Inicio » Nacional » Piauí registra terceiro estupro coletivo em menos de um mês

Piauí registra terceiro estupro coletivo em menos de um mês

Piauí registra terceiro estupro coletivo em menos de um mês

Uma mulher de 21 anos foi estuprada por quatro homens dentro de um carro na cidade de Sigefredo Pacheco, na região norte do Piauí (a 165 km de Teresina).

Piauí registra terceiro estupro coletivo em menos de um mês
Piauí registra terceiro estupro coletivo em menos de um mês

 

A vítima estava desacordada quando foi violentada pelos quatro homens, que ainda não tiveram as identidades reveladas. Nenhum dos envolvidos foi preso. Esse é o terceiro caso de estupro coletivo ocorrido no Estado em menos de um mês.

PUBLICIDADE

///////////////////////////

A jovem foi estuprada há cerca de dez dias e, envergonhada, disse que não denunciou o crime à polícia. O caso chegou às autoridades anteontem, depois que vídeo e fotos começaram a circular em grupos de WhatsApp na cidade durante o fim de semana.

Nas imagens, a vítima aparece desacordada no banco traseiro de um carro e quatro homens tocam em suas partes íntimas. Rindo, um deles acaricia a vagina da vítima. Outro rapaz ironiza a punição pelo crime e diz: “Amanhã todo mundo preso em Sigefredo Pacheco”.

Segundo o delegado regional Laércio Evangelista, a vítima procurou a polícia na segunda-feira e contou que conhecia os rapazes, mas não lembra como foi parar dentro do carro. A suspeita é que ela tenha sido dopada sem saber. A polícia está trabalhando na identificação dos envolvidos.

Ontem a mulher compareceu ao Instituto Natan Portela para tomar um coquetel anti-Aids e outras doenças sexualmente transmissíveis.

PUBLICIDADE

///////////////////////////

Menor. Esse caso de violência sexual se soma a outro ocorrido no dia 7 de junho, em que uma garota de 14 anos foi estuprada por quatro homens em um banheiro de uma quadra de esportes na cidade de Pajeú do Piauí, na região Sul do Estado.

No dia 20 de maio, uma garota de 17 anos foi encontrada desacordada em uma construção abandonada na cidade de Bom Jesus, na região Sul do Piauí. A vítima estava com a calcinha amarrada à boca. Cinco pessoas são suspeitas do crime.

Outro caso emblemático foi registrado no dia 27 de maio de 2015, na cidade de Castelo do Piauí, na região Norte do Estado. Quatro adolescentes entre 14 e 17 anos foram atacadas quando estavam subindo o morro do Garoto, ponto turístico da cidade, para tirar fotos. Elas foram dominadas, estupradas, arrastadas e jogadas de cima de um penhasco da altura de um prédio de três andares. Caídas, ainda foram apedrejadas. Uma delas morreu.

Rio. Os acontecimentos de violência contra a mulher foram potencializados pela comoção gerada com o estupro coletivo de uma adolescente de 16 anos no morro do Barão, no Rio de Janeiro.

Especialistas afirmam que é preciso desconstruir a ideia de que haja um padrão para crimes sexuais – no Brasil ou em outros países. “O estupro é como se fosse uma doença que se espalha massivamente, sem distinção. Ocorre todos os dias, em todas as classes e situações”, afirma a socióloga Fátima Pacheco Jordão, ao site do jornal “El País”.

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

MG - Jovem inventa que mãe está passando mal para estuprar vizinha

MG – Jovem inventa que mãe está passando mal para estuprar vizinha

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 5 de dezembro de 2016.MG – Jovem …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).