Inicio » Nacional » Ex-BBB Laércio se torna réu em processo por estupro e tráfico de droga

Ex-BBB Laércio se torna réu em processo por estupro e tráfico de droga

Ex-BBB Laércio se torna réu em processo por estupro e tráfico de droga

A Justiça do Paraná aceitou a denúncia do Ministério Público contra Laércio de Moura, participante da 16ª edição do “Big Brother Brasil”. Com isso, ele passa a ser réu no processo. A denúncia acusa o ex-BBB de estupro de vulnerável e tráfico de drogas. Laércio está preso desde o dia 16 de maio na Casa de Custódia de Curitiba e o caso segue em segredo.

Desafeto da mineira Ana Paula, ex-BBB Láercio era investigado há meses pela polícia de Curitiba
Desafeto da mineira Ana Paula, ex-BBB Láercio era investigado há meses pela polícia de Curitiba

PUBLICIDADE

///////////////////////////

Segundo informações do site “G1”, o advogado que defende o curitibano de 53 anos ainda não se pronunciou. A denúncia do Ministério Público do Paraná foi oferecida à Justiça no dia 7 de junho e aceita em 13 de junho. A decisão não foi divulgada por conta do sigilo. O inquérito sobre a prisão de Laércio foi concluído no fim de maio. O MP-PR denunciou Moura pelos crimes de estupro, tráfico de drogas e oferecer bebida alcoólica a menor de idade.

As acusações são baseadas em artigo do Código Penal que define como estupro de vulnerável qualquer tipo de contato sexual com alguém menor de 14 anos, ou sem discernimento para oferecer resistência. Entre as denúncias contra o ex “Big Brother”, havia o testemunho de uma jovem, que entregou à polícia diversos “prints” de conversas com Laércio, entre 2012 e 2013.

A garota de 17 anos, cuja identidade não foi revelada, teria se relacionado com o tatuador aos cerca de 13 anos de idade. Na época, Laércio tinha 49. Ele ainda teria assediado a jovem por meio de mensagens. Conforme a delegada Daniela de Andrade, as investigações apontaram que o ex-BBB manteve uma espécie de “relacionamento” com a adolescente por três anos.

PUBLICIDADE

///////////////////////////

Relembre o caso

A investigação contra Laércio começou quando ele ainda participava do reality show. Durante a competição, ele virou alvo de polêmica nas redes sociais após ter sido apontado como pedófilo em uma briga com Ana Paula. Em seu perfil no Facebook, Laércio seguia páginas de armas, supremacia racial e a fanpage de uma participante do “MasterChef Júnior” (Band), de 12 anos, que sofreu com comentários de cunho sexual nas redes sociais em 2015.

Ele ainda teria “confessado” ser efebófilo, pessoa que sente atração sexual por adolescentes, além de ter relatado namorar jovens de 17 e 19 anos de idade. Após a polêmica, sua conta na rede social foi desativada. No programa, Laércio chegou a cogitar desistir da competição depois de ter discutido com Ana Paula. Após sua eliminação, ele disse que processaria a colega de confinamento pelas acusações.

Em entrevista coletiva após o reality, ele admitiu ter atração por adolescentes, mas que nunca havia tido relações sexuais com menores de idade. “Às vezes você vê uma menina de 1,80 m de altura e pensa que ela tem 20 e poucos anos, quando vai ver, tem 18, 19”, disse Laércio na ocasião.

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

Temer sanciona com veto lei que repassa custos do Fies com bancos para faculdades

Temer sanciona com veto lei que repassa custos do Fies com bancos para faculdades

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 2 de dezembro de 2016. Temer sanciona …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).