Últimas Notícias

Intimate wellness: cresce o mercado feminino de cuidados íntimos no Brasil

Desde a pandemia, o mercado de bem-estar íntimo vem passando por transformações significativas, reflexo das mudanças nas prioridades e necessidades das mulheres. Com o aumento do tempo passado em casa e a busca por conforto e autocuidado, houve um crescimento na demanda por produtos e serviços específicos para a saúde íntima feminina.  

Em 2020, o mercado de saúde íntima movimentou R$ 380 milhões no Brasil e atingiu a marca de US$ 2 bilhões em todo o mundo, conforme dados da Euromonitor. E a previsão é que o setor global atinja aproximadamente US$ 38 bilhões até 2026, segundo a WGSN Beauty. Esses números refletem uma mudança expressiva no comportamento das mulheres, que estão cada vez mais focadas em cuidados e bem-estar específicos para as necessidades de sua saúde íntima.

É neste cenário que as femtech surgem, empresas criadas por mulheres, focadas em oferecer produtos e soluções para mulheres. E, dentre eles, produtos de higiene e saúde íntima, como a Nuaá. Juliana Antunes, sócia e co-criadora da marca, conta que a Nuaá surgiu da percepção de uma lacuna significativa em produtos de higiene íntima, tanto em suas necessidades pessoais quanto de outras mulheres próximas a ela, tanto que a marca foi criada em sociedade com sua médica ginecologista, Ana Luiza Faria, e Fabiana Giralt, também sua paciente. Para além do hábito de consumo, o setor de cuidados íntimos para a mulher promove educação, cria comunidades para a causa e identifica necessidades específicas da saúde feminina, como a puberdade precoce e a menopausa, quebrando tabus e paradigmas, e promovendo uma verdadeira transformação social, comenta Juliana Antunes.

Para além das startups, marcas já consagradas também estão atentas às necessidades específicas da saúde íntima feminina. É o caso da referência em lubrificantes, KY, que acaba de apresentar seu primeiro lubrificante íntimo específico para o pH vaginal. Essa tendência evidencia uma preocupação crescente das empresas em oferecer opções que atendam às demandas da mulher, com mais alternativas para cuidar da saúde íntima com produtos confiáveis, promovendo melhor qualidade de vida; e trazer soluções para questões de saúde íntima como secura vaginal, causada por fatores como menopausa, pós-parto ou mulheres em tratamento de câncer.

É fundamental que as mulheres tenham acesso a informações precisas e orientações sobre cuidados íntimos, que abrangem desde a higiene adequada até a prevenção e tratamento de problemas específicos. Além disso, a conscientização sobre a importância do autocuidado e da consulta regular com profissionais de saúde especializados, como ginecologistas, é essencial para a manutenção da saúde íntima feminina. O apoio de associações de classe, como a Federação Brasileira das Associações de Ginecologistas e Obstetrícia (Febrasgo), que oferece um guia de higiene e indica o uso de sabonete específico para a região íntima, também é de grande importância nesse contexto.