Inicio » Economia » Desemprego chega a 11,3% no segundo trimestre, o maior desde 2012

Desemprego chega a 11,3% no segundo trimestre, o maior desde 2012

Desemprego chega a 11,3% no segundo trimestre, o maior desde 2012

O desemprego no país atingiu, em média, 11,3% no segundo trimestre de 2016. Essa é a maior taxa já registrada pela pesquisa do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), que começou a ser feita em 2012.

Desemprego chega a 11,3% no segundo trimestre, o maior desde 2012
Desemprego chega a 11,3% no segundo trimestre, o maior desde 2012

 

No período, o número de desempregados no Brasil subiu para 11,6 milhões de pessoas, que também é o maior já registrado pela pesquisa.

São 497 mil desempregados a mais do que no primeiro trimestre, crescimento de 4,5%. Em um ano, são 3,2 milhões de pessoas a mais sem emprego, um aumento de 38,7%.

Os dados foram divulgados nesta sexta-feira (29) e fazem parte da Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios) Contínua, do IBGE. São pesquisadas 211.344 casas em cerca de 3.500 municípios.

PUBLICIDADE

///////////////////////////

O IBGE considera desempregado quem não tem trabalho e procurou algum nos 30 dias anteriores à semana em que os dados foram coletados.

O desemprego no trimestre ficou dentro da expectativa de analistas. Projeção de pesquisa da Reuters indicava que a taxa chegaria a 11,3%, o que de fato aconteceu.

Comparação com resultados anteriores

No segundo trimestre de 2016, a taxa de desemprego foi de 11,3%:

  • no primeiro trimestre, havia sido de 10,9%;
  • um ano antes (segundo trimestre de 2015), havia sido de 8,3%;

O número de desempregados chegou a 11,6 milhões:

  • no primeiro trimestre, havia sido de 11,1 milhões;
  • um ano antes (segundo trimestre de 2015), havia sido de 8,4 milhões;

Rendimento cai 1,5% no trimestre

O rendimento real (ajustado pela inflação) do trabalhador caiu para R$ 1.972 no segundo trimestre deste ano, chegando ao patamar mais baixo desde o trimestre entre novembro de 2012 e janeiro de 2013, quando foi de R$ 1.969.

Na comparação com o primeiro trimestre de 2016 (R$ 2.002), o rendimento teve queda de 1,5%. Em relação ao segundo trimestre do ano passado (R$ 2.058), caiu 4,2%.

Outras pesquisas sobre emprego

O Ministério do Trabalho também divulga mensalmente dados sobre emprego, mas apenas com o número de trabalhadores com carteira assinada. Na última divulgação, ele indicou que o Brasil perdeu 531.765 postos com carteira no primeiro semestre.

O IBGE fazia outras duas pesquisas com dados de desemprego, mas vai manter apenas a Pnad Contínua mensal, que é nacional.

A PME (Pesquisa Mensal de Emprego) media a taxa mês a mês, com base em seis regiões metropolitanas: Recife, Belo Horizonte, São Paulo, Salvador, Rio de Janeiro e Porto Alegre. A última divulgação da PME foi em março, com dados de fevereiro.

A Pesquisa Industrial Mensal de Emprego e Salário (Pimes) foi divulgada até fevereiro e, depois, encerrada.


------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

Temer sanciona com veto lei que repassa custos do Fies com bancos para faculdades

Temer sanciona com veto lei que repassa custos do Fies com bancos para faculdades

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 2 de dezembro de 2016. Temer sanciona …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).