Inicio » Cultura MOC » Cultura Moc – Museu Regional da Unimontes atinge a marca de 20 mil visitantes

Cultura Moc – Museu Regional da Unimontes atinge a marca de 20 mil visitantes

Cultura Moc – Museu Regional da Unimontes atinge a marca de 20 mil visitantes

O Museu Regional do Norte de Minas, vinculado à Pró-Reitoria de Extensão, reforça a missão da Universidade Estadual de Montes Claros em difundir a arte, cultura, história e as manifestações populares de grande parte do território mineiro.

Cultura Moc - Museu Regional da Unimontes atinge a marca de 20 mil visitantes
Cultura Moc – Museu Regional da Unimontes atinge a marca de 20 mil visitantes

 

Nesta semana, a direção do MRNM divulgou os dados atualizados sobre o número de visitantes. Inaugurado e aberto à visitação em 30 de setembro de 2014, desde então 20.269 pessoas foram ao local para acompanhar as exposições temporárias e as salas de memória e de acervo, além de simpósios, palestras, capacitações, workshops, oficinas, apresentações musicais e de dança, colóquios, seminários, lançamentos de livros e CDs e visitas técnicas. Os registros revelam o predomínio de mineiros nas visitações, com turistas de 148 cidades de Minas Gerais, além de pessoas de outros 25 estados brasileiros e de 18 países (Américas do Norte, Sul e Central, Europa, Ásia e Oceania).

VIATOTAL

ViaTotal

///////////////////////////

Somente nos oito primeiros meses de 2016, o Casarão onde está instalado o MRNM registrou 30,5% deste total, com 6.195 visitantes. Destaque para agosto, mês dedicado às tradicionais festas folclóricas em Montes Claros, no qual o Museu realizou uma série de intervenções alusivas aos festejos populares e recebeu 2.887 pessoas de 31 cidades do Norte de Minas e 17 de outras regiões do Estado. Entre os visitantes estavam também turistas de 20 cidades de nove estados brasileiros, desde Periperi (Alagoas) a Niterói (Rio de Janeiro), e outras 10 vindas do exterior, de países como Argentina, Espanha, Estados Unidos, França e Itália.

O secretário de Estado de Cultura, Ângelo Oswaldo, foi um destes visitantes. Esteve no Museu Regional do Norte de Minas em abril último.

Neste ano, entre janeiro e agosto, o espaço recebeu 10 exposições temporárias com esculturas, desenhos, fotografias, bonecos, telas, pôsteres e objetos. Os temas foram os mais diversos: Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, pássaros, circo, televisão, paisagens urbanas e o folclore regional.

Diretora do Museu Regional, a professora Marina Ribeiro Queiroz destaca que este histórico de visitantes evidencia ainda mais a condição de Montes Claros como cidade-polo. Outro ponto evidenciado, segundo ela, está no campo para pesquisas que o local oferece, especialmente diante da freqüência maciça de estudantes de escolas públicas e particulares, além de universitários da própria Unimontes e de outras instituições de ensino superior. “O Museu tornou-se de uma referência para o registro e o resgate da cultura e da história do Norte de Minas”, completa.

AMPLIAÇÃO

Sobre a média de visitantes para o restante do ano, a diretora projeta um número maior de pessoas frequentando os espaços do Museu em relação aos primeiros meses, isto diante da oficialização de novas doações e que já estão abertas à visitação.

Em 2016, o Museu passou a contar com o acervo do músico Zé Coco do Riachão (in memoriam), considerado o Beethoven do Sertão e que ganhou fama mundial pelas excelências nas composições e a fabricação própria de instrumentos como rabecas e violas. O público poderá ver instrumentos, fotos, ferramentas e discos.

Outro expressivo acervo foi doado pela família do ex-prefeito e historiador Simeão Ribeiro Pires (in memoriam), com mais de 200 itens – alguns centenários – , como máquinas registradoras e de datilografia, armas antigas – inclusive um pequeno canhão –, armaduras, louças e peças de ferro que eram utilizadas ainda durante a vigência da escravidão no Brasil.

O professor Vicente Ferreira, do curso de Ciências Biológicas da Unimontes, também oficializou a doação do acervo de Taxidermia, com dezenas de animais empalhados, com destaque para espécies típicas do cerrado e da caatinga do Norte de Minas. Em geral, os animais mortos foram apreendidos pelo Ibama e Polícia de Meio Ambiente e repassados são repassados à Universidade para objeto de pesquisa com o empalhamento.

O segundo piso do Casarão do Museu foi ampliado e passa a contar com a “Sala das Curiosidades”, Espaço Ray Colares, “Sala da Religiosidade” e com as exposições permanentes “Memórias do Casarão” e “Memórias da Fundação Norte Mineira de Ensino Superior – FUNM” – agora no mesmo espaço. E os projetos “Domingo é Dia de Museu”, que acontece no segundo domingo de cada mês, e “Museu Vivo”, de pesquisa e captação do acervo de 93 cidades do Norte de Minas, estão mantidos.

Aliás, o projeto “Museu Vivo: Patrimônio, Cultura e História do Norte de Minas” permitirá a atualização do banco de dados e de imagens do MRNM, com financiamento da Fundação de Amparo a Pesquisa de Minas Gerais (Fapemig), com recursos da ordem de R$ 150 mil – e que serão aplicados, também, na modernização do espaço multimídia.

PUBLICIDADE

///////////////////////////

“A universidade se sente valorizada diante da representatividade alcançada pelo Museu Regional do Norte de Minas, que se consolida como um patrimônio de toda a sociedade na preservação da memória e na valorização da cultura”, considerou o reitor da Unimontes, professor João dos Reis Canela. Para o segundo semestre, a Universidade trabalha na captação de recursos para o cumprimento da terceira e última fase do processo de implantação do Museu. A proposta foi autorizada pelo Ministério da Cultura, com base na Lei Federal de Incentivo à Cultura – Lei Rouanet –, no valor de R$ 847.276,53 para promover a urbanização da área externa da sede do Museu; restaurar os espaços de oficinas e instalar o elevador para acesso das pessoas com deficiência ao segundo piso; sistema de iluminação e mobiliário, além da café cultural na área externa e de novos investimentos na Biblioteca Digital.

O recurso patrocinado será abatido no Imposto de Renda anual, com variações na dedução de 4% a 6% – pessoa física ou jurídica.

O MRNM é registrado em 4 importantes instituições para o segmento: Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), Ministério da Cultura, Secretaria Estadual da Cultura e o Conselho Internacional de Museus.

SERVIÇO

Museu Regional do Norte de Minas

Entrada: gratuita

Endereço: Rua Coronel Celestino, 75, Centro Histórico de Montes Claros

Informações: (38) 3229-8590

e-mail: [email protected]

Funcionamento: dias úteis e sábado – 8 às 17h30

Segundo domingo de cada mês: 9 às 13 horas

Observação: As visitas são guiadas com o auxílio de monitores

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

VLI abre vagas para programa Jovem Aprendiz em Montes Claros

VLI abre vagas para programa Jovem Aprendiz em Montes Claros

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 8 de dezembro de 2016.VLI abre vagas …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).