PÓS-GRADUAÇÃO PUC MINHAS em MONTES CLAROS

Obtenha mais clientes com a sua ficha do Google
Inicio » Colunistas » Victor Aragão » Coluna Meio Ambiente em Foco de Victor Aragão – Administração e Meio Ambiente

Coluna Meio Ambiente em Foco de Victor Aragão – Administração e Meio Ambiente

Coluna Meio Ambiente em Foco de Victor Aragão – Administração e Meio Ambiente

Assim como as diversas áreas do conhecimento, a história da Administração começou a engatinhar através dos sensos mais universais, datados de 5.000 a. C. na remota civilização dos Sumérios, residentes da região histórica sulista da Mesopotâmia.

À medida que o mundo foi se aproximando das fortes influências e consequências da Revolução Industrial, a moderna Administração se fortaleceu como campo funcional, principalmente através da Teoria da Administração Científica, na qual conforme Schultz chegou para “identificar e controlar o desperdício nas indústrias da época”.

Foi nesse modelo teórico que o americano Frederick Winslow Taylor (1856-1915), no fim do século XIX e início do século XX, observou a possibilidade de inserção do tão conhecido método científico nos processos envolventes da Administração, e sua conduta se baseava, em suma, nas essências do dualismo custo-benefício.

No ano de 1911, Taylor escreveu e publicou a obra clássica de 109 páginas denominada de “Os Princípios da Administração Científica”, trabalhando argumentações sobre sua própria vida, a fim de guiar leitores e pesquisadores a ganhos industriais voltados às capacidades da eficácia.

Contudo, com o desenvolvimento dos meios de produção, as demandas cresceram e as explorações dos recursos naturais e matérias-primas seguiram o mesmo padrão. O desequilíbrio dos ambientes era inevitável, mais cedo ou mais tarde.

Produzir muito com pouco impacto ambiental passou a ser então uma exigência nos tempos atuais e essa premissa vem crescendo fortemente desde o início do presente século, e neste contexto, os gestores vêm lidando com um grande e complexo desafio, aliar metas, condutas e estratégias de produção com os aspectos de meio ambiente.

Trevelin traz em questão que a causa ambiental transcendeu campos funcionais incontáveis, onde já não é mais possível estimar o quão longe essas linhas de pensamentos de meio ambiente percorreram. A única certeza que se tem é que a natureza, em suas formas mais universais, faz parte das inúmeras ciências e áreas do conhecimento. A administradora e pós-graduada em Gestão e Manejo do Ambiente ainda reflete que “independentemente do tipo de atividade empresarial é necessário cuidado e atenção à variável ambiental, uma vez que o modo de produção está diretamente ligado à saúde ambiental, social e humana”.

 

Victor Aragão
Victor Aragão

Aviso: Nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto e esperamos que as conversas nos comentários de artigos do JORNAL MONTES CLAROS sejam respeitosas e construtivas.Os espaços de comentários em nossos artigos são destinados a discussões, debates sobre o tema e críticas de ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão tolerados de maneira nenhuma e nos damos ao direito de ocultar/excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, preconceituoso, calunioso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem nome completo e/ou e-mail válido)



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *