Casa das Apostas Online Betway

Últimas Notícias

SAIBA MAIS AQUI - FAÇA CLICK

MG – Polícia Civil vai indiciar 28 pessoas por fraude em vestibular de medicina e Enem

A primeira fase do inquérito da Polícia Civil, que investiga a suposta fraude no vestibular da Faculdade de Ciências Médicas, em Belo Horizonte, será entregue ao judiciário nesta terça-feira (2). Serão 28 pessoas indiciadas, sendo 13 integrantes da quadrilha e outros 15 candidatos nos exames.
MG - Polícia Civil vai indiciar 28 pessoas por fraude em vestibular de medicina e Enem
MG – Polícia Civil vai indiciar 28 pessoas por fraude em vestibular de medicina e Enem

Segundo o delegado responsável pela investigação, Antônio Júnio Dutra Prado, do Grupo de Combate a Organizações Criminosas da Polícia Civil, os integrantes do esquema serão indiciados por formação de quadrilha, falsidade ideológica e de documentos, além de lavagem de dinheiro e fraude em certame de interesse público. Os candidatos serão acusados apenas deste último crime.

Ao todo, 33 pessoas foram detidas durante a investigação, que já dura sete meses. No entanto, Antônio Prado adianta que novos inquéritos serão abertos e mais pessoas poderão ser descobertas no esquema de fraude. “Com base no trabalho que está sendo concluído, vamos abrir novas investigações”, afirmou  o delegado.
Esquema
Segundo o responsável pelo inquérito, o suposto chefe do esquema, Áureo Moura Ferreira, praticava o crime há 20 anos. O segundo na cadeia de comando, Carlos Roberto Leite Lobo, empresário do interior paulista, cometia a fraude há seis anos.
Eles contratavam pessoas de alto nível intelectual, conhecido como “pilotos”, para realizar as provas rapidamente em faculdades e no Enem, no interior mineiro e em São Paulo. Eles deixavam o local assim que era liberada a saída e reuniam as respostas e formavam um gabarito. Em seguida, os resultados das questões eram repassadas, via transmissores e micropontos, para os candidatos.
Em média, o grupo cobrava entre R$ 50 mil e R$ 60 mil pelas respostas da faculdade de medicina. Já para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), os pagamentos chegavam até R$ 200 mil. Durante a investigação, uma grande quantidade de transmissores, micropontos e documentos foram apreendidos.

Aviso

  • • Nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto e esperamos que as conversas nos comentários de artigos do JORNAL MONTES CLAROS sejam respeitosas e construtivas.
  • • Os espaços de comentários em nossos artigos são destinados a discussões, debates sobre o tema e críticas de ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão tolerados de maneira nenhuma e nos damos ao direito de ocultar/excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, preconceituoso, calunioso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem nome completo e/ou e-mail válido)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *