Inicio » Colunistas » Hesiodo José » Coluna do Hesiodo José – Fragmentos Diários (aumento e também invento)

Coluna do Hesiodo José – Fragmentos Diários (aumento e também invento)

Coluna do Hesiodo José – Fragmentos Diários (aumento e também invento)

Um homem que teve relações sexuais com um golfinho em uma praia do Rio de Janeiro  causou choque (mais uma vez!) ao revelar, para uma emissora de rádio de Montes Claros -MG, que, na adolescência se apaixonou por uma cabra e teve vontade de engravidá-la para unir-se maritalmente a ela. Martinho Freire  de 53 anos, afirma que  se apaixonou por Beta a cabra que a Tia criava na cidade de Porteirinha Norte de Minas Gerais. Martinho que se casou com uma mulher que também já praticara sexo com animais, afirmou que quando descobriram o romance dele com “Beta” ele fugiu e se embrenhou em um matagal,  dali morou numa gruta  próximo a Serranópolis durante um ano, neste tempo conforme relatou se encontrava com a cabra em um pasto, para isto ele subornava um primo que era o cuidador dos animais.  O golfinho que apareceu por acaso quando ele visitava uma praia do Rio de Janeiro provocou de imediato uma inexplicável sensação de calor e tesão ao mesmo tempo ele sentiu-se seduzido pelo animal. A história foi publicada pelo jornal O Toba da “cidade Maravilhosa”. “Eu sabia que tinha uma atração sexual por outras espécies e eu não queria ceder a ela…”, contou o homem, acrescentando: “Eu estava resistindo a ela durante os primeiros dias quando cheguei ao Rio, primeiro foi um cachorro, depois foi uma vaca que participava de um desfile, depois foi o cavalo que puxava uma carroça de pegador de entulhos”. Surpreso com o que ouviu, o jornalista questionou: “Mas isso que você fez é considerado ilegal…”. Ao que o Martinho rebateu: “Errado na definição de quem?” Minha esposa não se importa, pois ela dá para o nosso cachorro, então resumindo eu trabalho para manter minha vida, confesso ao padre, rezo ave-marias e deixo dinheiro na caixinha do altar, simples assim!”

Vitima e algoz

Uma jovem de 19 anos foi presa após colocar fogo em um carro pensando que era do ex-namorado em Corinto, no estado de Minas Gerais. Carmen Aparecida  foi identificada pela polícia com base nas imagens das câmeras do Olho Vivo. Carmen foi detida na quarta  e levada para o Presídio  Alvorada em Montes Claros, por ser um crime cometido contra um cidadão daquela cidade. Ela foi acusada de incêndio criminoso. Charles Gomes o dono do veículo é comerciante de shampoo caseiro e estava ali para fazer uma entrega, como o carro não tinha seguro e estava com a documentação atrasada o prejuízo poderia ter sido maior, se a vitima não tivesse roubado um carro da também comerciante dona de uma loja de tecidos no centro da cidade Marluce Ambivanel. O crime também foi flagrado pelas câmeras olho vivo. Charles Gomes está sendo procurado.

Riso da Hora
E numa cidadezinha do interior, em uma família muito tradicional, filha diz para a mãe: – Mãe, mamãe….! Meu noivo me seduziu e não sou mais virgem!

– Então corte um limão e chupe. – E isso vai devolver minha virgindade?
– Não, mas vai fazer sumir esse ar de felicidade que você tem estampado na cara!
Fica assim, amanhã tem mais…

Por Hesiodo José

Hesiodo José
Hesiodo José

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

MG - Jovem inventa que mãe está passando mal para estuprar vizinha

MG – Jovem inventa que mãe está passando mal para estuprar vizinha

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 5 de dezembro de 2016.MG – Jovem …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).