Casa das Apostas Online Betway

Últimas Notícias

Curso Instalador Energia Solar

Beleza – Professora oferece pontos para alunas que não depilam axilas

Para ganhar pontos extras na faculdade, as mulheres devem deixar os pelos das axilas crescerem e os homens depilar o corpo do pescoço para baixo. Pode parecer estranho, mas é o que acontece na aula da professora Breanne Fahs, da Universidade do Estado do Arizona, nos Estados Unidos. “Não há melhor maneira de aprender sobre as normas sociais do que violá-las e ver como as pessoas reagem”, disse a professora. Os dados são do jornal Huffington Post.

A ideia é questionar padrões impostos a homens e mulheres
A ideia é questionar padrões impostos a homens e mulheres

Quem topar o desafio deve permanecer com o novo visual durante 10 semanas. Todos mantêm um diário contando detalhes da experiência. A proposta da professora, que começou em 2010, é para que os jovens aprendam e discutam sobre as normas de gênero impostas. “Não há realmente nenhuma razão para que a escolha de se depilar ou não seja um grande problema. É o que os alunos tendem a descobrir rapidamente”, comentou Breanne.

A experiência divide opiniões. “Esse experimento da universidade deveria ser desnecessário, porque as mulheres devem ser livres para decidir se querem ou não raspar debaixo do braço”, comentou um leitor. “Muitas mulheres bonitas têm aparência linda com axilas naturais, como Sophia Loren… A regra de depilar as axilas das mulheres deve ser obsoleta na era moderna”, escreveu outra pessoa.

Aviso

  • • Nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto e esperamos que as conversas nos comentários de artigos do JORNAL MONTES CLAROS sejam respeitosas e construtivas.
  • • Os espaços de comentários em nossos artigos são destinados a discussões, debates sobre o tema e críticas de ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão tolerados de maneira nenhuma e nos damos ao direito de ocultar/excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, preconceituoso, calunioso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem nome completo e/ou e-mail válido)