Inicio » Norte de Minas » Norte de Minas – Suspeito confessa que estuprou matou e arrancou coração de menina em Buenopólis

Norte de Minas – Suspeito confessa que estuprou matou e arrancou coração de menina em Buenopólis

Norte de Minas – Suspeito confessa que estuprou matou e arrancou coração de menina em Buenopólis

Procurado, desde a última quinta-feira (2), quando o corpo de Raiane Aparecida Cândida Costa, 10, foi achado sem o coração, o suspeito Jairo Lopes, 42, foi preso na manhã desta quarta-feira (8). O crime ocorreu em Buenopólis, no Norte de Minas. Na Delegacia de Polícia Civil de Curvelo, para onde o criminoso foi levado, ele confessou ter estuprado, matado a menina e arrancado o coração dela.

Norte de Minas - Suspeito confessa que estuprou matou e arrancou coração de menina em Buenopólis
Norte de Minas – Suspeito confessa que estuprou matou e arrancou coração de menina em Buenopólis

 

“Eu não queria ter feito isso não. Mas aconteceu que ela morreu, né? Por mais que eu explique, as pessoas não acreditam na gente. Não tem como eu explicar o motivo. Não tem como. Eu peço desculpas, mas ninguém perdoa não”, afirmou o suspeito.

Ainda segundo a Polícia Civil, Lopes contou que enterrou o coração da menina perto da casa dela. Ele disse ter cometido o crime porque ficou sabendo que a família da vítima teria dinheiro. O suspeito disse que saiu com a menina a princípio para fazer uma chantagem com a família, porém ele estrangulou Raiane estuprou a menina, pegou uma faca e arrancou o coração dela. Segundo a polícia, ele pode ter retirado órgão para fazer magia negra.

PUBLICIDADE

///////////////////////////

Ao todo, Lopes confessou ter cometido três estupros , dois homicídios e dois roubos. Ele estava foragido há três anos.  A Polícia Civil vai nesta tarde para o local onde ele enterrou o órgão. Segundo a polícia o suspeito será indiciado por estupro qualificado e ocultação de cadáver.

Do lado de fora da delegacia, a população faz protesto e pede Justiça.

Suspeito tinha negado crime para a Polícia Militar ao ser preso

Para a Polícia Militar ele negou que tivesse cometido o crime. De acordo com o subcomandante do 42° Batalhão da Polícia Militar de Curvelo, Major Savio Lemos, a prisão do suspeito ocorreu por volta das 8h40 da manhã. Jairo Lopes foi encontrado por funcionários de uma fazenda na zona rural da cidade.

“Ele falou que a mulher mandou ele embora de casa. Não assumiu a autoria do crime. Ele nega”, completou o subcomandante Savio Lemos. Ainda segundo o comandante a polícia foi acionada por funcionários da fazenda. “Eles o encontram no campo, fugindo. Cerca de 15 pessoas estavam trabalhando na propriedade que é enorme. No entanto, eles já estavam informados que o suspeito estava rondando a região. A PM já tinha passado fotos do Jairo para os lavradores. Hoje, eles viram uma pessoa diferente nas pastagens. O suspeito chegou a se esconder no meio da vegetação, mas foi encontrado. Os populares precisaram empenhar força física para contê-lo, porque ele ofereceu resistência”, contou o militar.

O cabo Rondinele Veloso da 14° Cia Independente de Meio Ambiente e Trânsito que estava empenhado na ocorrência destacou ainda que populares quiseram linchar o suspeito.  “Alguns funcionários da fazenda estavam a cavalo e outros na carroceria de um caminhão. Muitas pessoas se aglomeraram, na ocasião, e queriam linchar o suspeito, mas conseguimos impedir. Na hora que foi pego, ele tentou fugir dos populares, mas acabou sendo amarrado por um vaqueiro”, explicou o cabo.

PUBLICIDADE

///////////////////////////

Ainda conforme o subcomandante, 40 homens estão empenhados neste momento na ocorrência. A guarnição está em frente à Segunda Delegacia Regional de Curvelo, no Centro da cidade. Foi preciso isolar a área, pois curiosos estão na porta da Delegacia. Durante a semana, 150 militares estavam empenhados nas buscas na zona rural de Curvelo. “Foi crucial manter as pessoas informadas da presença do suspeito na região”, finalizou o subcomandante.

Entenda o caso

Jairo Lopes era vizinho da menina Raiane, em Buenópólis, na região Central do Estado, e teria a estuprado, matado e arrancado o coração dela.

Antes deste crime, ele já era procurado pela Justiça por homicídio, um outro estupro e roubo. O homem usava nome falso e, uma semana antes de matar a menina, apareceu no imóvel em que a garota morava com a família.

A criança não tinha sido mais vista após sair de casa sozinha para ir à escola na manhã de quarta-feira (1º). O pai da menina contou à polícia que a filha tinha que voltar para casa às 14h. Como a criança não apareceu, ele foi até a escola, onde foi informado que a vítima não havia aparecido na instituição. Em seguida, o homem foi atrás do motorista do escolar que levava a pequena para estudar.

Ele contou que passou no ponto em que costumava pegar a estudante, mas ela não estava. Após o registro da ocorrência, policiais civis e militares começaram a fazer buscas na cidade. Na quinta, a estudante foi encontrada na zona rural de Buenópolis. Seu corpo estava coberto. Além de sinais de abuso sexual, ela apresentava várias lesões e uma perfuração no estômago. Seu coração não foi encontrado.

A vítima era a filha caçula. Ela tem um irmão de criação de 18 anos. Há cerca de oito meses, a mãe da menina faleceu devido a problemas de saúde. Desde então, a criança era criada pela avó materna e pelo pai.

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

Montes Claros – Confira os destaques policiais das últimas 24h

Montes Claros – Confira os destaques policiais das últimas 24h

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 7 de dezembro de 2016.Montes Claros – …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).