Últimas Notícias

Pesquisa mostra que modelo híbrido de trabalho é o preferido entre funcionários

A diminuição das infecções e óbitos causados pela Covid-19 tem motivado a volta ao trabalho presencial desde o segundo semestre de 2021. Entretanto, esse modelo não é mais bem visto por muitos funcionários que viram benefícios no trabalho remoto iniciado com a pandemia. De acordo com pesquisa da Microsoft, divulgada no último mês de março, 52% dos funcionários entrevistados disseram estar propensos a considerar a transição para um modelo híbrido ou remoto ainda em 2022. Somente no Brasil, o percentual de trabalhadores que consideram essa transição é de 58%.

A pesquisa entrevistou 31 mil pessoas de 31 países, incluindo, na América Latina, Brasil, Argentina, Colômbia e México. A motivação pelos dois modelos de trabalho – híbrido e remoto – pode ser associada a uma nova equação, segundo o levantamento, que agora pesa das decisões relativas às escolhas de emprego. Do total de trabalhadores entrevistados, 53% disseram que estão mais propensos a priorizar sua saúde e bem-estar sobre o trabalho agora do que antes da pandemia. No Brasil, esse número aumenta para 71%.

Já de olho nessa tendência e para não perder talentos, muitas empresas já vinham vendo o trabalho híbrido como uma opção para seus modelos de negócios. A última edição da pesquisa “Covid-19: como será o retorno aos escritórios”, realizada pela KPMG no Brasil entre julho e agosto de 2021, já apontava que 85% das empresas entrevistadas pretendiam variar entre o trabalho presencial e o home office em 2022.

Para a produtividade e o entrosamento entre os funcionários que estão fisicamente em locais diferentes, a tecnologia tem sido grande aliada de líderes e gestores. Nos últimos dois anos, softwares e programas foram criados e aperfeiçoados com o objetivo de atender a esse novo momento do mercado de trabalho.

“Trabalhar em casa 100% remoto ou híbrido é uma experiência relativamente nova para a maioria dos trabalhadores, mas, pelo que tudo indica, veio para ficar mesmo após a pandemia e, com o auxílio de ferramentas adequadas e confiáveis, vem ganhando cada vez mais força e aceitação, porque podemos mais facilmente equilibrar o trabalho com a vida pessoal”, explica Daniel de Souza Lima, que possui quase 20 anos de experiência na área de Tecnologia da Informação.

O profissional aponta alguns exemplos de tecnologias que vêm sendo usadas em escritórios híbridos. Um desses é a possibilidade de usar sistemas operacionais simultaneamente em máquinas físicas e virtuais, com o uso de nuvem. “Uma das principais marcas de tecnologia recentemente apresentou novos recursos de seu mais famoso sistema operacional, com a promessa de integração com softwares que podem ser usados tanto no personal computer (PC) e na nuvem, o que inclui a barra e o gerenciador de tarefas compartilhados, em que o usuário poderá trocar entre os dois sistemas usando o alternador de tarefas”, exemplifica Lima.

Segundo o profissional, para garantir o atendimento das tarefas pelos funcionários e comunicação entre as equipes, programas como Slack e Trello, têm sido bastante usados. Esses programas já eram usados antes da pandemia, mas agora estão entre os mais populares para auxiliar no dia a dia do trabalho das organizações que possuem funcionários atuando em modelo híbrido ou remoto.

“O Trello apresenta quadros em que são colocadas as listas de tarefas separadas por cartões coloridos com prazos e objetivos definidos. A plataforma ainda oferece recursos de checklist para indicar pontos imprescindíveis ao projeto, upload de arquivos e etiquetas coloridas que permitem ao usuário separar os arquivos por temas. Já o Slack é um dos softwares de comunicação que estão ajudando a aumentar a produtividade das conversas de trabalho, excluindo a necessidade de e-mails ou mensagens via WhatsApp, reunindo toda comunicação em um só ambiente”, explica.

A tecnologia como aliada até mesmo quando é preciso assinar documentos e mensurar tempo de trabalho

O modelo remoto de trabalho, que se intensificou a partir do início da pandemia da Covid-19, acabou com um dos mitos do modelo que se conhecia até então: a necessidade de se estar presencialmente em um local para assinar um documento. Ou transportar esse documento em papel, assinado, seja via transportador ou Correios. Para permitir a assinatura confiável de documentos, a tecnologia também é uma importante aliada.

De acordo com o profissional de TI Daniel de Souza Lima, um exemplo de ferramenta que vem sendo utilizada pelas empresas é o Clicksign. “Ele oferece gestão e assinatura de documentos com validade jurídica. Com a ferramenta, é possível assinar documentos à distância, especialmente os mais urgentes”, diz.

E para as empresas que querem ter um maior controle sobre a presença dos funcionários no horário de trabalho combinado, já existem programas que cumprem a função do antigo cartão de ponto.

“Para controle de horas trabalhadas, o Toggl é uma ferramenta que mensura o tempo investido em cada projeto ou cliente. O programa faz essa contagem automaticamente por funcionário ou equipe, e gera relatórios detalhados, eliminando a necessidade do preenchimento de planilhas. Tem também o Productivity Score, que auxilia os gestores a saberem quantos e-mails profissionais foram enviados, quem desliga a câmera em reuniões e até o tempo que a pessoa fica no computador. O Sneek possibilita o gestor saber exatamente quanto tempo o empregado ficou longe do computador por dia. Já o Einable usa inteligência artificial para calcular a rapidez com que os funcionários em home office executam diferentes tarefas e atribui pontuação a eles”, informa Daniel Lima.