SMART FIT - MONTES CLAROS

Turbo Pesquisa - CLIQUE AQUI PARA MIAS INFORMAÇÕES
Inicio » Colunistas » Pe. Ezequiel Dal Pozzo » Coluna do Pe. Ezequiel Dal Pozzo – Ser eu mesmo sem afastar as pessoas

Coluna do Pe. Ezequiel Dal Pozzo – Ser eu mesmo sem afastar as pessoas

Coluna do Pe. Ezequiel Dal Pozzo – Ser eu mesmo sem afastar as pessoas

Nós somos seres de relacionamento. No relacionamento nós nos construímos. Eu preciso estar em mim, significa eu preciso ser inteiro e ao mesmo tempo preciso ajudar os outros, acudir os outros, caminhar com eles, então nesse encontro nós nos construímos como pessoa, como seres humanos.

Nós aprendemos na nossa cultura que é mais baseada na concorrência, na competição, no confronto a andar a distância dos outros e acreditamos que isso nos faz bem. Um grande filósofo, chamado Martin Buber, dizia assim: o ser humano torna-se eu no tú, ou seja, só no encontro acho o meu verdadeiro si mesmo, só no encontro eu me sinto pessoa, no face a face, na relação com a outra pessoa eu me torno mais humano, por isso nós precisamos sempre das duas coisas: proximidade e distância, relação e separação. É preciso haver o equilíbrio entre os polos, o que eu quero dizer com isso é que nós podemos nos perder a nós mesmos se nos ocuparmos só com os outros, se eu buscar satisfazer só aquilo que os outros precisam e exigem de mim, então eu vou me perdendo como pessoa e também isso não é bom. Precisamos colocar um limite, eu me relaciono com as outras pessoas, me doo, ajudo elas, mas também eu tenho tempo para mim.

Se eu perceber em mim sentimentos de amargura, de angústia, se estou irritado eu fico amargo então eu preciso perceber que também é importante que eu dê um tempo para mim, porque eu estou sendo exigido demais. Se eu me delimito em relação as outras pessoas de um modo cortês, se não digo sim a tudo isto não destrói a relação com elas, mas a esclarece e aprofunda, ou seja, eu não nego ajudar os outros e me relacionar com eles, mas eu cuido também de mim e não digo sim a tudo. Não faço tudo aquilo que os outros me exigem isso é colocar limites e faz bem. Se eu não me delimitar, surge o perigo de que cresçam as agressões com a outra pessoa, ou seja, eu aceito fazer mais, mas ao mesmo tempo sou uma pessoa que agride, por quê? Porque estou cansado de tudo isso. Ser inteiro é doar-se aos outros, mas, ao mesmo tempo sentir-me eu mesmo.

Padre Ezequiel Dal Pozzo é sacerdote da Diocese de Caxias do Sul (RS). Cantor e compositor, lidera o Projeto Despertai para o Amor, de evangelização através da música e dos meios de comunicação. Já lançou 5 CDS e 1 DVD e roda o Brasil com shows musicais, palestras, missas e pregações. Apresenta diariamente a reflexão Despertai para o Amor em mais de 140 rádios de 19 Estados do Brasil e o programa semanal Despertai para o Amor na TV Evangelizar e na TV Nazaré. É editor da Revista Despertai para o amor de circulação trimestral e autor do livro“Beber na fonte do amor: como a misericórdia humaniza e traz verdadeira alegria”(Edições Loyola).

 

Padre Ezequiel Dal Pozzo
Padre Ezequiel Dal Pozzo

Aviso

  • Nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto e esperamos que as conversas nos comentários de artigos do JORNAL MONTES CLAROS sejam respeitosas e construtivas.
  • Os espaços de comentários em nossos artigos são destinados a discussões, debates sobre o tema e críticas de ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão tolerados de maneira nenhuma e nos damos ao direito de ocultar/excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, preconceituoso, calunioso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem nome completo e/ou e-mail válido)
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *