Claros, Conselheiro Lafaiete e Varginha, com participação de municípios do entorno.

Nas três edições, realizadas nos últimos 30 dias, foram capacitados 139 discentes dos territórios Norte, Vertentes e Sul de Minas Gerais. A regionalização tem como um dos objetivos envolver mais as comunidades sobre a importância destas ações. O programa é executado em parceria com a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad), por meio da Fundação Estadual do Meio Ambiente (Feam).

Até dezembro de 2016 a Cedec  e a Feam pretendem capacitar aproximadamente 850 pessoas, entre agentes de proteção e defesa civil, policiais e bombeiros militares, agentes de saúde, meio ambiente e população em todo o estado de Minas Gerais, por meio da realização de cursos regionalizados em todos os territórios de desenvolvimento.

O papel da Proteção e Defesa Civil tem se tornado cada vez mais importante nas ações de gestão do risco ou antecipação de desastres, visando minimizar seus efeitos ou evitá-los. As ações também são relevantes nas atividades de socorro às vítimas, assistência humanitária à população afetada, reabilitação dos cenários atingidos e a recuperação das áreas impactadas. Daí a importância de mobilizar as comunidades locais.

O diretor de Ensino da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil, capitão da Polícia Militar Josmar Henrique Garcia, destaca os objetivos  da Capacitação Regional em Proteção e Defesa Civil e Mudanças Climáticas. “Com a regionalização, oportuniza- se a participação efetiva da comunidade local e a realização de debates, pontualmente, das dificuldades de cada região frente aos riscos dos desastres e os efeitos negativos das mudanças climáticas”, diz.

Segundo o capitão, a realização do curso nos territórios de desenvolvimento auxilia o desenvolvimento dos trabalhos de forma integral. “Isso permite que vários setores, tanto públicos como privados, possam contribuir sobremaneira nas ações preventivas e de resposta aos desastres”, afirma Garcia.

Cidades resilientes

Durante a abertura dos cursos é apresentado aos presentes o Programa Minas Mais Resiliente, que baseia-se nos direcionamentos da Organização das Nações Unidas (ONU) para a construção de cidades resilientes.

Segundo a ONU, uma cidade resiliente é aquela que tem capacidade de resistir, absorver e se recuperar de maneira eficiente dos efeitos de um desastre, bem como, de maneira organizada, prevenir e preparar a população para que estes efeitos sejam mitigados. Para conhecer mais sobre a Campanha Construindo Cidades Resilientes da ONU acesse o site:  www.unisdr.org/files/26462_guiagestorespublicosweb.pdf.

 “As capacitações territoriais do Curso Regionalizado em Proteção e Defesa Civil e Mudanças Climáticas buscam promover discussões e reflexões sobre os desastres e economia de baixo carbono no Estado, reduzir a vulnerabilidade às mudanças climáticas e articular as diversas iniciativas já desenvolvidas e planejadas, dentro de uma estratégia territorial integrada”, ressalta a analista ambiental da Feam, Rosangela Mattioli Silva.

Essa atividade integra a ação “Fortalecimento da Capacidade de Adaptação Local às Mudanças Climáticas em Minas Gerais”, do Programa Minas Mais Resiliente do Gabinete Militar do Governador, por meio da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil.

Conteúdo

Os discentes participam de aulas que abordam os seguintes  temas:

– Conceituação básica em proteção e defesa civil;

-Sistema Nacional de Proteção e Defesa Civil e Política Nacional de Proteção e Defesa Civil;

– Sistema de monitorização, alerta e alarme;

-Programa Estadual de Combate à Dengue;

-Noções de meteorologia; Instrumento de apoio aos municípios;

-Mapeamento de área de risco; Planejamento contingencial;

-Administração de abrigo temporário; Transferência de recursos do Governo Federal;

– Papel dos municípios no combate às mudanças climáticas;

– Instrução Normativa nº 01/12 – MI e Sistema Integrado de Informações sobre Desastres – S2ID;

– Gestão dos recursos naturais para adaptação às mudanças climáticas;

– Planejamento urbano e governança local;

– Desafios e oportunidades;

– Instalação e operacionalização do órgão municipal de proteção e defesa civil.

Dessa forma, os participantes do treinamento se encontram aptos para contribuir com  o aumento de resiliência de suas respectivas comunidades e adotar medidas de redução do risco de desastre para proteger vidas, propriedades e o meio ambiente.

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

Nova música de Sia traz letra que empodera mulheres

Nova música de Sia traz letra que empodera mulheres

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 5 de dezembro de 2016.Nova música de …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).