Inicio » Norte de Minas » Norte de Minas – A BR 251 será restaurada para amenizar a precariedade da parte mineira da estrada

Norte de Minas – A BR 251 será restaurada para amenizar a precariedade da parte mineira da estrada

 

A BR-251 passará por uma reforma no trecho que no município de Montes Claros até o encontro com a BR-116 (Rio-Bahia), passando pelas cidades de Francisco Sá e Grão Mogol.
Norte de Minas - A BR 251 será restaurada para amenizar a precariedade da parte mineira da estrada
Norte de Minas – A BR 251 será restaurada para amenizar a precariedade da parte mineira da estrada

 

Segundo o engenheiro do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), Wainer Andrade, serão investidos de R$70 milhões para amenizar a precariedade da parte mineira da estrada, corrigindo as ondulações e deformações.

PUBLICIDADE

///////////////////////////

De acordo com o engenheiro, o projeto para a duplicação da via pressupõe adequação de capacidade, viadutos e trincheiras, e está orçada inicialmente em R$ 1 bilhão, impossíveis de serem liberados pelo governo federal agora, mas o recurso liberado, apesar de não ser a solução definitiva, vaidar fim às ondulações e deformações que tornam partes da BR intrafegáveis.
Não conseguiríamos essa solução provisória se não fosse pela determinação e interferência da deputada federal Raquel Muniz sobre o Ministério do Transporte e outros órgãos da administração federal. A Frente para a Duplicação da BR-251.

VIATOTAL

ViaTotal

///////////////////////////

Segundo o engenheiro do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), Wainer Andrade, os recursos são da ordem de R$70 milhões, e uma parte deles – 20 milhões – já se encontra licitada.

De acordo com o engenheiro, os valores serão usados basicamente para dar fim às ondulações e deformações que tornam partes da BR intrafegáveis.

– O projeto para a duplicação da BR-251 pressupõe adequação de capacidade, viadutos e trincheiras, e está orçada inicialmente em R$ 1 bilhão, impossíveis de serem liberados pelo governo federal agora, sobretudo por conta da grave crise econômica e da falta de recursos para financiar obras de infraestrutura, mas conseguimos o suficiente para amenizar a precariedade da parte mineira da estrada, corrigindo, em breve, os buracos e as ondulações – esclarece.

Andrade ressalta que seria impossível conseguir esses recursos sem a interferência da deputada federal Raquel Muniz.

– Não é a solução definitiva, mas melhora a trafegabilidade, e acaba se tornando uma solução funcional. Mas não conseguiríamos essa solução provisória se não fosse pela determinação e cobranças da deputada federal Raquel Muniz sobre o Ministério do Transporte e outros órgãos da administração federal. A Frente para a Duplicação da BR-251, liderada pela deputada, começa a surtir efeitos – avalia.

O engenheiro explica que, inicialmente, dois trechos serão recuperados. O primeiro é o que compreende Montes Claros – Trevo de Grão Mogol – Vale das Cancelas, e o segundo, de Grão Mogol à cidade de Salinas, que já foi licitado.

Esses investimentos só estão sendo possíveis depois que a deputada federal Raquel Muniz (PSD) criou a Frente Parlamentar para a Duplicação da BR-251, com intensa campanha em todo o trajeto que liga Montes Claros à Rio-Bahia, mobilizando lideranças municipais, estaduais e federais para a grande causa que é poupar vidas humanas, consumidas em trechos mal cuidados em toda a extensão da BR.

A visibilidade que a campanha deu para a causa motivou inúmeras emendas ao orçamento, todas no sentido de fortalecer a briga pela duplicação da rodovia, orçada inicialmente em R$1 bilhão.

A BR-251 tem sido palco de muitas tragédias. Acreditamos que o recapeamento pode ajudar a evitar muitos acidentes. Agradecemos ao Dnit a parceria que vai salvar vidas. Vou continuar lutando pela duplicação da 251, que é a solução definitiva para que esta BR deixe de se chamar ‘rodovia da morte’. Nossa gente merece chegar em segurança ao seu destino – ressalta a deputada estadual Raquel Muniz.

BR-251
A BR-251 ou, oficialmente, Rodovia Júlio Garcia, é uma rodovia transversal que passa dentro de quatro estados, além do Distrito Federal. Bahia, Tocantins, Minas Gerais e Goiás recebem trechos da 251, alguns ainda na terra, enquanto o restante em precárias condições de trafegabilidade.

O primeiro trecho no Norte de Minas Gerais, de 45 quilômetros, foi construído em 1982. O segundo trecho, até Salinas, data de 1986, enquanto o terceiro e último, até a Rodovia Rio-Bahia foi inaugurado em 1996 pelo então presidente Fernando Henrique Cardoso.

Pela rodovia, que encurta em 300 km a ligação entre o Nordeste e o Sudoeste do país, passam 10 mil caminhões por dia. Segundo a Polícia Rodoviária Federal, ocorrem em média 94 acidentes, com mais de 100 pessoas feridas, além de uma média de 15 mortes/ano.

Esses dados alarmantes chamaram a atenção da deputada Raquel Muniz, que lançou, em 25 de agosto de 2015, junto com outros parlamentares, a Frente Parlamentar para a Duplicação da BR-251, depois de constatar que a representação na Câmara Federal, direta e indiretamente envolvida com a 251, comportaria cerca de 380 deputados, em um universo de 513 parlamentares.

Por Marcelo  Valmor
------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

Cultura Moc - Festa Nacional do Pequi começa na próxima semana

Cultura Moc – Festa Nacional do Pequi começa na próxima semana

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 10 de dezembro de 2016.Cultura Moc – …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).