Inicio » Montes Claros » Montes Claros – Hospital Universitário está com mais de R$ 12 milhões nos cofres enquanto a saúde passa por uma situação caótica

Montes Claros – Hospital Universitário está com mais de R$ 12 milhões nos cofres enquanto a saúde passa por uma situação caótica

Montes Claros – Hospital Universitário está com mais de R$ 12 milhões nos cofres enquanto a saúde passa por uma situação caótica

A informação apresentada pelo superintendente do Hospital Universitário Clemente de Faria, de que o hospital está com mais de R$ 12 milhões nos cofres enquanto a saúde passa por uma situação caótica, foi recebida sob acirradas críticas do Conselho.
Montes Claros - Hospital Universitário está com mais de R$ 12 milhões nos cofres enquanto a saúde passa por uma situação caótica
Montes Claros – Hospital Universitário está com mais de R$ 12 milhões nos cofres enquanto a saúde passa por uma situação caótica

 

O Conselho Municipal de Saúde de Montes Claros realizou, na tarde nesta quinta-feira (09/06/2016), uma reunião extraordinária, a primeira oficialmente presidida pelo novo secretário de Saúde, Maquieden Durães Viriato, que tomou posse do cargo na semana passada.

PUBLICIDADE

///////////////////////////

Durante a reunião, o superintendente do Hospital Universitário Clemente de Farias, José Otávio Lima, apresentou a prestação de contas da unidade hospitalar. Segundo ele, mais de R$ 12 milhões estão nos cofres da instituição e que ainda não foram utilizados para compra de aparelhos e investimentos em obras de ampliação, reformas e para o custeio.

– Todas as licitações nesse sentido já foram feitas e em breve pretendemos utilizar esses recursos – observou o superintendente, sob acirradas críticas dos conselheiros. Para um deles, Kojak Cangussu, a prestação de contas foi uma espécie de “abertura do caixa dois do Hospital Universitário”.

Segundo os conselheiros, o fato de os recursos estarem guardados, sem serem utilizados, prejudica ainda mais a saúde pública em Montes Claros, que passa por situação caótica desde que a gestão plena da Saúde foi tomada do município pelo Estado – e que no momento é um setor em decadência total, sem recursos para manter diversos procedimentos.

– Temos, sobretudo, falta de leitos e esse dinheiro deveria ser utilizado também com este propósito – ressaltou, por sua vez, o conselheiro Roberto Coelho, acrescentando que a situação é dramática em vários hospitais.

– Em muitos, como no Pronto-Socorro da Santa Casa, os pacientes estão sendo atendidos no chão – denuncia.

Os conselheiros também criticaram o péssimo serviço de acolhimento que é prestado nas unidades hospitalares que atendem pelo Sistema Único de Saúde (SUS), uma vez que os funcionários são incapacitados para a função.

– Os pacientes ficam à mercê dessa incompetência, jogados de um lado para o outro e sem receber atendimento – completa Roberto Coelho.

O superintendente do HU, José Otávio Lima, apresentou a prestação de contas da unidade hospitalar
O superintendente do HU, José Otávio Lima, apresentou a prestação de contas da unidade hospitalar

VENTILADORES PULMONARES

Durante a reunião, o secretário de Saúde também anunciou que enviará à reitoria da Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes), ofício reivindicando a transferência de três ventiladores pulmonares para hospital Alpheu de Quadros. Os aparelhos foram adquiridos pelo hospital Mário Ribeiro da Silveira, mas destinados através de medida judicial para o Hospital Universitário, que agora pretende enviá-los para outros municípios da região.

– Vamos reivindicá-los para que possam atender três leitos de urgência e emergência do hospital Alpheu de Quadros, acatando sugestão do próprio superintendente do Hospital Universitário – observou Maquieden Viriato, destacando comentário de Otávio Lima de que nem todos os municípios têm recursos humanos para operar o aparelho e que, nesse caso, eles deveriam ser transferidos para o Alpheu de Quadros.

VIATOTAL

ViaTotal

///////////////////////////

REMANEJAMENTO DE PLANTÕES CLÍNICOS

Na reunião, a secretaria municipal de Saúde de Montes Claros informou que pretende remanejar médicos que dão plantão no posto de saúde dos bairros Esplanada e Santos Reis para manter o plantão, no mesmo horário, no Pronto Atendimento do Hospital Municipal Alpheu de Quadros, como alternativa para atender à grande demanda daquela unidade hospitalar.

A medida contou com aprovação de todos os conselheiros, mas antes de ser colocada em prática, de acordo com o secretário, será feito estudo para detectar o impacto que o remanejamento dos plantonistas causará aos usuários. O secretário também ressaltou que as unidades do Programa Saúde da Família dos dois bairros não sofrerão alteração em suas equipes, mantendo o atendimento normalmente.

– Tudo será feito sem que haja prejuízo para essas pessoas e será uma medida de caráter experimental. O fato é que ela precisa ser tomada para evitar que as pessoas morram por falta de médicos – ressaltou o secretário, que nos próximos dias fará uma visita ao Alpheu de Quadros para verificar, in loco, as deficiências no sentido de solucioná-las o mais brevemente possível.

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

Cultura NM - Hungria se apresenta em Bocaiuva

Cultura NM – Hungria se apresenta em Bocaiuva

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 9 de dezembro de 2016.Cultura NM – …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).