Últimas Notícias

MG – Travestis são presas por matar colega

A Polícia Civil (PC) apresentou, nesta sexta-feira (28), três travestis acusados de matar uma pessoa, em Contagem, na região Metropolitana de Belo Horizonte. A motivação do crime seria a disputa por pontos de prostituição na Via Expressa e na Praça da Cemig. O travesti Frederico Lucas dos Santos, conhecido como Marina Klun, de 23 anos, foi morto a tiros em julho deste ano.
MG - Travestis são presas por matar colega
MG – Travestis são presas por matar colega

Segundo o delegado Flávio Grossi, responsável pela investigação, a cafetina Raíssa, que comanda a prostituição na Via Expressa, teria perdido o parceiro para Jailson Sousa Cardoso, conhecido como Samantha Fox, de 35 anos. Samantha é apontada como cafetina dos travestis da Praça da Cemig. “Essa situação causou um conflito entre os dois grupos de Contagem e um grupo começou a desrespeitar a área do outro”, afirmou o delegado. Marina Klun, gerente e braço direito da cafetina Raíssa, passou, então, a ser o alvo do grupo da Praça da Cemig.

O crime
No dia 17 de julho, Samantha e Victor Alves Nery, de 20 anos, passaram de carro na Via Expressa, juntamente com um bando, dando tiros, mas ninguém foi atingido. Em seguida,  Igor Alexandre Mariano, conhecido como Pâmela Ferraz ou Gordet, de 20 anos, passou novamente pelo local atirando. Pâmela estava em um veículo Hyundai HB20 e baleou Marina Klun.
Outro travesti chegou a ser atingido por um tiro nas nádegas, mas sobreviveu ao ferimento.
Prisão
A denúncia dos suspeitos foi feita pelo Ministério Público de Minas Gerais, em 7 de novembro. Em depoimento, Samantha, Victor e Pâmela negaram o crime. O trio está preso no presídio de Vespasiano, na Grande BH. Eles são acusados de homicídio qualificado e tentativa de homicídio.