Inicio » Montes Claros » Montes Claros – Continua depois de 90 dias a greve na Unimontes

Montes Claros – Continua depois de 90 dias a greve na Unimontes

Montes Claros – Continua depois de 90 dias a greve na Unimontes

Professores e corpo docente da Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes) mantém a paralisação nas atividades da instituição. A greve começou no dia dois de maio e, segundo a Associação dos Docentes da Unimontes (Adunimontes), vai continuar até que o Governo do Estado de Minas Gerais atenda às reivindicações dos grevistas, quais sejam, reajustes salariais e realização do concurso para os cargos técnico-administrativos.

Montes Claros - Continua depois de 90 dias a greve na Unimontes
Montes Claros – Continua depois de 90 dias a greve na Unimontes

 

De lá para cá, foram diversas reuniões realizadas com o segundo escalão do governo estadual, todas sem sucesso. Segundo informações da Adunimontes, a folha de pagamento da universidade aumento 19,8 % num período que acumulou 32% de inflação.

PUBLICIDADE

///////////////////////////

Não houve qualquer reajuste salarial neste período e o aumento da folha foi por causa de aumento de pessoal. A nosso ver, o discurso da Lei de Responsabilidade Fiscal é uma mentira em se tratando da folha de pagamento dos professores da Unimontes – afirma o presidente da Adunimontes, Gilmar Ribeiro.

Desde abril de 2015, tanto a Adunimontes quanto a Associação dos Docentes da Universidade Estadual de Minas Gerais (Adoemg) vem negociando a incorporação de gratificações ao vencimento básico dos professores.

VIATOTAL

ViaTotal

///////////////////////////

Havia sido acordado entre os sindicatos e o Governo que a incorporação dos benefícios ocorreria 50% em julho de 2016 e 50% em janeiro de 2017, com um impacto de apenas R$ 20 milhões. Agora o governo se nega a cumprir o acordo com o argumento das imposições da Lei de Responsabilidade Fiscal – afirma a Adunimontes.

Na última terça feira (02), após 90 dias de paralisação, foi realizada uma audiência de conciliação entre o Estado de Minas Gerais/Unimontes e a Adunimontes na Cidade Administrativa, em Belo Horizonte. Em comunicado, a entidade informou que “em decorrência da judicialização do movimento de greve impetrada pelo Estado, foi concedido ao sindicato um prazo de cinco dias para a defesa do movimento”.

O comunicado informa, portanto, que a greve continua e que o impasse será decido pela desembargadora responsável pelo processo.

Reafirmamos a importância da defesa da universidade pública e da discussão de sua precarização em Minas Gerais. A luta continua – finaliza.`

DESABAFO

Ainda sobre a negociação frustrada com o Governo do Estado, Roberto Kanitz, professor da UEMG e membro da diretoria do Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (ANDES), desabafou em carta enviada aos professores e à população sobre a as decisões da audiência.

Quem esteve no Palácio da Justiça, plenário 5, assistiu um dos piores espetáculos de cinismo e desprezo da gestão petista com as universidades estaduais e com seus servidores. Sem nenhuma proposta, o governo acovardado entregou o arbítrio da greve nas mãos da Justiça, comprovando sua incompetência ao governar – afirmou.

Kanitz responsabilizou o governo pela continuação da greve.

Com essa atitude, o Governo do Estado de Minas Gerais vira as costas ao ensino público superior deixando milhares de alunos e centenas de docentes ansiosos por um desfecho – finaliza o professor.

Por Naylan Clayton Barbosa

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

MG - Mortes por afogamento crescem 14% em Minas Gerais

MG – Mortes por afogamento crescem 14% em Minas Gerais

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 8 de dezembro de 2016.MG – Mortes …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).