Inicio » Norte de Minas » Norte de Minas – Pirapora pode perder R$ 2 bilhões em investimentos

Norte de Minas – Pirapora pode perder R$ 2 bilhões em investimentos

Norte de Minas – Pirapora pode perder R$ 2 bilhões em investimentos

Espanhola Solatio Energia aguarda licença ambiental que não foi dada pelo governo do Estado de Minas Gerais. Boa parte dos investimentos seria em Pirapora, no Norte de Minas, de R$ 2 bilhões no prazo de dois anos e meio, o que seria a primeira fase do projeto, de um total de três.

Norte de Minas - Pirapora pode perder R$ 2 bilhões em investimentos
Norte de Minas – Pirapora pode perder R$ 2 bilhões em investimentos

 

Minas Gerais pode perder para outro Estado investimentos da ordem de R$ 6 bilhões da espanhola Solatio Energia – empresa especializada em projetos fotovoltaicos. O motivo é o atraso do licenciamento ambiental. Segundo o presidente da empresa no Brasil, Pedro Vaquer, a licença de instalação já deveria ter sido obtida em maio deste ano.

VIATOTAL

ViaTotal

///////////////////////////

A urgência se deve ao fato de que a Solatio precisa cumprir prazos com a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) na entrega da energia solar. A empresa participou do último leilão de energia de reserva de 2015, realizado em novembro passado pela Aneel.

Vaquer explica que boa parte dos investimentos seria em Pirapora, no Norte de Minas, de R$ 2 bilhões no prazo de dois anos e meio, o que seria a primeira fase do projeto, de um total de três. O município abrigaria a maior usina, que seria a maior da América Latina, com capacidade de geração de 300 megawatts.

A intenção da empresa é instalar em território mineiro, quatro plantas de geração de energia fotovoltaica. Além de Pirapora, seriam viabilizadas usinas em Guimarânia (Alto Paranaíba), Vazante e Paracatu (Noroeste). A empresa iniciou 2016 com 31% do mercado solar brasileiro.

O deputado estadual Iran Barbosa (PMDB) disse que participou de uma reunião nessa quinta-feira (07/08/2016) na Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) e que ficou estabelecido que haverá um esforço para que a análise e a entrega da licença de instalação possam ser concluídas até, no máximo, na próxima segunda-feira.

O presidente da Solatio no Brasil confirmou a informação. “O secretário me informou que o problema seria solucionado até segunda”, confirmou.

Entretanto, mesmo que a licença de instalação seja dada no prazo informado pela Semad, Vaquer ressaltou que a empresa terá que pagar multa, já que não conseguirá operar no prazo estabelecido pela Aneel. “Está estabelecida uma multa por atraso na casa dos R$ 8 milhões por mês. E já estamos dois meses atrasados”, reclamou o executivo.

O prazo, conforme o deputado Iran Barbosa, é de dois anos a partir do dia do leilão. A previsão era que a megausina de energia fotovoltaica entrasse em funcionamento em agosto do ano que vem, quando deverá iniciar o fornecimento de 150 megawatts para o Sistema Interligado Nacional de geração, transmissão e distribuição de energia elétrica.

Destino pode ser SP e Mato Grosso do Sul

O local que poderá receber os investimentos da Solatio Energia pode ser definido na próxima terça-feira, caso a licença de instalação no Estado não seja viabilizada, até segunda, conforme o presidente da empresa no Brasil, Pedro Vaquer. “Já discutimos demais, precisamos de um lugar que nos garanta segurança jurídica. Não podemos arriscar todos os nossos projetos”, frisou.

Ele disse que não foi definido o Estado que poderia receber os investimentos que seriam direcionados para Minas Gerais. “Em princípio existe a possibilidade de irmos para Mato Grosso do Sul e São Paulo”, diz.

O deputado estadual Iran Barbosa (PMDB) afirma que a greve dos funcionários do Sistema Estadual do Meio Ambiente (Sisema) e a burocracia ajudaram a atrasar o processo de licenciamento. “A maior parte dos investimentos da Solatio, cerca de 70% do total, estão direcionados para Minas. A empresa tem investimento em outros Estados e o único que eles tiveram problemas foi aqui”, observa. O parlamentar conta que vai se reunir com trabalhadores do Sisema em busca de uma solução.

Semad diz que está se esforçando

A Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad), em nota, informou que a licença prévia para a Solatio Energia foi concedida com apresentação e análise do Relatório de Controle Ambiental (RCA). O órgão frisou que a empresa formalizou processo de licenciamento ambiental na fase de instalação do empreendimento de Pirapora, em 2 de fevereiro de 2016.

E que o prazo previsto em lei é de seis meses. A Semad frisou que está se esforçando para concluir a análise do processo de Licença de Instalação da usina.

PUBLICIDADE

///////////////////////////

Em conversa telefônica com o Deputado Estadual Dr. Gil Perira, na tarde de hoje, (08/07/2016) confirmou ao Jornal Montes Claros que os documentos meio ambientais já estão sendo liberados por parte da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad), e que para a próxima segunda-feria estes já se encontrem nas mão da empresa Solatio Energia.

A Solatio Energia, confirmou ao Jornal Montes Claros, que até a tarde de hoje, ainda não tinha recebido os documentos, mais que aguarda uma posição da SEMAD, sobre o possível pagamento da multa por atraso na entrada em funcionamento das usinas fotovoltaicas.

* Com informações do O Tempo


------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

Cultura Moc - Festa Nacional do Pequi começa na próxima semana

Cultura Moc – Festa Nacional do Pequi começa na próxima semana

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 10 de dezembro de 2016.Cultura Moc – …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).



Um comentário

  1. Em outra materia essa empresa frisou que vai gerar 400 empregos, mas em limeir são paulo, e em são paulo e que eles vão montarem os paineis, então não fara diferença ela se instalar aqui, e o problema do meio ambiente parece ser uma mera desculpa