Inicio » Política » Eleições 2016 – TSE pede atuação da PF em assassinatos de candidatos

Eleições 2016 – TSE pede atuação da PF em assassinatos de candidatos

Eleições 2016 – TSE pede atuação da PF em assassinatos de candidatos

Nos últimos nove meses, foram registrados 20 homicídios de candidatos.

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Gilmar Mendes, solicitou formalmente ao ministro da Justiça, Alexandre Moraes, que a Polícia Federal atue nas investigações envolvendo os assassinatos de candidatos a cargos eletivos nas eleições deste ano.

Nos últimos nove meses, foram registrados 20 homicídios, sendo 11 na Baixada Fluminense e os demais em outros nove estados – São Paulo, Ceará, Bahia, Alagoas, Rio Grande do Norte, Acre, Rondônia, Rio Grande do Sul e Goiás.

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Gilmar Mendes, solicitou formalmente ao ministro da Justiça, Alexandre Moraes, que a Polícia Federal atue nas investigações envolvendo os assassinatos de candidatos a cargos eletivos nas eleições deste ano.
O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Gilmar Mendes, solicitou formalmente ao ministro da Justiça, Alexandre Moraes, que a Polícia Federal atue nas investigações envolvendo os assassinatos de candidatos a cargos eletivos nas eleições deste ano.

 

No ofício, Mendes afirma ser “preocupante a reiteração de fatos dessa natureza” e lembra que a lei prevê a atuação da PF quando houver repercussão interestadual de infrações penais que exijam repressão uniforme, sem prejuízo da responsabilidade dos órgãos locais de segurança pública.

VIATOTAL

ViaTotal

///////////////////////////

Em entrevista na chegada ao cartório eleitoral de Duque de Caxias (RJ), o ministro Gilmar Mendes disse que iniciou pela Baixada Fluminense a série de visitas que fará a zonas conflagradas por ser a região que mais concentra casos de violência. “Estamos acompanhando todos esses fatos e buscando as informações. Por isso, solicitei a participação da Polícia Federal. Dos 20 casos registrados, 11 ocorreram na Baixada Fluminense. É uma situação extremamente grave. Há incidentes que podem não ter conotação eleitoral, mas a maioria tem”, disse o ministro.

O ministro disse que está discutindo com o Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ) a alocação de reforço de segurança nas áreas mais sensíveis. Na entrevista, o presidente do TSE também falou da preocupação da Justiça Eleitoral relativa ao financiamento das campanhas eleitorais, em razão do fim do financiamento privado e da adoção de tetos para gastos nas campanhas.

PUBLICIDADE

///////////////////////////

“Estamos preocupados com a questão do financiamento indevido, com caixa dois e possíveis manipulações, e também com uso indevido da publicidade. Por isso, nacionalizamos o aplicativo Pardal, que permite ao cidadão denunciar abusos ao Ministério Público e à Justiça Eleitoral”, salientou o ministro.

Tribunal Superior Eleitoral
------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

Cultura Moc - Festa Nacional do Pequi começa na próxima semana

Cultura Moc – Festa Nacional do Pequi começa na próxima semana

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 10 de dezembro de 2016.Cultura Moc – …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).