Inicio » Colunistas » Aldeci Xavier » Coluna do Aldeci Xavier – Preto no Branco

Coluna do Aldeci Xavier – Preto no Branco

Coluna do Aldeci Xavier – Preto no Branco

BAIXA EM RIACHO DOS MACHADOS

O principal fato da política do Norte de Minas, nesta semana, foi o anúncio da desistência da ex-prefeita Domingas da Silva Paz de concorrer à chefia do município. A informação que chegou à coluna é de que o candidato da oposição será o vereador Aquiles Marcos Machado Silva (PR). No primeiro momento, Domingas teria alegado que seria por motivos familiares. A este respeito, a coluna buscou informação junto ao Tribunal Superior Eleitoral e o seu nome consta na lista dos candidatos que tiveram contas rejeitas pelos tribunais estaduais. Resta saber se a orientação do TCE teve o referendo da Câmara, que é quem tem a autoridade de rejeitar.

BOCAIUVA

A disputa no município de Bocaiuva ficou mesmo da forma que a coluna havia divulgado antes das convenções. A ex-secretária Marisa terá como companheiro de chapa Zé Marião (PDT); enquanto que Robertão do PSD terá como companheiro de chapa o advogado Salomão (PSB); O vereador Fernando de Pedrão, tendo como vice Ricardo Sena e o ex-secretário de Saúde, Eron será o nome da administração tendo como vice Ivone Brandão.

CONTAS REJEITADAS

Muita discussão em torno da decisão tomada pelo STF, nesta quarta-feira, de que candidatos a prefeito que tiveram contas rejeitadas somente pelos Tribunais de Contas estaduais podem concorrer às eleições de outubro. A interpretação foi de que os candidatos só podem ser barrados pela Lei da Ficha Limpa se tiverem as contas reprovadas pelas câmaras municipais. A este respeito, entendo que não precisa ter maiores conhecimentos jurídicos para saber que o Tribunal de Contas apenas recomenda a aprovação ou rejeição, seja com ressalva ou não. A própria Lei já diz que caberá aos vereadores o julgamento.

VOTO DE LEGENDA

Até hoje, a maioria das pessoas não têm conhecimento do que significa, na prática, o voto de legenda, que acaba sendo responsável pela eleição de nomes a mais em partidos ou coligações. Dois pontos devem ser considerados. O primeiro é de que o cidadão em vez de votar neste ou naquele candidato, simplesmente digita o número do partido. O que é preciso analisar com frieza é que não tem como medir a porcentagem destes votos. É que em quase sua totalidade o eleitor vai às urnas com o intuito de votar neste ou naquele candidato e acaba repetindo o número do candidato a prefeito. Com isso, um voto vai para o prefeito, e o que seria do vereador acaba indo para a legenda. Existe, mais dificilmente alguém sai de casa para votar em legenda.

PESSOAL E INTRANSFERÍVEL

Recebi vários e-mail de leitores querendo saber se os acontecimentos nacionais envolvendo o PT, como é o caso da Lava Jato e outras irregularidades na Petrobras, poderão prejudicar os candidatos a vereador do partido. A este respeito, criei uma teoria de que “o voto para vereador é pessoal e intransferível”. Desta forma, é possível afirmar que o eleitor não olha o partido quando vai escolher seu candidato a vereador. Normalmente a definição é pela proximidade com o candidato, ou alguém de sua confiança que fez a indicação. Tal teoria, normalmente pode não ser aplicada na disputa majoritária, onde a discussão é concentrada em uma única pessoa que está no processo. De mais a mais, tem efeito nas grandes cidades e nos grandes centros.

CADÊ OS FEDERAIS?

Verdade seja dita, deste a última semana das convenções até o dia de hoje, se tornou praticamente impossível encontrar um deputado estadual votado no Norte de Minas visitando as lideranças que o apoiaram. Para não ser injusto, apenas a deputada federal Raquel Muniz (PSD) tem sido vista pela região. Na boca miúda, a conversa é de que os parlamentares que costumam andar por aqui somente quando de suas eleições, estão correndo dos candidatos a prefeito e vereador, já que não estão dispostos a investir em seus candidatos. Com o fim do financiamento de campanha, acabou sobrando para os deputados.

PREVISÃO PARA PSD/PTC/PRTB

Este jornalista já está providenciando a relação de todos os candidatos por partido e por coligação. De posse dos dados será possível, com maior precisão, cravar os nomes com chances reais de eleição em outubro. Numa análise de primeiro momento, é possível adiantar que a disputa na coligação composta pelo PSD/PTC/PRTB, ficará entre os vereadores Marcos Nem, Fernandão Anjo do Futuro e o médico Marlon Xavier. Mesmo não tendo bola de cristal, é possível adiantar que Marlon, que obteve na última eleição 1.572 votos, poderá ser a surpresa deste ano. Entendo que se as eleições fossem hoje, a coligação estaria preparada para eleger um candidato direto e possivelmente mais um na sobra.


