Inicio » Política » CPI do DPVAT – Comissão solicitará documentos da operação Tempo de Despertar

CPI do DPVAT – Comissão solicitará documentos da operação Tempo de Despertar

CPI do DPVAT – Comissão solicitará documentos da operação Tempo de Despertar

A operação da PF tem cumprido mandados judiciais de prisão, busca e apreensão, afastamento de cargo público e sequestro de bens de envolvidos em casos corrupção relacionados ao seguro.

A deputada Raquel Muniz relata que a Polícia estima que as fraudes no DPVAT podem chegar a R$ 28 milhões só nos estados da Bahia, Rio de Janeiro e Minas Gerais
A deputada Raquel Muniz relata que a Polícia estima que as fraudes no DPVAT podem chegar a R$ 28 milhões só nos estados da Bahia, Rio de Janeiro e Minas Gerais

 

Na sessão da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga fraudes na utilização de recursos do seguro DPVAT, aprovou requerimento da deputada Raquel Muniz (MG), vice-presidente do colegiado, para que sejam solicitados ao Ministério da Justiça cópias dos documentos oriundos da operação Tempo de Despertar, da Policia Federal (PF).

PUBLICIDADE

///////////////////////////

De acordo com a parlamentar, a operação da PF tem cumprido mandados judiciais de prisão, busca e apreensão, afastamento de cargo público e sequestro de bens de envolvidos em casos corrupção relacionados ao seguro.

A Polícia estima, segundo a deputada, que as fraudes no DPVAT podem chegar a R$ 28 milhões só nos estados da Bahia, Rio de Janeiro e Minas Gerais.

Raquel Muniz acrescentou ainda, na justificativa ao requerimento, que 39 pessoas já foram presas, incluindo delegados e agentes da Polícia Civil, advogados, médicos e empresários.

DEPOIMENTOS

Ainda na sessão de quarta-feira, a CPI do DPVAT aprovou dois pedidos da deputada mineira, de convocar o diretor-presidente da seguradora Líder, Ricardo Xavier, para prestar depoimento no colegiado (Req. 02/16), e a presença do superintendente de Seguros Privados (Susep), Roberto Westenberger (Req. 03/15).

Segundo a deputada, por se tratar de uma investigação de indícios de fraudes no seguro obrigatório, o depoimento do diretor da seguradora Líder – responsável pela gestão do seguro – se torna necessário.

– Somente em uma operação da Polícia Federal, realizada em 2012, foi possível constatar fraudes da ordem de R$ 30 milhões. De posse dessas informações, os policiais federais intensificaram as investigações no interior da seguradora.

A Susep é responsável por fiscalizar as seguradoras.

– É de suma importância que o superintendente do órgão fiscalizador da constituição, organização, funcionamento e operações das Sociedades Seguradoras seja ouvido por este colegiado – justificou Muniz.

OPERAÇÃO TEMPO DE DESPERTAR

Realizada em abril de 2015, pela Polícia Federal, a Operação Tempo de Despertar teve como objetivo o combate a fraudes no seguro obrigatório de danos pessoais, o DPVAT. Foram cumpridos 229 mandados judiciais em Minas Gerais, Bahia e Rio de Janeiro, sendo 41 de prisão, 7 de conduções coercitivas – quando a pessoa é levada para depor – e 61 mandados de busca a apreensão, além de 12 afastamentos de cargo público, 51 sequestros de bens e 57 afastamentos de sigilo bancário.

Na época, a PF divulgou que a estimativa era de que a fraude poderia chegar a R$ 28 milhões e que os primeiros levantamentos mostraram que foram pagos R$ 25 milhões indevidamente. Ainda segundo a polícia, 39 pessoas foram presas – entre elas 10 agentes e um delegado da Polícia Civil, um policial militar, oito advogados, três médicos, dois fisioterapeutas e 14 empresários.

VIATOTAL

ViaTotal

///////////////////////////

A FRAUDE

O seguro DPVAT é pago por pessoas que têm veículos automotores. Por lei, a arrecadação e a gestão são feitas pela seguradora Líder. Para conseguir que o seguro fosse pago, de acordo com o MP e PF, os envolvidos fraudavam documentos como boletins de ocorrência, atestados médicos e procurações. Além disso, conseguiam ter acesso a informações privilegiadas com dados de possíveis vítimas, por meio de funcionários de hospitais e policiais.

Por iniciativa de denúncias de juízes, que encaminhavam casos com indícios de fraude para o MP e PF, que as investigações começaram. Apenas em Montes Claros, dos 60 mil processos em tramitação, 10 mil são relacionados ao DPVAT.

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

Cultura Moc - Festa Nacional do Pequi começa na próxima semana

Cultura Moc – Festa Nacional do Pequi começa na próxima semana

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 10 de dezembro de 2016.Cultura Moc – …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).