Inicio » Colunistas » Adilson Cardoso » Coluna do Adilson Cardoso – Brasil

Coluna do Adilson Cardoso – Brasil

Coluna do Adilson Cardoso – Brasil

Estamos no Brasil, muito prazer o ano é 2016. Pais de clichês e futebol, este ultimo que nos tempos Peléticos-Garrinchianos provocava um pouco mais de felicidade no povo. Tem carnaval também, Rio de Janeiro e São Paulo arrastam mafiosos que patrocinam e depois são patrocinados, o governo diz que não sabe de nada, mas ao seu lado pessoas enriquecem da noite para o dia, talvez seja milagre, se somos clichês cabe o bordão de que “Santo de casa não faz milagre” é por isso que eles vão buscar lá fora, aliás, a palavra não seria bem buscar, mas sim depositar nos paraísos fiscais e depois negarem até que a CPI capture um amigo que pertença à mesma laia e retire tudo que precisa da sua língua solta o deixando alguns anos a menos na tranca. Estamos no Brasil não se assustem se eu escorregar o dedo aqui na tecla e de um jargão brotar um palavrão, “É nóis mano!”. Tive um professor de Filosofia que certa vez sentou-se ao meu lado para criticar um colega dele que havia lhe comido uma ex-namorada, dissera que não entendia por que o tal fulano pregava tanto a ética, mas não usara quando a pessoa que ele ainda nutria sentimentos resolvera presenteá-lo com a vagina. Naquele momento rábula da Filosofia Nietzschiniana me debrucei a pensar, se era ele quem gostava, qual seria a culpa do amigo ter comido a garota, ele ainda se achando no direito de vitima quis saber o que eu faria, pudesse ser sincero. Titubeei por alguns epílogos, mas quando ele mostrou uma foto da mulher em trajes de piscina eu disse a ele que me perdoasse, mas se o cara não houvesse cometido aquele ato, deveria ser aplicada a ele pena capital contra a ética dos homens. Esse professor de Filosofia continuou sozinho durante dois ou três meses, quando a moça noticiou que estava grávida, resolvera assumir um romance com o presidente do Diretório Central dos Estudantes, passados mais dois meses publicara uma nota no jornalzinho da Universidade, dizendo que odiava todo e qualquer tipo de homossexualismo, que havia experimentado para esquecer seu grande amor. Porém a moça que estava na rua com uma criança para ninar e dar leite descobriu que o amava pedindo uma chance, foram morar juntos, mas ele descobriu que sua vocação era para servo de Deus, deixou a mulher e foi estudar para Pastor Evangélico, ao final de um ano negava ter conhecido as doutrinas de Schopenhauer, Não admitia que alguém lhe associasse com as obras de Giordano Bruno, torcia pela volta do Tribunal da Inquisição, queria matar sua ex-namorada e amasia na fogueira. Ao seu ex-amante ele declarava sempre que no dia do juízo final o veria queimando nas fornalhas de Satã. Porém um ano depois de estar exercendo a profissão com milhares de seguidores nas redes sociais, decidiu abandonar tudo e mergulhar na leitura de Euclides da Cunha, leu Os Sertões e descobriu que sua devia seguir o caminho errante e beato de Antonio Conselheiro, mas seis meses depois estava em um hospício feito Arthur Bispo do Rosário. Lá continua, na ultima visita que pude fazê-lo desta vez como professor de Filosofia, ele confidenciou que estava preparando o manto para o dia do Juízo Final, perguntei a ele se poderia informar o dia, ele foi sarcástico, “Qualquer hora, nossa vaca já foi para o brejo!”. Tive noticias que havia se recuperado e recebido alta hospitalar, mas de acordo com a família que mora em Itabira-MG, ele começou a ler poesia e fazer recitais na praça, o Professor agora se diz reencarnação do Poeta Carlos Drummond de Andrade. Eu acredito que esse emblemático personagem, meio Macunaíma, meio Policarpo Quaresma e um tanto Viramundo seja o fiel retrato de uma era que vivemos em nosso valoroso e continental Brasil, onde infelizmente, poucas pessoas sabem quem é Manoel de Barros, mas a grande maioria idolatra Neymar. Mas como diz um cronista de rádio, toca o barco que vamos navegando.

Por Adilson Cardoso

Adilson Cardoso
Adilson Cardoso

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

Cultura Moc - Festa Nacional do Pequi começa na próxima semana

Cultura Moc – Festa Nacional do Pequi começa na próxima semana

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 10 de dezembro de 2016.Cultura Moc – …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).