Publicação de quinta-feira, 11 de agosto de 2016

CHANCE NO PPS/PDT

Atendendo a pedido de leitores, estaremos, a todo instante, manifestando, aqui, análise do quadro da disputa majoritária em todo o Norte de Minas, bem como a disputa na proporcional em Montes Claros. Sempre lembrando que a análise serve para o momento e se houver mudança o nas chances, teremos a humildade de manifestar. Hoje falaremos da disputa dentro da coligação PPS/PDT. Num primeiro momento, enxergamos com maiores possibilidades de vitória o ex-vereador Claudim da Prefeitura, vereadores Marly Silva, Raimundo do INSS, Lêga Policial e Professor André. A expectativa é de que a coligação consiga eleger dois vereadores, podendo emplacar um terceiro na sobra, ou voto de legenda. Vale ressaltar que na discussão dentro do PPS, citam como nomes que serão bem votados o de Júnior do Renascença e Maicon Formiguinha. Particularmente, entendo que poderão surpreender, mas neste momento não ameaçam os cinco concorrentes. O certo é que na pior das hipóteses, entre os vereadores, dois devem tomar bomba nas urnas em face da dura concorrência.

APOIO DE CORAÇÃO DE JESUS

Em Montes Claros, as principais candidaturas na majoritária já iniciaram a gravação dos primeiros programas, bem como já montam o esquema de trabalho para o decorrer da campanha. Um exemplo é o candidato Humberto Souto, que começa o seu trabalho tentando agendar reuniões de eleitores de outras cidades vizinhas que residem no município. Na semana passada, procurou líder político em Coração de Jesus (vereador), que este ano não disputará o pleito, para agendar por aqui, reuniões com corjesuenses que votam em Montes Claros.

CAPITÃO ENÉAS

No município de Capitão Enéas, a oposição liderada pelo ex-prefeito Reinaldo Landulfo acreditava que emplacaria o nome do ex-vereador Binga (PTB), que até então vinha liderando as pesquisas de consumo interno. Entretanto, na convenção, o nome escolhido foi o do vereador Petrônio Mineiro, que terá como companheiro de chapa o atual vice-prefeito Júnior Braga (PMDB). O resultado coloca em dúvida a participação direta de Reinaldo no processo. Se as eleições fossem hoje, seria difícil prever o resultado, já que o atual prefeito César Emílio foi beneficiado com o fato de a disputa contar com apenas dois candidatos e Binga ter ficado fora do páreo.

PREFEITO VEREADOR

Uma das novidades na eleição de Capitão Enéas é o fato de o ex-prefeito Djalma Marques Abreu, mais conhecido como Dick, considerado um dos grandes prefeitos na história do município, ter desistido de disputar o retorno à chefia do executivo para enfrentar as urnas como candidato a vereador.

MUDANÇA DE ROTA

Os vereadores oposicionistas Antônio Silveira (Rede), Rodrigo Cadeirante (Rede) e Gera do Chica (PEN), até então comemoravam o fato de o ex-prefeito Athos Avelino ter se declarado candidato a prefeito em coligação com o PT. Como estão coligados na proporcional, isso permitiria que o voto legenda resultasse na eleição de mais um vereador, já que, hoje, a previsão é de eleição de um direto. Vale lembrar que na disputa proporcional não estamos levando em consideração a maior sobra, que a principio não temos como prevr. Se por um lado a desistência do ex-prefeito prejudicou a coligação, os candidatos dos dois partidos definiram pelo apoio na majoritária do ex-deputado Humberto Souto (PPS), que hoje está na disputa direta com o prefeito Ruy Muniz (PSB).

RIO PARDO DE MINAS

O prefeito Jovelino Pinheiro (PP), que havia desistido de concorrer à reeleição, confirmou como candidata a sua sucessão a ex-secretária Andréa Cruz (PP), que terá como companheiro de chapa o ex-vice-prefeito Valdeir Andrade (Solidariedade). Pela oposição, disputam o advogado Marcos Vinícius (PSD), tendo como vice Tácito de Freitas Júnior (PTB), mais conhecido como Cebolinha; Bruno Paulino (PMDB) como presidente e Nereu dos Reis (PMDB) como vice. Por fim, a disputa conta ainda com o candidato Almir do Sindicato (PT).

NOVA PORTEIRINHA

Em nova Porteirinha, a disputa este ano contará com três candidatos. O atual prefeito Raul Alves Rocha (PSB) terá como companheiro de chapa Rafael Alex Martins (PRB). A atual vice-prefeita Marilza Pereira Mendes (PP) é candidata à prefeita, tendo como companheiro de chapa o produtor rural Carlinhos de Selveriano (PDT). A terceira chapa, encabeçada pelo empresário Juraci Fagundes Jácome, mais conhecido como Juraci da Biosolo (PMDB), tem como vice, o ex-prefeito, Zé da Farmácia (PSDB). Mesmo não tendo bola de cristal, é possível afirmar que se as eleições fossem hoje a disputa ficaria entre o atual prefeito Raul e Juraci da Biosolo, com o empresário levando leve vantagem. Aliás, no município, alguns arriscam a afirmar que Marilza pode surgir como a azarã do processo.

Por Aldeci Xavier

Aldeci Xavier
Aldeci Xavier

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

Cultura Moc - Festa Nacional do Pequi começa na próxima semana

Cultura Moc – Festa Nacional do Pequi começa na próxima semana

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 10 de dezembro de 2016.Cultura Moc – …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).